Imagem de fundo do header
Vida nova para vídeos antigos
Home  >  Review
REVIEW

Vida nova para vídeos antigos

Gravador da Sony transfere filmes para o formato digital sem o uso do computador

Por Mário Nagano

Foto:

Gravador da Sony transfere filmes para o formato digital sem o uso do computador

Sony VRD-MC1Passar fitas de vídeo para o DVD pode ser um processo complicado para quem não está familiarizado com o mundo da edição de vídeo. Ele envolve captura, conversão do sinal analógico para o digital, codificação e montagem de conteúdo.

Para facilitar as coisas, há equipamentos como o DVDirect VRD-MC1, da Sony, um impressionante gravador capaz de produzir um disco de DVD diretamente do videocassete ou filmadora, sem a necessidade do uso do computador.

O equipamento mede apenas 20,4 centímetros de largura, por 6,5 de altura e 22,2 cm de profundidade, pesa 1,75 quilo e também pode trabalhar ligado a um PC (como gravador de DVD comum), conectado à impressora fotográfica ou de modo independente
(standalone), como gravador de vídeo.

Seu processo de gravação é bastante simples: basta colocar um DVD no aparelho (que pode ser do tipo +/-R, +/-RW ou Dual Layer), ligar a fonte de sinal de vídeo e iniciar o processo, pressionando a tecla Rec. O DVDirect consegue armazenar vários filmes na mesma mídia.

Um item de grande ajuda é sua pequena tela LCD de 2 polegadas, que orienta tanto o usuário no comando dos controles como verifica o sinal de entrada e o vídeo gravado. Essa solução seria perfeita, se não fosse pela falta de um alto-falante para monitorar o sinal de áudio.

Com relação à capacidade de armazenamento/ tempo de gravação, o DVDirect trabalha com cinco níveis de compressão, de 1,5 hora (HSP) até 6 horas (SLP), tomando como referência os DVDs de 4,7 GB (os mais comuns do mercado). Esses períodos praticamente dobram nas mídias dual layer.

Como era de se esperar, quanto maior o nível de compressão, pior a imagem. Vale a pena lembrar que o resultado final também depende da qualidade da gravação original.

O DVDirect é capaz de inserir marcas de índice (capítulos) durante a gravação, que podem ser feitas manualmente ou automaticamente, em períodos regulares de cinco a quinze minutos.

Outro recurso interessante do aparelho é sua capacidade de criar slide shows em DVD a partir de fotos digitais contidas em cartões de memória. Para isso, o equipamento dispõe na sua lateral direita de slots para cartões SD/MMC, xD, CF e Memory Stick/Duo. Ao conectar uma impressora com porta PictBridge ao equipamento, é possível imprimir fotos.

Nos testes realizados, o aparelho funcionou dentro das expectativas, gravando mídias com facilidade. Pena que o processo de produção seja lento (pode levar várias horas), mas isso está mais relacionado à captura do vídeo do que à gravação do DVD, que é feita praticamente em tempo real.

Uma desvantagem do produto está relacionada ao nível de automatização, que impede que o usuário faça coisas simples, como renomear os arquivos. Por tratar-se de um processo de gravação em tempo real, qualquer acidente, como a interrupção do sinal de vídeo ou errar na estimativa de tempo, pode levar à perda da mídia.

Apesar de ser uma boa opção para a conversão do conteúdo de fi tas para DVD, o DVDirect não funciona bem como gravador de programas de televisão, pois não dispõe de sintonizador de TV ou mesmo de timer com data e hora em tempo real.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site