Imagem de fundo do header
LG SlidePad: um híbrido “deslizante” com o Windows 8
Home  >  Review
REVIEW

LG SlidePad: um híbrido “deslizante” com o Windows 8

Teclado basculante permite o uso do aparelho como um notebook e desaparece quando não está em uso, transformando-o em um tablet. A idéia é boa, mas execução deixa a desejar.

Rafael Rigues

LG_SlidePad_Abre-435px.jpg
Foto:

A indústria de PCs é como uma manada de bisões, onde todos os indivíduos seguem a mesma direção ou tendência. A atual, impulsionada pelo surgimento do Windows 8, são os híbridos, máquinas que tentam misturar as características mais atraentes de um tablet com a versatilidade de um notebook com Windows. Todo fabricante que se preza tem que ter pelo menos um.

Eles são uma tentativa se adaptar a um mercado onde as vendas de PCs estão em declínio e cada vez mais usuários optam por um tablet para atender às suas necessidades básicas de computação. O problema é que até o momento nenhum fabricante achou a “receita exata” para essa mistura entre tablets e notebooks, e o que vemos nesta primeira geração de híbridos no mercado é uma enorme variedade de formatos, conceitos e abordagens. 

O LG SlidePad é um destes experimentos, um “tablet” com um teclado completo que desaparece por trás da tela quando não está em uso. No papel é uma ótima idéia. Mas como em todo experimento, às vezes as coisas não saem exatamente como planejado.

Design e Hardware

À primeira vista o LG SlidePad parece um tablet, com a frente dominada por uma boa tela de 11,6” e resolução de 1366 x 768 pixels e a traseira em plástico branco. O que parece um simples logo metálico do Windows abaixo da tela é na verdade um botão “Home” que leva o usuário de volta à Tela Iniciar sempre que pressionado. A tela é sensível ao toque e pode registrar até 5 dedos ao mesmo tempo. Suficiente para todos os gestos do Windows 8.

lg_slidepad_tablet-600px.jpg
LG SlidePad no modo tablet

A maioria das portas e conectores fica “no topo” (quando o aparelho é segurado como um tablet, na traseira se ele for usado como um notebook): um conector proprietário para o carregador, uma porta HDMI para conexão a TVs de alta-definição, uma porta USB para conexão de periféricos (como mouses, HDs externos, pendrives, etc), uma porta micro USB e um conector para fones de ouvido e microfone. O controle de volume fica na lateral esquerda, e o botão de força e a trava de rotação da tela ficam na lateral direita, junto com um slot para cartões microSD.

Um detalhe curioso: na traseira do SlidePad há um espaço oval, coberto por uma peça de borracha, que tem o tamanho, formato e posição perfeitos para uma câmera traseira acompanhada por flash. Provavelmente ela era parte do projeto original, mas a LG mudou de idéia na última hora.

Há uma câmera frontal de 2 MP para videochamadas, mas ela está posicionada fora de centro, à esquerda do usuário. Isso e o ângulo de inclinação da tela fazem com que mesmo um usuário posicionado diretamente em frente ao aparelho e olhando para a tela apareça fora de enquadramento em uma videochamada, como mostramos na imagem abaixo. É preciso ficar consciente de sua posição em relação à câmera o tempo todo, o que é desconfortável.

lg_slidepad_webcam-600px.jpg
Webcam em posição fora do comum deixa o usuário fora do quadro

O principal destaque do SlidePad é o teclado: basta pressionar um botão na lateral esquerda e a tela desliza para trás e para cima, posicionando-se num ângulo de 45º e revelando um teclado completo abaixo dela. Não é um teclado “Full Size”: o espaçamento típico entre o centro de duas teclas adjacentes em um PC é de 19 mm, e no SlidePad ele é de 17 mm. A diferença parece pequena, mas significa que você terá um período de adaptação até se acostumar com a posição das teclas, especialmente se é um digitador veloz.

O layout no geral segue o padrão ABNT2, com poucas diferenças. Uma irritante (e comum em notebooks) é a posição da tecla ?, que fica junto com a W: para teclar ? é necessário digitar AltGr + W. Normalmente a tecla ? fica logo à esquerda da tecla Shift da direita, ao lado da tecla com : e ;. O que não faz sentido é notar que a mudança não foi por questão de espaço: existe uma tecla onde a ? deveria ficar, mas inexplicavelmente ela é a PrtScr (Print Screen), que pouquíssima gente usa no dia-a-dia.

lg_slidepad_teclado-600px.jpg
Teclado do LG SlidePad

Outra coisa que não é boa é o mecanismo que levanta a tela. Ele não inspira confiança, especialmente se considerarmos que o “Flat Cable” que transporta sinais entre o teclado e a tela está exposto ali atrás. Trata-se de um componente delicadíssimo, uma tira de plástico com a espessura de duas folhas de papel A4. E quem já teve um celular “slider” (com um teclado que desliza atrás da tela, como o Xperia Play ou os vários Motorola Milestone) sabe que o Flat Cable é a causa numero um de problemas ao longo dos anos: o simples ato de abrir e fechar o teclado gera desgaste mecânico na peça, que se rompe internamente, impedindo a passagem do sinal.

lg_slidepad_flat-600px.jpg
Flat Cable que liga as duas metades está exposto no mecanismo que levanta a tela

Além disso a posição do botão que levanta a tela, na lateral esquerda, é um problema. Tente levantar o SlidePad da mesa enquanto ele está no modo tablet e você muito provavelmente irá esbarrar no botão e fazer a tela subir, o que pode resultar em sustos.

O aparelho pesa cerca de um quilo, pesado se comparado a tablets com telas de 10” como iPad 4, Galaxy Note 10.1 e Nexus 10, todos na faixa de 600 gramas. Fechado como um tablet ele mede 28,6 cm de largura, 19,2 cm de altura e tem 1,6 cm de espessura. Por causa do mecanismo de abertura ele não parece sólido: mesmo fechada a tela oscila de acordo com o lugar onde você segura o SlidePad, algo mais perceptível se você segurá-lo com as duas mãos no modo retrato.

lg_slidepad_aberto-600px.jpg
LG SlidePad no modo notebook

Por dentro o SlidePad é baseado em um processador Intel Atom, o Z2760 rodando a 1.8 GHz, acompanhado por 2 GB de RAM. O modelo que testamos tinha 64 GB de memória interna, e deste total 7,5 GB são usados por partições de recuperação. Do espaço restante, descontando o usado pelo sistema operacional e aplicativos, cerca de 35 GB estão disponíveis para o usuário. 

Software

O LG SlidePad roda a mesma versão do Windows 8 usada em PCs (mais especificamente uma versão de 32 Bits), portanto é totalmente compatível tanto com programas escritos especificamente para o novo sistema e sua “Interface Moderna” quanto com todos os programas “desktop” desenvolvidos para versões anteriores do Windows que você já usa, incluindo o Microsoft Office.

A LG pré-instala pouca coisa junto com o sistema, o que é bom. Entre os programas inclusos pela fabricante estão um manual eletrônico (LG Easy Guide), um guia para identificação e solução de problemas (LG Troubleshooting), um utilitário para atualização de software (LG Update Center) e o cliente de bate-papo Line.

Desempenho e bateria

O processador Intel Atom Z2760 de 1.8 GHz do LG SlidePad não é nenhum campeão de desempenho, mas não reclamou durante as tarefas do dia-a-dia, seja na navegação na web, edição de textos ou reprodução de vídeo em alta-definição. Não é uma máquina para rodar jogos sofisticados, mas não teve problema com títulos mais casuais como Cut the Rope e Rayman Jungle Run.

lg_slidepad_carregador-600px.jpg
Carregador tem um plugue proprietário. Não o esqueça, ou será impossível recarregar o SlidePad

Em nossos testes de autonomia de bateria o LG SlidePad conseguiu cerca de 6 horas e 30 minutos no que chamamos de uso típico, conectado a uma rede Wi-Fi, reproduzindo música via streaming e rodando um mix de aplicativos modernos e desktop, entre eles o navegador Google Chrome com várias abas abertas. A LG promete “até 12 horas”, mas isso em um teste sintético como o MobileMark. Já no teste de reprodução de vídeo foram 5 horas e 53 minutos com o aparelho em modo avião. Em ambos os testes o brilho da tela foi manualmente ajustado para 50%.

Veredito

O LG SlidePad consegue evitar alguns dos erros de seus concorrentes: é muito menor e mais leve que o Lenovo IdeaPad Yoga 13 e segundo a LG custa R$ 2.499, pouco mais da metade do preço do HP Envy X2, que tem configuração similar. Infelizmente ainda é caro considerando o que oferece, e o tamanho e peso não adiantam muito se o hardware não inspira confiança.

Não foi dessa vez que um fabricante acertou a fórmula de um híbrido. Mas se você gosta da idéia, não se preocupe: temos certeza de que eles irão continuar tentando.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site