Imagem de fundo do header
O contra-ataque da Intel
Home  >  Review
REVIEW

O contra-ataque da Intel

Novos processadores Core 2 Duo superam chips da AMD em 17% e conquistam pontuação recorde nos testes da PC World americana

Por Eric Dahl - PC World EUA

Foto:

Novos processadores Core 2 Duo superam chips da AMD em 17% e conquistam pontuação recorde nos testes da PC World americana

Core2Duo Com a nova linha de chips Core 2 Duo, lançados no final de julho, a Intel dispara um forte contra-ataque em sua rival, a AMD, retomando a supremacia na área de processamento para desktops. Testes realizados pela PC World americana mostram que computadores equipados com os novos componentes conquistaram pontuação recorde para desempenho para os computadores de mesa – eles são, disparados, os mais velozes já testados pela publicação.

No pacote de testes WorldBench 5, o sistema de referência equipado com o Core 2 Duo da Intel alcançou nota 17% mais alta que a obtida por um sistema equivalente com o chip high-end Athlon 64 FX-62 da AMD. Também testamos PCs que estão sendo lançados com vários chips da família Core 2 Duo, incluindo uma máquina com sistema em overclock refrigerada a água que obteve 181 pontos, a nota mais alta no WorldBench até hoje.

Todas as configurações avaliadas com o Core 2 Duo tiveram desempenho impressionante. Os modelos topo da linha, em especial, permitirão que usuários avançados façam trabalhos multimídia pesados em seus PCs com maior rapidez e executem diversas tarefas simultaneamente com maior eficiência. Os games também ficarão muito mais velozes em sistemas equipados com os novos chips.

A linha de processadores Core 2 Duo vai do chip E6300 de 1,86 GHz, com 2 MB de cache (cotado a US$ 183 nos Estados Unidos – os preços ainda não foram divulgados no Brasil) ao chip Core 2 Extreme X6800 de 2,93 GHz, com 4MB de cache (US$ 999). Todos utilizam barramento de 1.066 MHz. Os chips Core 2 Duo usam as mesmas interfaces Socket 775 dos atuais chips Pentium 4 e Pentium D, mas exigem novos chipsets. Portanto, o usuário precisará de uma nova placa-mãe. Os sistemas de referência Core 2 Duo testados têm uma placa-mãe com o chipset 975X Express da Intel (motherboards com o chipset P965 Express também serão disponibilizadas). NVidia e ATI oferecem suas próprias placas Core 2 Duo.

Potência de sobra

A configuração da motherboard para teste inclui uma placa Intel 975X Express, 2 GB de memória DDR2-667, duas unidades de disco rígido SATA e uma placa gráfica com NVidia GeForce 7800GT. Foi utilizado primeiro um chip Core 2 Extreme X6800 de 2,93 GHz e depois um chip Core 2 E6700 de 2,67 GHz nesta configuração para produzir pontuações que pudéssemos comparar diretamente com um sistema de idêntica configuração, baseado na nova plataforma AM2 para DDR2, da AMD, e seu processador FX-62, topo de linha.

Ambas as configurações com Intel superaram o sistema da AMD em cada item do WorldBench 5, bem como em todos os testes de games (veja tabela). Surpreendeu, especialmente, o aprimoramento nas avaliações de multitarefa, que envolvem realizar uma sessão de navegação na web com o Mozilla e, ao mesmo tempo, codificar um arquivo com o Windows Media Encoder. O usuário também terá grande melhoria com o Photoshop e programas gráficos similares.
O sistema de referência Core 2 Extreme X6800 obteve 160 pontos no WorldBench 5, 17% acima dos 137 alcançados pelo sistema equivalente com o Athlon 64 FX-62, da AMD. O PC com o chip E6700 obteve 153 pontos no WorldBench – ainda 12% superior à nota do PC com o FX-62.

++++

core2duoextremeAlém dos computadores montados no laboratório, testamos vários PCs fornecidos por fabricantes. Por exemplo, o XPS 700, um sistema high-end da Dell baseado no processador Duo E6700 de 2,67 GHz, com 2 GB de RAM, uma placa gráfica Dual-GPU NVidia GeForce 7950 GX2, com 1GB de SDRAM e duas unidades de disco rígido SATA de 320 GB em um array Raid 0. Este sistema também alcançou 153 pontos no WorldBench 5, bem à frente dos 142 obtidos pelo segundo colocado, um sistema Xi baseado no AMD Athlon 64 FX-60 de 2,6 GHz.

Mas até mesmo estas notas excelentes ficam aquém da performance do sistema com overclock que a empresa ABS enviou. O ABS Ultimate X9, refrigerado a água (com 2 GB de RAM, um par de placas gráficas Radeon X1900 Crossfire, dois supervelozes drives SATA Western Digital de 150 GB configurados um chip Core 2 Extreme X6800 acelerado para 3,5 GHz) recebeu nota 181 no WorldBench 5. Obviamente, este sistema (disponível nos Estados Unidos) não é a opção ideal para compradores medianos, mas sua pontuação foi, de longe, a mais alta já vista em um sistema fornecido.

Aprimoramento na arquitetura

É improvável que a ABS pudesse extrair performance de overclocking tão impressionante de seu sistema Core 2 Extreme se a Intel não tivesse se esforçado muito para reduzir o consumo de energia na arquitetura Core. A geração anterior dos chips Pentium Extreme Edition da Intel consumia até 135 watts de energia. O Core 2 Extreme X6800 gasta apenas 75 watts, de acordo com a especificação do desenho térmico da Intel. Os Core 2 Duo mais avançados baixam este número para 65 watts. Por isso, a ABS teve espaço livre para um overclock drástico do seu sistema. Além do mais, este desenho possibilitará que os fabricantes criem PCs de alta performance em gabinetes menores e mais silenciosos.

A Intel desenvolveu a microarquitetura Core a partir do zero, enfocando múltiplos núcleos de CPU, alta performance e consumo de energia mais baixo. Há muita tecnologia em uma pastilha de 65 nanômetros. Aplicando as lições aprendidas na criação das bem-sucedidas CPUs Pentium M (mobile), primeiro a Intel aprimorou sua linha móvel e liberou os processadores Core Duo. Depois, a empresa se empenhou em fortalecer o desempenho de seus chips para desktop, ao mesmo tempo que reduzindo drasticamente o consumo de energia. Quando o PC está ocioso ou rodando apenas alguns aplicativos simples, por exemplo, o Core 2 Duo pode desacelerar o clock ou desligar partes para poupar energia.

Grande parte da superioridade de desempenho e do Core 2 Duo sobre seus predecessores Pentium vem de uma unidade de execução adicional em cada núcleo da CPU. (Os chips Core 2 Duo têm quatro unidades destas por núcleo, contra três do Pentium D.) A unidade adicional, combinada à codificação inteligente que permite ao chip fundir grupos comuns de instruções, possibilita que os chips Core 2 Duo superem os chips Pentium D que executam a velocidades de clock mais altas.

Os 4MB de cache L2 mantêm os chips Core 2 Duo high-end com os dados de que necessitam para trabalhar a toda velocidade. Embora a maioria dos chips dual core – incluindo a linha Athlon 64 da AMD e as CPUs Pentium da Intel – dedique um determinado volume de cache a cada core da CPU, o Core 2 Duo proporciona acesso compartilhado aos 4 MB de cache inteiros. O chip também pode distribuir este cache entre seus núcleos de acordo com a necessidade. Se um deles está se debatendo com uma tarefa particularmente complexa, pode usar a maior parte do cache L2, enquanto o outro núcleo executa uma tarefa simples que demanda menos memória cache.

++++

A resposta da AMD

A Intel produziu um vencedor com o desenho do Core Duo 2. E, pela primeira vez em anos, apresenta uma vantagem de performance clara sobre a AMD, rival de longa data. Embora o cenário de desempenho no curto prazo possa parecer árido para a empresa, não se deve subestimá-la.

A AMD planeja fazer cortes de preços agressivos. E, ainda este ano, lançará a 4x4, uma plataforma para usuários avançados que capacita sistemas a trabalharem com um par de chips dual core high-end. Ainda são raros os aplicativos e jogos que se beneficiam plenamente de múltiplos núcleos de CPU, mas o desempenho (e o preço) dos sistemas 4x4 deverá ser bem alto.

Futuramente, a AMD abrirá o HyperTransport, permitindo que outras empresas projetem co-processadores e aceleradores especializados e os coloquem no mesmo barramento superveloz, utilizado pela AMD para transferência de dados entre CPU, RAM e outros componentes principais de um sistema. Esses componentes poderão ser embutidos em um encapsulamento para sistemas com múltiplos soquetes ou projetados como placas de expansão para um novo tipo de slot batizado de HTX.

Esta iniciativa, que a AMD está chamando de Torrenza, estreará na área dos servidores, onde sistemas com múltiplos soquetes já são lugar comum e processadores especializados podem acelerar operações de banco de dados ou código Java. Aplicações para desktop e games ainda demorarão. Mas, se a demanda for suficientemente alta, co-processadores gráficos ou físicos baseados no Torrenza poderão aparecer nos próximos anos.

Apesar de serem tecnologias interessantes, 4x4 e Torrenza provavelmente não terão grande impacto. A AMD dará a verdadeira resposta ao Core 2 Duo em 2007, quando pretende lançar a arquitetura de CPU de próxima geração, que atende pelo codinome K8L. Os processadores K8L e single-chip quad-core (quatro núcleos em um chip) serão compatíveis com placas-mãe 4x4, segundo a AMD.
Enquanto isso, independente de seu budget, usuários de PC exigentes têm uma opção de alta performance na linha Core 2 Duo, que manterá aplicativos que fazem uso intensivo do processador rodando a todo vapor.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site