Imagem de fundo do header
Conheça o Eye-Fi Wireless, cartão SD para câmeras digitais
Home  >  Review
REVIEW

Conheça o Eye-Fi Wireless, cartão SD para câmeras digitais

Cartão permite transferência de fotos para o PC ou para site de compartilhamento

Por PC WORLD (EUA)

eye_fi_150.jpg
Foto:

eye_fi_150Transferir dados sem a necessidade de fios ou cabos é uma característica incomum em câmeras digitais. Talvez porque os modelos com esse diferencial não são atrativos ou porque conseguir uma conexão para trabalhar sem fio é complicado. Mas o cartão Eye-Fi Wireless soluciona ambos os problemas: além de funcionar em praticamente qualquer câmera que use cartão de memória, a instalação do software wireless é simples e ele não impõe tantas limitações como se via no passado nesse tipo de câmera.

O cartão Eye-Fi Wireless tem capacidade para até 2 GB e vem com um pequeno leitor USB de cartão de memória. Para instalar uma conexão wireless, você insere o cartão no leitor, espera que ele reconheça as informações e, quando aparecer a caixa de diálogo, clique na opção para instalar o software.

Depois disso, com a ajuda de uma interface de Web, acessa a conexão wireless, escolhe uma pasta do PC para salvar as fotos e selecione – entre uma lista de 17 opções – qual o site de compartilhamento ou blog em que deseja carregar as imagens. Essa lista inclui os sites mais famosos, como Shutterfly, Facebook, Flickr e TypePad. Sentimos falta do Blogger (a empresa afirmou que incluirá novos sites em breve). Escolhemos o Album Online Picasa, do Google; você pode organizar as fotos em pastas de acordo com a data em que foram tiradas ou que foram baixadas.

Segundo a fabricante, se o PC que estiver usando já tiver uma conexão wireless pronta, o software pode encontrar a chave criptografada e habilitar essa capacidade automaticamente – só que isso não funcionou no nosso sistema. Fizemos o processo manualmente, e até que não deu tanto trabalho. O cartão pode servir para quase qualquer conexão wireless; nos testes, não funcionou no T-Mobile Hotspot, por exemplo.

Uma ótima característica do Eye-Fi é que ele deixa você carregar imagens de qualquer tamanho ou resolução. A câmera One EasyShare da Kodak não permite isso. Ela só aceita o próprio serviço de compartilhamento de fotos e sua resolução padrão (baixa).

O ruim de transferir qualquer tamanho de arquivo é que eles costumam demorar para serem carregados. Testamos o cartão com uma câmera de 12 megapixels, a Canon Powershot G9. Para 6 MB, foi necessário, em média um minuto. A câmera estava bem próxima a um roteador Linksys, que é conectado a um serviço de internet a cabo padrão, com a humilde velocidade de 384 KB.

++++

Neste caso, a conexão de banda era provavelmente a maior responsável pela lenta transferência. Com o cartão Eye-Fi, entretanto, você está sempre à mercê da sua conexão de Internet, não da sua velocidade LAN. Isso acontece porque o cartão carrega as fotos para o site que você determinou antes de copiá-las para o disco rígido do PC. De outra forma, você poderia ter as imagens mais rapidamente. Mas é possível continuar tirando fotos enquanto o cartão faz a transferência e, obviamente, o processo foi muito mais veloz quando tiramos fotos em baixa resolução.

Achamos a abrangência do cartão limitada – o que não surpreende, dado a antena ter que caber dentro dele. Com a Powershot G9 e a Casio Exilim EX-S880, uploads freqüentemente são interrompidos em distâncias de aproximadamente 6 metros, e acima disso, ele simplesmente não funciona. (Essas distâncias não prejudicam o desempenho do notebook Thinkpad X40 da IBM nem do adaptador wireless acoplado ao TiVo).

Obtivemos melhores resultados com uma FujiFilm FinePix F50fd, que funcionava sem problemas em distâncias de cerca de 9 metros. Com todas essas câmeras, o cartão reiniciou automaticamente a transferência quando voltamos para a área de cobertura. A Eye-Fi alega que essa área seria um pouco maior do que a que percebemos nos testes: até 14 metros deveria funcionar adequadamente.

Sempre que você tira uma foto, o cartão deveria começar a carregá-la instantaneamente. Na maioria das vezes, foi isso que aconteceu. Mas às vezes ele demorou alguns minutos antes de iniciar a transferência. Segundo a fabricante, o cartão requer só cinco por cento a mais de energia do que um cartão SD com fios normal. O código dentro do cartão, que controla os componentes wireless, tem capacidade para 13 KB de espaço, o que significa que o cartão tem boa capacidade para trabalhar com fotos.

O fato de ter que manter a câmera próxima do roteador e verificar sempre se ela está ligada, para garantir a transferência em conexões baixas, não agrada. Mas o preço o torna interessante. Um cartão SD de 2 GB custa em média 30 ou 40 dólares. Portanto, o preço da característica wireless fica em torno de 60 ou 70 dólares – um valor justo, mesmo com as limitações do produto.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site