Imagem de fundo do header
Primeiro teste oficial do Intel Penryn
Home  >  Review
REVIEW

Primeiro teste oficial do Intel Penryn

Sistemas com o Penryn têm grande ganho em processamento de vídeo e velocidade de codificação, além de melhoras em jogos multi-encadeados

Por Eric Dahl, PC World EUA

processad_intel_70.jpg
Foto:

Sistemas com o Penryn têm grande ganho em processamento de vídeo e velocidade de codificação, além de melhoras em jogos multi-encadeados

intel_100_120A Intel exibiu o Penryn, seu novo processador, há poucos dias. Mesmo não sendo lançado esse ano – é o primeiro com o processo de fabricação de 45 nanômetros (nm) – o Penryn já foi submetido a alguns de nossos testes.

Como ocorreu com CPUs anteriores, a Intel permitiu que PC World tivesse a chance de acompanhar e avaliar o funcionamento de alguns sistemas Penryn dual e quad-core em seus laboratórios.

As ressalvas sobre aplicar nossos benchmarks (critérios de teste) em laboratórios de terceiros num sistema configurado pelo fabricante ainda valem, mas achamos que seria interessante observar previamente a performance do Penryn.

A Intel preparou dois chips Penryn (um dual core e outro quad core) para comparar com seu atual CPU mais poderoso, o quad-core Core 2 Extreme QX6800. O resultado ilustra o que é a nova tecnologia que a Intel colocou na família Penryn.

Os resultados impressionam particularmente no processamento de vídeo e nas tarefas de codificação. Essas aplicações são as primeiras a tirar real vantagem dos processamentos dual e quad core.

Ao atingir 45nm, a Intel colocou a velocidade de clock acima de 3 GHz sem aumentar a quantidade de energia que o chip consome. O Penryn também pode executar um barramento de 1333-MHz, comparado ao atual barramento de 1066-MHz dos chips Core 2 Duo e Core 2 Extreme.

Assim, mesmo em jogos como o Half-Life 2, que não tiram muito proveito do quad-core, o chip ainda consegue oferecer ganhos significantes.

Quando os gráficos mais pesados entram em cena, como teste geral de 3D, o sistema fica muito mais dependente da placa mãe, tirando muito da diferença entre as famílias de CPU. Basta tirar o GPU (chip de processamento gráfico) de cena, como na pontuação de CPU 3DMark, que os resultados ruins voltam.

Já que o teste de CPU consegue tirar mais proveito do que dois núcleos, ambos os chips quad-core se sobressaíram aos Penryn dual-core.

O quad-core mantém a dianteira na hora de codificar/converter vídeo. O teste Divx mostrou alguns resultados particularmente interessantes. A versão alfa do codificador Divx usado no teste faz uso das instruções SSE4 embutidas no Penryn, particularmente uma instrução, a shuffle, permitiu ao CPU reordenar de forma mais eficiente os dados para processamento.

Assim, enquanto mais núcleos de CPU ajudam na codificação Divx, o suporte SSE4 no codificador alfa permitiu até mesmo ao Penryn dual-core superar seu concorrente quad-core.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site