Imagem de fundo do header
LG Optimus 3D: um cinema 3D no seu bolso
Home  >  Review
REVIEW

LG Optimus 3D: um cinema 3D no seu bolso

Smartphone Android exibe filmes e fotos, e também roda jogos, em 3D sem a necessidade de óculos especiais.

Rafael Rigues, PCWorld Brasil

Foto:

Filmes, fotos e jogos em 3D. Tudo isso no seu bolso, e sem a necessidade de óculos especiais para apreciar o efeito. Esta é a proposta do LG Optimus 3D, o primeiro smartphone com tela 3D no mercado nacional.

E ele não é uma simples ferramenta para consumo de conteúdo: com suas duas câmeras traseiras ele também é capaz de criar fotos e filmes em 3D, que podem ser vistas na tela do aparelho ou em qualquer TV 3D no mercado. Mas será que o 3D é suficiente para justificar a compra do aparelho?

Hardware

O LG Optimus 3D mede 12,8 x 6,8 cm, com 12 mm de espessura e peso de 168 gramas, o que o qualifica como um “grandalhão” nos dias de hoje. É mais largo, mais alto mais pesado do que o Milestone 3, por exemplo. Ainda assim, é o smartphone 3D mais fino e leve atualmente no mercado nacional. O fato de que é o único ajuda.

A frente é toda dominada pela tela, com 4 botões capacitivos (sensíveis ao toque) logo abaixo dela. As bordas são arredondadas, e na traseira ficam as lentes das câmeras e o flash. Na lateral direita fica um conector HDMI, que permite a ligação direta do aparelho a uma TV de alta-definição.

optimus3d_frente-360px.jpg
LG Optimus 3D

Um botão chamado “3D” na lateral esquerda (onde, em outros aparelhos, ficaria o botão da câmera) abre um “carrossel” com atalhos para os vários recursos relacionados a 3D no aparelho, da câmera a jogos, passando por vídeos 3D no YouTube e uma galeria de fotos e vídeos. 

O coração do aparelho é um processador dual-core da Texas Instruments rodando a 1 GHz, acompanhado por 512 MB de RAM. Tem 8 GB de memória interna (expansível com cartões microSD), uma enorme e brilhante tela de 4.3 polegadas com resolução de 480 x 800 pixels e três câmeras: duas traseiras de 5 MP, para fotografia, e uma frontal para videochamadas.

O efeito 3D

O LG Optimus 3D usa uma tecnologia batizada de “barreira paralaxe” para exibir imagens 3D sem a necessidade de óculos especiais. Simplificando, para cada cena em 3D a tela mostra duas imagens ao mesmo tempo, uma para cada olho, e um filtro sobre ela direciona as imagens para o olho correspondente. Nosso cérebro “funde” as duas imagens em uma só, dando a sensação de profundidade.

É a mesma tecnologia usada no console portátil Nintendo 3DS, e ela funciona bem. Os resultados variam um pouco de pessoa para pessoa: algumas são capazes de enxergar o 3D na hora, outras precisam de alguns segundos para ajustar os olhos. De qualquer forma, o resultado é sempre um sorriso e uma expressão de surpresa. 

Para que o efeito funcione o aparelho precisa estar “deitado” (modo paisagem) e você precisa olhar diretamente para a tela. Quem estiver ao seu lado em um avião espiando de “canto de olho”, por exemplo, verá apenas uma das imagens em 2D. Ainda assim, existe uma certa tolerância a pequenos movimentos laterais ou variações de distância entre o aparelho e os olhos: você não vai precisar segurar ele em frente ao rosto com precisão milimétrica.

Todos os que viram o aparelho me perguntaram se o efeito não iria deixar o usuário tonto ou com dor de cabeça. Depois de assistir um filme em 3D inteiro no aparelho, posso dizer que não: senti zero desconforto depois de mais de duas horas e meia encarando a telinha.

optimus3d_traseira-360px.jpg
Duas câmeras traseiras permitem a criação de vídeos e fotos em 3D

Software e Desempenho

O LG Optimus 3D roda o sistema operacional Android 2.2. E antes que os fãs mais fervorosos do robozinho comecem a reclamar, saibam que a LG promete para breve uma atualização gratuita para a versão 2.3. O fato é que no dia a dia há pouca diferença prática entre as duas versões do sistema, fora alguns recursos como a videochamada no Google Talk (que exigiria dois aparelhos com pelo menos o Android 2.3.4).

A interface foi levemente customizada pela LG, de forma similar ao que foi feito no Optimus Black: a lista de aplicativos, por exemplo, pode ser organizada por categorias (algo útil se você tem centenas de apps). Entre o pacote de software pré-instalado há um navegador de realidade aumentada (Wikitude 3D), o Polaris Office (capaz de ler e criar documentos nos formatos do Microsoft Office e se integrar a serviços online com o Google Docs) e uma galeria 3D com algumas amostras de fotos e filmes.

Também há jogos que tiram proveito do recurso 3D, como uma versão especial de Asphalt 6 da Gameloft. Um toque interessante: o jogo tem um controle na tela que permite ajustar a intensidade do efeito 3D, como no Nintendo 3DS. Nem todos os jogos tiram proveito do efeito, mas a LG promete lançar, até o final deste ano, um utilitário gratuito que será capaz de “converter” a maioria dos jogos já disponíveis. Uma boa notícia para os gamers.

Não temos do que reclamar do desempenho do Optimus 3D no dia-a-dia, tanto no modo 3D quando em 2D. Nos benchmarks ele ficou muito próximo do Milestone 3, que é baseado basicamente no mesmo processador, com 5010 pontos no benchmark AnTuTu contra 4983 no Milestone 3. Uma diferença praticamente insignificante. 

Camera

O Optimus 3D tem duas câmeras de 5 MP com flash integrado. Isso no modo 2D, porque se você quiser fotografar em 3D a resolução cai para 3 MP, e não é possível usar o flash. A seleção é feita com um botão na interface da câmera.

Nas fotos 3D o efeito é bastante interessante, especialmente se você explorar ângulos variados para dar profundidade às imagens. Infelizmente as cores são um tanto lavadas, especialmente nas fotos feitas em ambientes internos. Tanto em 2D quanto em 3D, em áreas de contraste entre luz e sombra a câmera dá prioridade à sombra, fazendo com que as áreas iluminadas fiquem consideravelmente superexpostas.

optimus3d_2dsample-360px.jpg

Nesta foto a calçada ficou superexposta e os detalhes sumiram. Clique para ampliar

Na hora de filmar, também há restrições: é possível gravar em Full HD (1080p) em 2D, ou HD (720p) em 3D. Os filmes são muito melhores quando feitos sob a luz do sol, já que em ambientes pouco iluminados as imagens são escuras demais. 

Se você fotografar em 3D poderá ver as fotos no próprio aparelho, ou em uma TV 3D conectada ao Optimus 3D via HDMI. Se vistas em um PC elas se parecem com fotos em 2D comuns, com dois ângulos da mesma cena lado-a-lado numa mesma imagem. O mesmo vale para vídeos em 3D.

optimus3d_3dsample-360px.jpg

Imagens em 3D são gravadas como duas cenas "lado a lado". Clique para ampliar

Bateria

Sempre que mostrei o Optimus 3D a alguém a primeira pergunta foi: “e a bateria disso?” A impressão geral é que, como o efeito 3D exige a exibição de duas imagens (uma para cada olho) para cada quadro de um filme, por exemplo, o consumo de energia seria duas vezes superior ao “normal” em 2D.  

A boa notícia é que não é assim que as coisas funcionam: a diferença no consumo entre os modos 3D e 2D não foi perceptível. A má notícia é que, de qualquer modo, a autonomia da bateria decepciona.

Fizemos um teste de reprodução de vídeo usando uma cópia em 3D de Avatar especialmente preparada para o aparelho. Antes colocamos o brilho da tela no automático, deixamos o GPS ligado e o Wi-Fi conectado. Após 2 horas e 35 minutos de filme tínhamos apenas 24% de carga restantes, com uma autonomia total estimada em pouco menos de 3 horas e meia no máximo. Dá para assistir Avatar, mas não uma das versões estendidas de “O Senhor dos Anéis”.

Infelizmente a baixa autonomia de bateria não se limita à reprodução de vídeo. Certa manhã usei o aparelho para navegar na web durante 45 minutos enquanto conectado a uma rede Wi-Fi, e nesse período ele consumiu 17% da carga da bateria. Ou seja, navegando na web ele não chegaria às 4 horas e meia de uso.

O padrão se repetiu no teste do “dia-a-dia”. Coloquei o brilho da tela em 50%, deixei o GPS e Wi-Fi ativo e ao longo de um dia naveguei na web por cerca de 1 hora, fiz 2 fotos, 3 ligações e enviei duas mensagens via SMS. No restante do tempo o aparelho ficou em repouso sobre uma mesa. Após apenas 11 horas fora da tomada recebi o primeiro alerta de bateria baixa (14% restantes), numa autonomia total de 13 horas de uso muito leve. Fazia tempo que não via um smartphone Android com autonomia tão baixa.

Trocando em miúdos, qualquer pessoa que queira usar um Optimus 3D no dia-a-dia vai precisar andar com um cabo USB ou carregador na bolsa, e memorizar a posição das tomadas mais próximas.

Veredito

Não podemos negar que o LG Optimus 3D é inovador, e cumpre muito bem a promessa de uma experiência em 3D. O efeito é consistente e não notamos desconforto algum durante nossas sessões com o aparelho, o oposto exato de alguns outros produtos 3D que passaram por nossa redação. Citando um colega de trabalho, ele “é impressionante”.

Infelizmente, todo pioneirismo tem seu preço. E no caso do Optimus 3D esse preço é o tamanho e a autonomia de bateria, sem falar no custo: R$ 1.999, sem subsídios de operadora. Se você faz questão do 3D, ele é a única opção no mercado. Mas se procura apenas um bom smartphone para o dia-a-dia há melhores escolhas, com preço menor e autonomia de bateria maior.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site