Imagem de fundo do header
Portáteis: drives de estado sólido ou HD tradicional?
Home  >  Review
REVIEW

Portáteis: drives de estado sólido ou HD tradicional?

A tecnologia SSD pode superar as tradicionais, mas sua performance vale o alto preço?

Por Melissa J. Perenson, por PC WORLD (EUA)

solid_state_disk_70.jpg
Foto:

ssd100A idéia de se utilizar armazenagem em memória flash em computadores portáteis não é nova. Entretanto, o alto custo deste tipo de mídia ainda impede que ele substitua de vez os discos rígidos nos laptops, apesar do menor consumo de energia, resistência à choques e maior velocidade – isso até agora.

Com os preços em constante queda, drives de estado sólido baseados em flash (SSDs, da sigla em inglês Solid State Disk) estão se tornando opções viáveis para dar conta dos requerimentos primários de armazenamento do seu notebook.

E tem mais: os 32 gigabytes oferecidos pelo maior SSD disponível hoje são mais do que suficientes para satisfazer as necessidades básicas de armazenamento, suficientes inclusive para concorrer com HDs cujas capacidades vão de 30 GB a 80 GB.

Os discos de estado sólido de marcas como Samsung e Sandisk são leves (o Sandisk UATA 5000, por exemplo, pesa 59 gramas) e podem ser encontrados em portáteis Dell, Fujistu e Toshiba.

Mas será que eles, de fato, valem os 400 ou 500 dólares que são cobrados a mais do que os discos rígidos de mesma capacidade?

Para justificar tal diferença, os SSDs devem oferecer uma performance significantemente superior à dos HDs comuns. Para descobrir se eles dão conta deste recado, testamos três pares de notebooks ultraportáteis Fujitsu e Dell.

Cada dupla de notebooks foi configurada da mesma maneira, exceto pelo tipo de armazenamento: um possuía SSD e o outro, um HD de 1,8 polegada e 4200 rpm.

Duas duplas de portáteis (um Dell ATG D620 - 3.015 dólares com SSD e 2.815 dólares na versão com HD de 80 GB; e um Fujitsu LifeBook P1610 - 2.578 dólares se equipado com SSD e 2.029 dólares com um HD de 30 GB) rodavam Windows XP Professional.

A terceira dupla, outro Fujitsu LifeBook P1610 (2.548 dólares com um drive SSD e 1.999 dólares se equipado com HD de 30 GB) rodava Windows Vista Business.

Sem um vencedor declarado
Os resultados foram equilibrados: em muitos casos, os testes mostraram as vantagens do SSD, em outros, os modelos com HD lideraram a disputa.

Nossa suíte de benchmark para teste da performance do sistema, o World Bench 6 Beta 2, não mostrou um padrão de definição nos resultados gerais de sistemas SSD e HD.

Por exemplo, os dois Dell ATG D620, equipados com chip Core 2 Duo T7200 2.0 GHz e um 1 GB de memória, receberam, cada um, a nota 76 no WorldBench 6. ++++
ssd100Em contrapartida, os dois Fujitsu LifeBook P1610, configurados com um chip Core Solo U1400 1.2 GHz, 1 GB de memória e Windows XP Professional, diferiram em performance: a versão SSD recebeu 42 pontos, enquanto a versão HD ficou com 39.

Interessante ressaltar que a diferença de performance foi ainda mais pronunciada nos testes com os Fujitsu P1610 que rodavam Windows Vista Business. Neste caso, a versão SSD do notebook terminou com 36 pontos no WorldBench 6, e a versão HD, com 30.

Os Fujitsu com Vista e SSD tiveram performance especialmente boa em manipulação de imagem no programa Adobe Photoshop CS2, batendo os equipamentos com HD em 36%. Na gravação de mídias, com o Nero 7 Ultra Edition, tiveram desempenho 76% superior.

Só em duas categorias os equipamentos com SSD obtiveram performance superior: os que exigem uso intensivos de drive, como o Nero 7 Ultra Edition; e no de compressão de arquivos, usando o Winzip 10.0.

As versões SSD dos laptops da Fujitsu também tiveram notas mais altas do que as versões HD nos testes com o Photoshop CS2. Porém, no caso da Dell, o portátil com HD superou o que estava equipado com SSD em 10%.

Uso intensivo do disco
As melhores performances dos equipamentos com SSD se deram nos testes de gravação e leitura de arquivos. Nos testes, os modelos SSD bateram seus adversários com HD em 11 de 12 tentativas. Em algumas porém, as pontuações obtidas ficaram muito próximas.

No teste de procura de arquivo de 6,1 GB de dados no Windows, por exemplo, o Fujitsu com Vista Business e SSD finalizou a tarefa em 86 segundos, ao passo que seu “irmão” equipado com disco rígido concluiu a tarefa em 100 segundos. Ainda assim, em muitos casos, os modelos SSD foram sensivelmente mais velozes.

O exemplo mais extremo é o do Fujitsu com Windows XP Professional que efetuou o teste em 199 segundos, muito à frente do modelo dotado de disco rígido, que levou 533 segundos para realizar o trabalho.++++ssd100

Ganho de autonomia
Apesar de experts da indústria viverem afirmando que a memória flash consome menos da bateria do que os discos rígidos, os testes concluíram que há pouca diferença entre as duas tecnologias neste quesito.

O Dell ATG D620 com SSD sobreviveu por 5 horas e 40 minutos no teste, apenas 3 minutos a mais do que a versão equipada com disco rígido. O Fujitsu P1610 com SSD e XP agüentou por 3 horas e 11 minutos – 7 minutos a mais do que a versão com HD. E o Fujitsu P1610 com Vista Business e SSD suportou 2 horas e 26 minutos e bateu a versão disco rígido por só 9 minutos.

Outros benefícios do SSD
A vantagem dos SSD ultrapassa o quesito números. Estes dispositivos tendem a ser mais resistentes do que os discos rígido comuns, visto que o tipo de memória flash usada por eles (NAND) Não possui as partes móveis encontradas nos HDs.

Em caso de uma queda de um notebook, por exemplo, os dados armazenados no SSD estarão a salvo – mesmo que a tela do equipamento não saia do acidente ilesa. Além disso, ao contrário de HDs, os discos de estado sólido não geram calor e nem produzem interferências eletromagnéticas.

Conclusões
Inicialmente, os fabricantes incorporaram SSDs em notebooks ultraportáteis, mas com a queda nos preços da tecnologia e o crescimento de sua capacidade de armazenamento, é possível que os fabricantes comecem a equipar outros laptops com este tipo de drive. 

A Dell recentemente introduziu o SSD em seus notebooks corporativos da linha Latitude D630, D830 e D 430. Escolher a opção SSD na configuração - em vez de um HD de 80 GB - aumenta o preço do equipamento em 540 dólares, nos Estados Unidos.

A Toshiba deve ser a próxima a introduzir SSDs em sua linha de portáteis, previsto para o final de 2007.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site