Imagem de fundo do header
O primeiro olhar sobre o Chocolate
Home  >  Review
REVIEW

O primeiro olhar sobre o Chocolate

O Chocolate, da LG, é visualmente lindo e o áudio é ótimo, mas tem sérios problemas com os controles de navegação

Melissa J. Perenson - PC World (EUA)

Foto:

O Chocolate, da LG, é visualmente lindo e o áudio é ótimo, mas tem sérios problemas com os controles de navegação

O Chocolate, novo celular da LG, chama atenção tanto pelo nome altamente conceitual quanto pelo seu rico visual. Também conhecido como LG VX85000, o Chocolate está disponível no Brasil por meio da operadora Vivo.

Apesar de admirá-lo pela aparência sofisticada e pela excelente qualidade do áudio, achei os controles de navegação e os menus um tanto confusos.

Bom de visor, ruim de navegação
O acabamento do Chocolate não é marrom escuro, como o nome sugere, mas preto e brilhante e se assemelha à superfície de um piano.

O celular modelo slide é resistente, fino e compacto: mede 96,8 x 48 x 15,8 mm e pesa 88 gramas. Quando está fechado, tem quase o mesmo tamanho de um dos seus concorrentes mais próximos, o Sony Ericsson W810.

A metade superior do celular desliza sobre a inferior com facilidade, a ponto de poder ser aberto com uma única mão. O teclado também é extremamente amigável e possui botões grandes e fáceis de pressionar.

Seu visor LCD de duas polegadas é um TFT (mesma tecnologia utilizada em notebooks), exibe até 262 mil cores e tem resolução de 240 por 320 pixels. O display exibe detalhes nitidamente quando o aparelho é utilizado em lugares fechados e indiretamente iluminados. Porém, há dificuldades para enxergá-los quando há incidência direta do Sol.

O Chocolate permite ainda que você customize quais itens do menu quer ver na tela principal, mas seria um telefone muito mais interessante se a interface fosse mais clara e auto-explicativa, porque ninguém quer ler 118 páginas de manual. Você ficará irritado e precisará ao menos dar uma folheada no guia – se não no manual inteiro -, para saber quais botões fazem o quê.

Impressionado com o visor, notei que logo abaixo da tela LCD há um painel de navegação com quatro teclas programáveis para acessar diversos recursos do telefone e um botão no centro. Há ainda dois botões sensíveis a toque, localizados à esquerda e à direita na parte inferior do LCD. A função de cada um deles muda de acordo com as aplicações.

Quando a unidade é ativada, os controles do centro e os quatro botões de navegação ficam iluminados em vermelho e parece que o telefone está incandescente. Os botões com certeza parecem legais, mas não se mostram intuitivos e você terá de se adaptar. Embora sua sensibilidade seja configurável, muitas vezes acionei recursos sem querer.

O manual detalhado do Chocolate alerta sobre este assunto e também avisa sobre o uso dos botões de toque dos telefones em ambientes úmidos.

Na lateral do aparelho há outros botões: à esquerda, um para controlar o volume e um para gravação e comando de voz, e à direita, o controle para música, câmera e o botão de “end/power”.

Minhas reclamações em relação à interface não param por aí. Os menus são difíceis de navegar e tanto as opções do menu sensível a toque quanto os botões têm comportamento imprevisível. Por exemplo, o botão “back” nem sempre retorna e muitas vezes é preciso usar o botão “End”.

Além disso, o botão para câmera no lado direito do celular apresenta somente um ícone para câmera, e não um ícone para câmera e filmadora, já que o mesmo botão tem as duas funcionalidades. Quando você coloca na modalidade de câmera, a vídeo câmera nem sempre é uma das opções, é o esperado; para acionar o recurso, é preciso apertar este botão duas vezes. Uma vez acessada, entretanto, ambas parecem funcionar direito; eu estava particularmente impressionado como a câmera foi capaz de se adaptar em condições difíceis de iluminação.

Pacote de serviços do telefone
O Chocolate não é fraco em recursos. Na verdade, ele é tão compacto em capacidades que eu me espantei com a falta de auto-falantes.

O dispositivo suporta e-mail e mensagens instantâneas e inclui suporte para rede banda larga da Vivo, em rede EvDO e 3G. Ele também tem entrada para microSD Card (nenhum cartão é incluído com o pacote básico do telefone); suporte para vídeos em formato MPEG-4, 3GP, 3G2, e H.264 e de áudio de MP3 e de WMA; uma câmera fotográfica de 1.3 megapixel, que também tem recurso de filmadora; alarme com música; e Bluetooth stereo, um conforto para quem é fã e música e quer escutar suas faixas sem ter de usar fios.

O Chocolate ainda vem com um calendário, um bloco de notas, e duas calculadoras: uma para cálculos matemáticos simples e outra que ajuda a determinar o quanto você deve gastar. E, assim como o Fusic, da LG, as funções do Chocolate tem design semelhante ao de um iPod.  Os botões dispostos em um círculo na face do celular parecem com os controles do tocador da Apple.

Enquanto o aparelho oferece alguns recursos impressionantes de áudio e vídeo, você precisará comprar acessórios e serviços extra se quiser aproveitar o máximo de suas funcionalidades. O aparelho básico de 150 dólares que eu testei faltava um cabo USB para conectar o celular ao PC, um microSD Card para armazenar as músicas, e um software para ajudar a transferir as músicas para o dispositivo.

O kit básico disponibilizado pela Vivo, por exemplo, vem com o aparelho, é bateria, hand-strap, fone de ouvido com controle remoto, filme de proteção, cabo de dados, carregador de viagem e manual do usuário.

O speaker externo, situado na parte de trás do aparelho produz um som de qualidade razoável, se considerarmos o pequeno tamanho. Mas caso não venha com um alto-falante, o speaker está lá somente para emitir o áudio e para emitir o som do alarme.

Som impressiona, interface desaponta

A qualidade do som nas ligações me impressionou. Falando em geral, eu achei que este foi um dos melhores telefones que eu já ouvi: som cristalinamente limpo, com pouquíssimo ruído ao fundo notável. Uma das vezes em que testei, ouvi um pouco de eco, mas não teve como identificar o motivo. Logo, o ruído baixou e não voltou mais.

Em outro momento, houve um estalo na linha, mas também foi passageiro. É claro que a qualidade do som depende da conexão, mas alguns telefones nunca possui bom som e em poucos é tão bom quanto este.

Tome cuidado se você não quiser usar fone de ouvido com o Chocolate: a unidade de teste começou a ficar morna depois de 20 minutos de ligação e o LCD começou tostar minha orelha - apesar de ainda não estar de modo insuportável. Eu confirmei este fenômeno com um colega que comprou Chocolate este fim de semana e teve a mesma experiência.

Ainda estamos terminando nosso teste de laboratório. Assim, confira em breve como foi a performance do Chocolate em nosso teste, em relação ao tempo de vida de sua bateria.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site