Imagem de fundo do header
Software protege usuários da ação de keyloggers
Home  >  Review
REVIEW

Software protege usuários da ação de keyloggers

GuardedID evita que senhas sejam capturadas - mas só funciona com o Internet Explorer

Por Renato Rodrigues

Foto:

GuardedID evita que senhas sejam capturadas - mas só funciona com o Internet Explorer

GuardeID_100x120.jpgO mundo dos malwares, os softwares nocivos que atazanam a vida dos internautas, não pára de gerar novidades desagradáveis. Qualquer pessoa que tem um PC já foi vítima ou ouviu falar de pragas virtuais que podem abrir portas para invasões ou exibir propaganda indesejada enquanto se navega na web.

Ameaça pouco conhecida, o keylogger é um programa malicioso que registra toda a digitação no micro (literalmente, cada toque no teclado) e que envia por e-mail o relatório para um hacker. A disseminação costuma acontecer via mensagens contaminadas ou após um clique impensado em links suspeitos. Muitos deles não são detectados pelos antivírus.

Como evitar esse tipo de ameaça? Esse é o objetivo do GuardedID, software lançado pela Strike Force Technologies. A instalação e o uso do produto são de uma simplicidade extrema. Basta baixá-lo, seguir as instruções da tela e reiniciar a máquina. Da próxima vez em que o navegador for aberto, ele aparecerá (ou deveria aparecer) como uma barra de ferramenta no menu. Basta clicar no termo Activate para acionar o programa, que passa a exibir o termo Secured. As opções de confi guração são mínimas.

E como funciona o GuardedID? Segundo a fabricante, ele age no primeiro dos níveis de comunicação entre o teclado e o aplicativo (por ordem: porta do dispositivo, sistema operacional, driver do teclado, servidor de mensagens e o browser). O antikeylogger codifica os comandos digitados e os envia, através de um “túnel seguro”, ao navegador com criptografi a de 128 bits.

PC WORLD testou o GuardedID em um computador com Windows XP Professional. A instalação consumiu menos de cinco minutos, mas, após a reinicialização, foi preciso adivinhar que era preciso clicar com o botão direito na parte superior do browser e habilitar a exibição da barra com o nome do software.

O programa só funciona com o Internet Explorer, versões 6 e 7. Quem adotou o Mozilla Firefox justamente para fugir das intermináveis falhas do IE fica a ver navios (a fabricante promete lançar em breve uma versão para Firefox).

Quanto à promessa básica, o aplicativo cumpre o que diz. PC WORLD instalou quatro keyloggers na máquina, sendo três “legalizados” e um “clandestino” – vários softwares de monitoramento são vendidos por empresas de segurança, como ferramenta para as empresas controlarem o uso de suas máquinas pelos funcionários ou até para maridos/esposas vigiarem o comportamento online do cônjuge. Já a ferramenta clandestina veio do submundo da internet.

Depois de ativado, o GuardedID realmente escondeu deles tudo o que foi digitado no browser. Como seu uso é restrito ao navegador, o aplicativo pode dar ao usuário uma falsa sensação de segurança em relação a outros dois programas tão comuns quanto o browser: o e-mail e o mensageiro instantâneo.

Empresas e pessoas que fazem grande uso de sites de comércio eletrônico compõem um público que terá mais benefícios ao adotar o software que o internauta comum. Vale lembrar, também, que o programa não elimina a necessidade de um bom antivírus nem de um firewall.

Para saber mais sobre segurança online, acesse nosso Infocenter de Segurança

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site