Imagem de fundo do header
Duas vezes Centrino
Home  >  Review
REVIEW

Duas vezes Centrino

Com o uso de dois núcleos em um único chip, a tecnologia Centrino Duo promete maior desempenho e menor consumo. Avaliamos sete notebooks

Mário Nagano

Foto:

Com o uso de dois núcleos em um único chip, a tecnologia Centrino Duo promete maior desempenho e menor consumo. Avaliamos sete notebooks

Como melhorar o desempenho dos processadores para notebooks sem aumentar consideravelmente o consumo de bateria? Para responder a essa pergunta, a Intel aposta no Centrino Duo, tecnologia que trabalha com dois núcleos em um único processador. Segundo a fabricante, a solução mais óbvia – acelerar o chip – não é mais a melhor alternativa. Por quê? De acordo com a Intel, para acelerar em 20% os modelos atuais, seria necessário aplicar 73% a mais de energia, com ganho de desempenho de apenas 13%. Quando se desacelera o mesmo chip em 20%, o consumo de energia cai quase pela metade e a performance é reduzida nos mesmos 13%. Diante desse quadro, em vez de aumentar a velocidade dos processadores, a Intel investiu no uso de dois núcleos desacelerados para chegar ao mesmo resultado, consumindo quase o mesmo que um núcleo convencional – ou seja, obter o máximo desempenho com o mínimo de consumo.

N9950_200x216Para conhecer o resultado dessa iniciativa, o PC World Test Center avaliou sete modelos de notebook com a tecnologia Centrino Duo, muitos deles em primeira mão. A avaliação reúne o NB900, da Accept; o N9950 (foto ao lado), da Novadata; o Infinity IS1525, da Semp Toshiba; o Latitude D820, da Dell; o Pyxis V.5F, da ez-Go; o T1 Express Dual, da LG; e o ThinkPad T60 (2007-46U), da Lenovo. Por se tratarem de máquinas com características bem distintas – os pesos variam de 1,6 quilo a 2,7 quilos e os preços ficam entre 4,7 mil reais e 10,5 mil reais, por exemplo –, optamos por não conceder o prêmio de Best Buy a nenhum produto. Mas todos foram avaliados segundo a mesma metodologia, o que permite a você conhecer os pontos positivos e negativos de cada equipamento e fazer a escolha adequada às suas necessidades, seja pelo preço, seja pelo desempenho, seja pelo conjunto de recursos. 

Veja também
Tabela completa de características dos notebooks com Centrino Duo

Além do processador, a plataforma Centrino Duo inclui o novo chipset Intel 945 GM/PM e a placa Intel Pro Wireless 3945 a/b/g. O Core Duo (antes conhecido pelo codinome Yonah) possui um barramento FSB de 667 MHz e 2 MB de cache L2 compartilhado entre os dois núcleos. Todos os novos chips virão com um novo gerenciador de energia capaz de desligar um dos núcleos de processamento caso a carga de trabalho seja leve, contribuindo assim para o aumento da autonomia da bateria. A nova plataforma estará disponível em várias versões, de acordo com o preço e o consumo. A linha T, por exemplo, começa com o T2300 de 1,66 GHz e vai até o T2600 de 2,16 GHz. A série L terá, inicialmente, duas versões, o L2300 de 1,5 GHz e o L2400 de 1,66 GHz, enquanto a série U deve estrear com o U2500 de 1,06 GHz. 

T1 - 200x194Dos sete participantes desta comparação, seis notebooks são equipados com os chips T2300 de 1,66 GHz e T2400 de 1,83 GHz. A exceção ficou por conta do T1 Express Dual (foto ao lado), com um Core Duo L2300 de 1,5 GHz. Em seis dos sete casos, o chipset adotado foi o Mobile Intel 945 GM, sufixo que indica que a máquina já vem com aceleradora gráfica GMA 950 integrada. O T60, da Lenovo, foi o único com o 945 PM (sem gráficos), optando pelo uso da aceleradora Mobile Radeon X1300 da ATI, com 64 MB de memória de vídeo. Essa combinação de processador de 1,83 GHz com a GPU ATI garantiu ao T60 os melhores resultados nos testes de desempenho. 

T60 - 200x224Como seus antecessores, o T60 (ao lado) é uma máquina de desenho sóbrio, bem ao gosto do mercado corporativo, que aprecia seus recursos de confiabilidade e segurança, entre eles o sensor biométrico para a leitura de impressões digitais e o chip de segurança, capaz de criptografar desde senhas confidenciais até o disco rígido inteiro. A preocupação com a segurança também está presente no T1 Express Dual. Este modelo da LG inclui sensor biométrico e chip de segurança. Outro ponto forte são seus recursos para entretenimento, como o gravador de DVD e a tela wide de 1.440 por 900 pontos com acabamento brilhante.

latitude - 200x209Por falar em tela, a maior delas é apresentada pelo Latitude D820 (ao lado). O portátil da Dell é equipado com um generoso LCD de 15,4 polegadas wide de 1.680 por 1.050 pontos. Em outras palavras, é uma alegria para os olhos de quem deseja o máximo de imagem no menor espaço de tela possível. O preço a ser pago por isso é a maior dimensão do notebook, tanto que o Latitude D820 enquadra-se na categoria dos portáteis indicados para substituir computadores de mesa. O produto da Dell decepciona apenas no desempenho.  Infinity - 200x208Apesar de usar um Core Duo de 1,66 GHz e não ter uma performance propriamente ruim, sua pontuação não se compara ao de seu antecessor, o Latitude D810. O Infinity IS1525 (ao lado) tem tela do mesmo tamanho da do display do Latitude D820, mas com resolução nativa de 1.280 por 800 pontos. 

Pyxis - 200x201Entre os notebooks mais compactos, o destaque é o Pyxis V.5F (abaixo), da ez-Go. Pouco maior que um caderno universitário e com apenas 1,6 quilo, ele já vem com gravador de DVD, item incomum em equipamentos desse porte. Com gabinete na cor branca, o Pyxis V.5F integra ainda uma webcam que pode ser destacada para fora do equipamento, além de funcionar como câmera de vigilância com o uso de um utilitário que acompanha o produto. O ponto fraco do equipamento é a bateria interna com apenas três células, o que resultou na menor autonomia deste comparativo (94 minutos). A maior duração de bateria ficou com o portátil da LG, que trabalhou por 3h47min.

NB900 - 200x192O NB900 (ao lado), por sua vez, é fruto da estratégia da Intel de incentivar integradores a montar notebooks, a exemplo do que já acontece com os desktops. O notebook da Accept avaliado por PC WORLD parece simples à primeira vista, mas seus recursos não ficam a dever aos modelos de grife, incluindo tela wide, webcam, Wi-Fi 802.11 abg e um preço muito atrativo (4.699 reais).

notebooks core duo graficos_294x537

++++

E vem aí a nova geração
A Intel programa o Meron para o segundo semestre

O Centrino Duo deixou uma impressão bastante positiva. Os processadores da família devem ser usados em notebooks avançados, ficando para o Sonoma (atual Centrino de segunda geração) o papel de atender ao mercado de baixo custo.  Mas, apesar de todo o alarde em torno dos novos chips, a Intel pretende lançar um novo processador Core Duo – o Meron – ainda no segundo semestre deste ano para substituir o modelo atual. Pode parecer estranho o lançamento de um processador que terá sobrevida inferior a um ano, mas esse parece ser um mal necessário. O Meron vem para acabar com um dos problemas da plataforma atual: a falta de suporte para 64 bits, um requisito muito importante com a chegada do sistema operacional Windows Vista.

++++

A vez da AMD
Empresa prepara seus processadores de núcleo duplo para portáteis

Engana-se quem acha que a AMD dorme no ponto em relação aos chips móveis com núcleo duplo. A empresa não faz muita distinção – em termos de interface – entre um chip móvel e outro para desktop. Assim, o lançamento de um processador dual core móvel depende apenas da reformulação de plataformas que a fabricante pretende realizar a partir do segundo semestre com o lançamento dos soquetes AM2 e S1.

Segundo a AMD, os primeiros processadores móveis dual core serão o Turion 64 x2, versões TL-50,
TL-52, TL-56 e TL-60, com clocks que variam de 1,6 GHz a 2,0 GHz, e o Mobile Athlon 64 x2, nas versões 3800+ e 4200+. O Turion 64 x2 é a versão que valoriza as características de mobilidade (entenda-se, baixo consumo de energia), enquanto o
Mobile Athlon 64 x2 será um produto mais focado em desempenho, ou seja, dedicados para desktop replacements ou workstations móveis. A diferença básica entre os dois modelos é que o Turion 64 x2 utilizará o soquete S1, específico para portáteis, enquanto o Athlon 64 x2 usará o AM2, mais voltado para desktops. O segmento de máquinas de baixo custo continuará a ser atendido por um novo chip single core, o processador Mobile Sempron, também com soquete S1.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site