Imagem de fundo do header
Portátil ao preço de desktop
Home  >  Review
REVIEW

Portátil ao preço de desktop

Latitude 110L combina tecnologia atual, visual despojado e custo acessível

Mário Nagano

Foto:

Dell Latitude 110LPara ser barato, um computador não precisa ser obsoleto. Esta parece ser a máxima seguida pela Dell no desenvolvimento do Latitude 110L. Apesar da falta de sofisticação e do despojamento, o novo notebook da marca utiliza tecnologia móvel atual – sua base é a segunda geração da plataforma Centrino.  O PC World Test Center avaliou uma versão do equipamento com processador Celeron M 350 de 1,3 GHz, tela LCD de 14 polegadas padrão XGA (1.024 por 768 pontos), 512 MB de memória SDRAM DDR 333 (on-board), disco rígido de 30 GB, CD-ROM de 24x e uma miniplaca de rede sem fio Dell 1450, compatível com os padrões 802.11ª/b/g.

Para baratear o custo, a Dell precisou fazer algumas concessões: o projeto do 110L é baseado no chipset Intel 910GM, uma versão simplificada do 915GM com interface gráfica que utiliza apenas 64 MB de memória compartilhada, ao contrário do 915GM, que pode alocar até 128 MB. Além disso, o 110L abre mão de outros recursos como memória DDR2, som de alta definição HDA e discos SATA.
Quem julgar a configuração muito básica pode incrementar o notebook com itens como chip Pentium M 725 (1,6 GHz), tela XGA de 15 polegadas, gravador de CD ou DVD, disco de maior capacidade (até 60 GB) e memória (mais 1.024 MB). Além da bateria de hidreto de metal níquel, com autonomia estimada em duas horas, a Dell oferece, opcionalmente, uma unidade de íons de lítio, prevista para suportar até três horas de trabalho.

As interfaces do 110L limitam-se a três portas USB, uma de rede de
10/100 Mbits, modem, saída SVGA, som e um slot PCMCIA. O equipamento ainda conta com um slot interno para a instalação de cartão de rede sem fio.
Como era esperado, o desempenho do 110L com o processador Celeron M de 1,3 GHz foi modesto, atingindo 64 pontos no PC World-Bench 5, 109 pontos no Sysmark 2004 e 2.295 pontos no PCMark 2004. Esses resultados ficam abaixo das marcas obtidas pelos portáteis testados pelo PC World Test Center em fevereiro deste ano, todos equipados com Pentium M de 1,4 a 1,7 GHz. Entretanto, a aceleradora gráfica Intel GMA 900 mostrou força nos testes de gráficos, alcançando 3.130 pontos no 3DMark 2001 SE e superando todos os equipamentos dessa avaliação. Nos testes de autonomia de bateria com o MobileMark 2002, o Latitude 110L funcionou a todo vapor por 122 minutos, um desempenho apenas razoável, mas dentro do prometido.

Apesar de parecer uma opção atraente para automação de força de vendas, o 110L é um pouco pesado (2,87 quilos) para ser carregado o dia inteiro. Para esse trabalho, outros modelos de linha da Dell, como o D510 ou o D610 (1,89 e 2,21 quilos, respectivamente), são mais indicados.  Mas, para quem procura um portátil simples e acessível e que, de quebra, possa substituir o desktop, o Latitude 110L pode ser uma boa pedida.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site