Imagem de fundo do header
LG Optimus One: Android 2.2 com preço acessível
Home  >  Review
REVIEW

LG Optimus One: Android 2.2 com preço acessível

Com tela de 3.2 polegadas, processador de 600 MHz e câmera de 3.2 MP, aparelho tem hardware modesto mas se sai bem no dia-a-dia

Armando Rodriguez, PC World EUA

Foto:

Apesar de ser um modelo com preço bastante acessível, o LG Optimus One se parece com um aparelho topo de linha. Os botões “clicam” do jeito certo. A tela, apesar de ser coberta com plástico, lembra muito as telas de vidro encontradas em muitos outros smartphones Android. As curvas o tornam confortável de segurar por longos períodos, e ele nunca “pesou” no bolso enquanto eu andava por aí. Com 130 gramas, o Optimus One é um pouco mais pesado do que aparenta, mas o peso só complementa a sensação de um aparelho de qualidade.

Leia também
» Motorola Milestone 2: em time que está ganhando não se mexe (muito)
» LG Optimus GT540 faz pouco, mas faz bem feito

O design lembra um pouco o Nexus One, da Google. A tela sensível ao toque (com tecnologia capacitiva) de 3.2 polegadas e resolução de 320 x 480 pixels ocupa quase toda a face do aparelho. Na traseira há uma câmera de 3.2 MP (sem flash) e na lateral direita ficam os botões de volume. Sob a tela há quatro botões: Menu, Home, Back e Search. No topo do aparelho fica o conector para fones de ouvido (com plugue padrão de 3.5 mm) e o botão de força, e na parte de baixo há uma porta micro-USB. 

lg_optimus_one-360px.jpg

Optimus One: Android 2.2 com baixo custo

Android 2.2 com “um toque LG”

O LG Optimus One roda o Android 2.2 (“Froyo”) com algumas modificações. Em vez de cinco telas iniciais, como na maioria dos aparelhos com Froyo, é possível ter até sete. Também há algumas mudanças na interface, como controles para ativar ou desativar Bluetooth, GPS e Wi-Fi integrados à barra de notificação no topo da tela.

Vale notar que, embora o Optimus One rode Android 2.2, ele não é compatível com Flash. Especula-se que isso seja devido ao seu processador mais lento (600 MHz) em relação a outros modelos no mercado. Uma alternativa para quem curte vídeos online é usar um navegador alternativo como o Skyfire (gratuito no Android Market), que converte automaticamente os vídeos em Flash para um formato compatível com o aparelho e ainda reduz o tamanho dos arquivos no processo, o que ajuda a poupar o plano de dados.

O Optimus One pode ser usado como modem 3G, compartilhando a conexão de dados com notebooks e tablets ao seu redor via Wi-Fi. Também tem um rádio FM, recurso ausente em muitos smartphones mas muito popular entre os usuários.

O aparelho vem com software de navegação (que o transforma em um GPS automotivo) e mapas da Navteq pré-instalados na memória interna. A vantagem deles, em comparação ao Google Maps, é que não é necessária uma conexão à internet para baixá-los, o que evita o consumo do plano de dados e permite o uso do GPS mesmo que você esteja em um local sem sinal de celular, como em uma estrada remota.

Desempenho

A autonomia de bateria é quase imbatível: consegui quase dois dias inteiros em uma só carga enquanto testava o aparelho para este review. O processador de 600 MHz levou a um pouquinho de lag (atraso) enquanto eu alternava entre as telas, e alguns aplicativos (como Angry Birds) podem demorar um pouco para carregar, mas isso não é nada grave. O que importa é que não notei nenhuma lentidão no uso geral, mesmo enchendo as telas com widgets e com um papel de parede animado no fundo.

Não fiquei impressionado com a qualidade das chamadas. Achei o alto-falante baixo demais por padrão, e tive de colocar o volume no máximo para ouvir as pessoas adequadamente. Meus interlocutores disseram que minha voz estava bem audível, porém um pouco abafada. O aparelho consegue filtrar bem o ruído de fundo, e em chamadas que fiz em um shopping center lotado só os sons mais altos escaparam. 

Multimídia

O Optimus One roda o media player padrão do Android, que não tem vários recursos avançados. O Rádio FM funciona bem, mas para isso você precisa plugar os fones de ouvido, já que o cabo é usado como antena. Ao tocar música o alto-falante interno produziu um som bastante claro, mas sem graves. A LG inclui um par de fones de ouvido com o aparelho, mas você provavelmente logo irá substituí-los por seus fones favoritos.

A câmera - com resolução de apenas 3.2 megapixels e controles limitados - desapontou. As cores são lavadas, e ela parece ter problemas ao focar quando há múltiplos objetos na cena. Como não há flash, não recomendo seu uso em locais com pouca luz, já que as imagens sairão muito escuras. É possível ajustar ISO e balanço de branco, mas em meus testes isso não ajudou muito.

O modo filmadora também é ruim, com imagens cheias de artefatos e som abafado. A resolução máxima é de 640 x 480 pixels (VGA), mas a taxa de quadros é de apenas 18 quadros por segundo (FPS), quando o ideal são 30.

Conclusão

O LG Optimus One é um aparelho Android 2.2 básico e com um preço acessível. Se você procura seu primeiro smartphone e não quer gastar muito ele é uma boa opção, ainda mais considerando que traz uma versão bastante recente do sistema operacional (Android 2.2). Entretanto, fanáticos por fotografia, vídeo ou jogos sofisticados podem se desapontar.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site