Imagem de fundo do header
Cabos Ethernet já eram?
Home  >  Review
REVIEW

Cabos Ethernet já eram?

Novas opções conectam PCs e periféricos no escritório ou em casa, aproveitando a fiação telefônica já existente ou usando fio algum. Mas será que elas já são capazes de atender todas as suas necessidades?

Denise Goya

Foto:

Os negócios de Dr. José estão prosperando. Em seu escritório de advocacia, ele cuida de todos os detalhes sozinho e, agora, precisa contratar um auxiliar. Ele possui apenas um computador, que concentra todas suas atividades. Agora, será necessário comprar outro computador, para que seu auxiliar redija alguns documentos e pesquise jurisprudências. Esse novo funcionário precisará compartilhar os programas e dados para que os dois trabalhem conjuntamente. E, agora, José? O senhor vai ter que montar uma rede!

Na empresa vizinha, o diretor está cuidando do orçamento do mês em um PC, no andar de cima. A secretária está redigindo uma carta no computador do térreo. Mas e se o diretor quiser imprimir a planilha na impressora colorida que está conectada ao computador da assistente? A empresa está precisando de uma rede, ainda que pequena.

Com uma rede instalada, todos no escritório compartilham impressoras e arquivos, sem o vaivém de disquetes. E mais: todos podem dividir uma única conexão à Internet e navegar ao mesmo tempo. Parece perfeita a idéia de instalar uma rede, mas, para quem não tem a menor noção de como fazer isso, é assustador. E quanto ao cabeamento? Quando todos os PCs estão no mesmo ambiente, pode-se ocultar os horríveis cabos Ethernet atrás dos móveis. Em geral, porém, os PCs estão em partes diferentes da empresa, exigindo que se façam buracos nas paredes para estender cabos e conectar hubs. Felizmente, algumas alternativas de rede dispensam cabos Ethernet. Com elas, fica mais fácil conectar todos os computadores sem furar paredes.

Existem três tipos de kits de redes de pequeno porte, além do conhecido esquema baseado em Ethernet. As redes do tipo phoneline utilizam a fiação de telefone já existente, em substituição aos grossos cabos de par trançado. Essas redes funcionam sem interferir nos telefonemas, pois operam em uma freqüência mais alta. O conceito de redes powerline é mais ousado ainda e tenta aproveitar a fiação elétrica para conduzir dados, usando os mesmos fios e saídas dos outros aparelhos do escritório. Essas redes, entretanto, têm baixo desempenho, não chegaram ao Brasil e não serão abordadas aqui. As redes wireless utilizam ondas de rádio e não requerem conexões físicas por meio de fios.

Esses três tipos de kit estão disponíveis há cerca de dois anos, mas têm apresentado inconvenientes como velocidade baixa, custo alto ou ambos. Os kits de redes mais novos proclamam velocidades de 10 ou 11 megabits por segundo (Mbps), substancialmente maiores do que as de produtos mais antigos, de 1 e 2 Mbps.

As novas especificações alcançam o desempenho de uma rede Ethernet 10Base-T convencional. Esse nível de largura de banda permite, por exemplo, que você ouça arquivos de áudio MP3 localizados em outro computador na rede, sem notar degradação na qualidade. Também possibilita que se executem diversas tarefas simultaneamente: imprimir um documento em uma impressora conectada a outro computador, copiar um arquivo de um terceiro PC e fazer um download da Internet, por exemplo.

A queda de preços é um estímulo para montar uma rede. Dois adaptadores phoneline custam algo em torno de US$ 200,00 ? mais do que as placas Ethernet convencionais ?, mas dispensam o uso de um hub caro, que essas redes requerem. As redes wireless mais simples custam US$ 160,00 por computador; as mais sofisticadas, podem chegar a US$ 1 mil para interligar duas estações, mas se espera que esses preços caiam à medida que novos kits sejam lançados.

Os tipos de redes

Rede Ethenet tradicional
PRÓS: Barata e veloz (a partir de R$ 50,00 por PC para uma rede de 10 Mbps ou R$ 165,00 para 100 Mbps). A padronização permite que você mescle hardware de fornecedores diferentes. Expansão fácil.
CONTRAS: É difícil e caro instalar cabos através de paredes. Deixar fios à vista é horrível. Pode exigir switch ou hub central. Às vezes, é complicado configurar o software.

Redes phoneline

PRÓS: Preços razoáveis, variando entre US$ 180,00 e US$ 210,00 para adquirir um kit que interliga dois computadores. Fáceis de instalar e operar. Aproveitam a fiação de telefone existente, desde que ela tenha sido feita com o padrão de quatro vias.
CONTRAS: Cada PC tem que estar perto de uma tomada de telefone. Não são tão velozes quanto a LAN Ethernet tradicional; fiação de telefone antiga ou mal instalada pode degradar o desempenho. Poucas empresas comercializam produtos para conectar notebooks. Ambientes que utilizam fios duplos devem substituir a fiação nos trechos em que os dados trafegarão. Kits phoneline mais antigos atingem taxas de apenas 1 Mbps; somente os mais recentes, que seguem especificação PNA 2.0, alcançam valores perto de 10 Mbps.

Redes sem fio

PRÓS: Os fios são totalmente desnecessários. Os PCs não têm que estar situados perto de uma tomada de telefone ou de uma porta Ethernet. Funcionam com notebooks; neste caso, o alcance é limitado, embora as empresas prometam autonomia de 30 metros ou mais.
CONTRAS: No momento, mais caras e mais lentas do que as redes Ethernet convencionais e phoneline de última geração. A velocidade cai na medida em que a distância entre os computadores aumenta.

Pondo à prova
Para conhecer o desempenho desses kits, testamos cinco deles. Examinamos duas redes phoneline de 10 Mbps: HomeFree da Diamond Multimedia e Phoneline10X da Netgear. Testamos uma rede wireless de 1 Mbps, a Diamond Multimedia HomeFree Wireless, projetada para atender especialmente aos usuários domésticos. Mais indicados para quem usa o computador profissionalmente, os kits RadioLAN e Lucent Orinoco apresentam taxas de 10 e 11 Mbps via radiofreqüência.Para fins de comparação, testamos ainda um kit de rede típico que usa cabos Ethernet, o DB104 Network Starter Kit da Netgear.

Dentre esses kits, os dois wireless de melhor desempenho foram difíceis de instalar, obrigando-nos a entrar em contato com o pessoal de suporte técnico dos distribuidores da RadioLAN e Lucent, respectivamente a 4Net e Weston Brasil. Os demais pacotes phoneline e sem fio não apresentaram dificuldades para serem instalados e configurados; pessoas com pouca experiência têm condições de instalá-los sozinhas.

As redes phoneline, em geral, apresentaram melhor velocidade que os kits de rede wireless, mas têm a desvantagem de exigir que o computador fique próximo a uma saída de telefone.

Com as soluções sem fio, um portátil pode ser facilmente ligado à rede, além de permitir que o usuário passeie por todo o ambiente, a distâncias que variam entre 30 e 400 metros, dependendo do produto. Mas esteja atento: à medida que você se distancia do servidor que está enviando os sinais de rádio, o desempenho degrada cada vez mais, até se perder a conexão. Bloqueios entre dois pontos de transmissão e recepção de dados também atrapalham a comunicação. Paredes e outros tipos de obstáculos físicos diminuem a qualidade do sinal e, conseqüentemente, implicam maior necessidade de correção de erros, gerando baixas taxas de transmissão.

O que motivou a criação de soluções baseadas em fios de telefone é a facilidade proporcionada na instalação. Como, em geral, as casas e escritórios já têm fios telefônicos percorrendo todos os ambientes, basta conectar o computador em uma das tomadas disponíveis para se ter uma rede pronta para usar. Mas antes de comprar um kit desses, confira se os fios instalados são de duas ou quatro vias.Todos os pacotes de rede phoneline precisam usar fios telefônicos de quatro canais, porém grande parte das residências e escritórios no Brasil usam fios duplos. Normalmente, adotam fiação de quatro vias os que utilizam certos tipos de centrais telefônicas, pois, caso contrário, a fiação dupla já é suficiente. Se você pretende comprar um kit de rede phoneline e sua fiação está incorreta, terá que substituí-la.

Estão chegando ao Brasil novas versões de redes baseadas em linhas telefônicas que usam a interface USB e são instaladas externamente ao computador. Essas são bem mais fáceis de configurar, pois são Plug and Play e liberam o usuário de ter que abrir o gabinete de seu PC para instalar placas. O adaptador USB tem dois cabos, um para ser conectado à porta USB do computador e outro para ser ligado à linha de telefone. Depois de conectar esses cabos, basta instalar o driver para ter o computador na rede. Não incluímos equipamentos desse tipo no teste, pois eles ainda estavam em processo de importação. Quando você estiver lendo este artigo, encontrará nas lojas pelo menos uma opção, o Netgear Phoneline10X USB, ao preço de US$ 205,00.

Ethernet convencional ainda domina
Para testar a velocidade dos produtos, copiamos, abrimos e imprimimos arquivos pela rede. Como seria de se esperar, dada a taxa de 100 Mbps, a rede Ethernet da Netgear conquistou facilmente a primeira colocação. Foi de duas a três vezes mais veloz do que as redes phoneline em alguns testes, mas não 10 vezes mais veloz, conforme a taxa de 100 Mbps parecia prometer.

Os kits phoneline mais recentes seguem especificação PNA 2.0, que prevê taxas de 10 Mbps, muito superior ao desempenho de 1 Mbps dos primeiros kits dessa categoria que apareceram no mercado.

Os kits wireless analisados também trabalham com velocidade em torno de 10 a 11 Mbps, teoricamente semelhante ao phoneline e ao Ethernet 10Base-T. Mas os atuais pacotes sem fio ainda apresentam desempenho inferior quando comparado com as outras duas alternativas.

Instalando a rede
Para testar a instalação e o desempenho dos kits phoneline, montamos uma rede de PCs com a configuração tipicamente encontrada em escritórios de dois andares. Colocamos um PC no térreo e dois PCs em cômodos distintos no andar superior. Os dois PCs de cima estavam a 3,4 m de distância um do outro (medidos através da parede); o PC de baixo estava a cerca de 5,2 m de cada um dos PCs de cima (medidos através do teto).

Todos os kits exigiram que se removesse a tampa do PC, instalasse uma placa adaptadora PCI ou ISA e conectasse um cabo da placa à tomada de telefone. Depois, foi preciso instalar um driver para a placa adaptadora e configurar o compartilhamento de arquivos, impressoras e Internet. Em todos os casos, o PC com o modem e a conexão phoneline se tornaram um servidor para compartilhamento de Internet, enquanto os outros PCs conectados na rede foram usados como estações-cliente. O PC servidor estava conectado à Internet para que todos pudessem navegar e usar a impressora.

O funcionamento como ponto de conexão à Internet para vários PCs exigiu algum processamento extra no servidor, mas sem degradar sensivelmente o desempenho.

Os produtos mencionados aqui compartilharam um modem ou conexão em banda larga entre múltiplos computadores conectados. Para configurar o compartilhamento, usou-se o Internet Connection Sharing, do Windows 98 Second Edition, previamente instalado por meio do Painel de Controle, opção Adicionar e remover programas (o Windows 98 SE não o instala por default). Vários produtos vieram com aplicativos de terceiros para facilitar ainda mais a tarefa de configurar o compartilhamento. Os kits variaram em termos de facilidade de configuração; alguns chegaram a exigir horas de trabalho até que a rede entrasse em funcionamento. A rede phoneline HomeFree da Diamond Multimedia foi a mais fácil de instalar.

A Phoneline10X da Netgear tem uma configuração automatizada que não transparece alguns detalhes de instalação, podendo confundir os novatos. Se você quiser ver tudo que está acontecendo, talvez fique desapontado com a falta de documentação detalhada.

Os kits wireless foram mais críticos no quesito instalação. O HomeFree Wireless da Diamond não chegou a causar problemas, mas o usuário pode se sentir inseguro, sem saber se a instalação está procedendo com sucesso ou não, pois o programa não indica o que está acontecendo durante a configuração e pode passar a impressão de que o computador não está respondendo.

O pacote da Lucent inclui um programa instalador pouco amigável e exige que o usuário tenha conhecimento de rede para configurar manualmente alguns itens. Para conectar um computador à rede, foi necessário instalar uma placa ISA que serve como adaptadora para o cartão PCMCIA. A ligação de um notebook foi um pouco menos complexa, mas ainda assim um usuário leigo provavelmente não conseguirá realizá-la sem o auxílio do suporte técnico.

A solução da RadioLAN pode apresentar problemas se o usuário optar pela placa ISA, que não é Plug and Play e exige a correta configuração de endereços para eliminar conflitos com outras placas instaladas no sistema. Mas, de uma forma geral, esse kit foi um pouco menos trabalhoso de instalar que o da Lucent, porém mais difícil que o da Diamond.

KITS PHONELINE

Diamond Multimedia - HomeFree PCI
Netgear - Phoneline 10X

KITS WIRELESS

Diamond HomeFree - Wireless Network
Lucent Technologies - Orinoco Wireless Solutions
RadioLAN 10 Mbps - Indoor Wireless Solutions

Outras opções de redes wireless
Existem, ainda, outros dispositivos de redes sem fio disponíveis no mercado nacional que, por um motivo ou outro, não puderam participar da análise. Entre eles, estão soluções desenvolvidas pela Aironet, BreezeCom, Compaq e Leon. Tratam-se de equipamentos implementados mais recentemente e que adotam o padrão de 11 Mbps. Alguns deles aceitam acessórios e antenas especiais que permitem ampliar a rede com a capacidade de comunicação entre pontos distantes, que se localizem em prédios distintos. Essas soluções são bem mais caras; para montar um kit mínimo que interliga duas estações de trabalho, o usuário deve investir pelo menos US$ 2 mil. Por esse motivo, em aplicações SOHO, são mais interessantes as outras soluções apresentadas nesta matéria.

A linha Compaq WL de equipamentos wireless é compatível com o padrão IEEE 802.11b HR (High Rate) DSSS (Direct Sequence Spread Spectrum) de 11 Mbps. Essa família é composta por um cartão PCMCIA, uma placa PCI e um hub implementado por software, que funcionam como pontos de entrada para uma rede convencional.
Compaq:
0800-153015; www.compaq.com

A Leon Equipment do Brasil distribui sua linha própria de produtos para montagem de redes wireless compatíveis com o padrão IEEE 802.11, com taxa máxima de transmissão de 2 Mbps, diferentemente da atualização 802.11b que trabalha com taxas de 11 Mbps. Fazem parte da linha os cartões PCMCIA WL2000 (antena Pathc) e WL2000D (antena Dipolo), o cartão PCI WL2000P (antena Dipolo) e o WL2000SA (ponto de acesso a rede convencional com antena de 3 dBi).
Leon Equipment do Brasil:
(11)3731-2615; www.leoneq.com.br

Outra tradicional distribuidora de acessórios e dispositivos de redes para PCs, a RedNetwork representa a linha de produtos da Aironet, que engloba soluções wireless para interligar externamente dois prédios (Aironet BR500) ou montar redes locais (LAN) sem fio. Nesse caso, a empresa dispõe do Aironet AP4800, para conectar aparelhos de uma rede local, com taxas de 11 Mbps (padrão IEEE 802.11b) trabalhando também com sinais de rádio DSSS. Estão disponíveis para comercialização os seguintes módulos: ponto de acesso de alcance de até 1 km, cartão PCMCIA para conexão de notebooks e placas para conexão de desktops no padrão ISA ou PCI.
RedNetwork: (11)253-4006; www.rednetwork.com.br

A União Digital distribui a linha BreezeNET DS.11, que é compatível com o padrão IEEE 802.11, IEEE 802.3 (10Base-T) e é capaz de se comunicar com equipamentos que trabalhem no padrão 802.11 TGb de 2,4 GHz. Destacam-se os dispositivos AP-DS.11 - ponto de acesso à rede convencional que transmite sinais de rádio para as estações clientes DS.11 em taxas de transferência de 1 a 11 Mbps. Seu alcance cobre uma área de até 2,8 metros quadrados (ou cerca de 30 metros de distância a partir da antena), transmitindo a 11 Mbps, ou 23 mil metros quadrados transmitindo a 1 Mbps. O SA-DS.11 é um adaptador que conecta até quatro dispositivos com porta Ethernet automaticamente com a rede sem fio. O PC-DS.11 é um cartão de rede wireless PCMCIA tipo II indicado para qualquer equipamento portátil que tenha esse tipo de slot, incluindo notebooks, coletores de dados e até handhelds com Windows CE. Além disso, ainda existe o cartão ISA-DS.11 para computadores de mesa e o sistema DS.11 Point-to-Point para interligar prédios.
União Digital:
(11)5890-4500; www.uniao-digital.com.br

KITS CONVENCIONAL

Netgear DB104 - Network Starter Kit

ProdutoDistribuidor
no Brasil
Preço Sugerido1SOSuporte
ao usuário
Comentários
Kits phoneline

Diamond Multimedia HomeFree Phoneline (www.s3.com)

SND
(11)3311-8333 (www.snd.
com.br
)
US$ 180,00Windows 95, 98, NT, 2000(11)3311-8333
(suporte@
snd.com.br
)
Preço acessível; configuração fácil; inclui software MP3 player
Netgear Phneline10X
(www.netgear.
com
)
Westcon Brasil (21)430-9805 (www.westcon.
com.br
)
US$ 210,00Windows 95, 98Por e-mail
(suporte@
westcon.
com.br
)
Configuração relativamente fácil; trabalha com conexões em banda larga DSL e cabo; documentação escassa.
Kits wireless
Diamond Multimedia HomeFree
Wireless (www.s3.com)
SND
(11)3311-8333 (www.snd.
com.br
)
US$ 321,00Windows 95, 98, NT, 2000(11)3311-8333
(suporte@
snd.com.br
)
Preço relativamente acessível; configuração fácil; baixa taxa de transmissão (1 Mbps).
RadioLAN (www.radiolan.
com
)
4net
(11)5062-8700 (www.fournet.
com.br
)
US$ 658,02Windows 3.11, 95, 98, NTContrato
de manutenção,
(11)5062-8700
(suporte@
fournet.com.br
)
Instalação e configuração relativamente fáceis. Documentação e software bastante simples, porém funcional.
Lucent Orinoco (www. wavelan.com)Westcon Brasil (21)430-9805 (www.westcon.
com.br
)
US$ 1.014,00Windows 3.11, 95, 98, NT, 2000, LinuxPor e-mail
(suporte@
westcon.
com.br
)
Instalação e configuração relativamente complexas. Possui vários componentes para uso doméstico, SOHO e corporativo. Transmite em 11 Mbps.
Kit convencional Ethernet
Netgear DB104 Network Starter
Kit (www. netgear.com)
Westcon Brasil (21)430-9805 (www.westcon.
com.br
)
US$ 210,00Windows 95, 98, NTPor e-mail
(suporte@
westcon.
com.br
)
Oferece o melhor desempenho, quando comparado com todos os demais equipamentos. Instalação é completamente manual e requer algum conhecimento por parte do usuário para configurar.
1 Preço referente a um pacote de hardware e software necessário para ligar dois computadores

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site