Imagem de fundo do header
Mini desktop da Zotac roda vídeo em alta definição
Home  >  Review
REVIEW

Mini desktop da Zotac roda vídeo em alta definição

Apesar de pequeno (tem a altura de uma caixa de DVD), PC Mag é bom em multimídia e consome cerca de três vezes menos energia que um desktop comum.

René Ribeiro, da PC WORLD

zotac-ilustra150.jpg
Foto:

Está em busca de um desktop pequeno, mas muito pequeno? Uma solução pode ser o PC Mag, fabricado pela Zotac. Tem dimensões de 18,9 centímetros por 18,6 cm (largura e altura) e apenas 3,8 cm de espessura. Ele pode ser usado deitado ou de pé, e até instalado atrás do monitor: um suporte para isso acompanha o produto.

Com isso ele vira quase um modelo "All-in-One", apesar da falta de um drive de DVD. Usá-lo dessa maneira pode ser uma boa opção para economizar espaço na mesa, porém o acesso aos conectores, portas USBs ou leitor de cartão de memória pode ficar desconfortável.

zotac-tamanho_350.jpg
Mini desktop PC Mag: do tamanho de uma caixa de DVD

Configuração
O PC Mag vem com processador Atom N330, de 1,6 GHz, 2 GB de memória padrão DDR2 800 e disco rígido de 160 GB. Tem interface de rede Gigabit Ethernet e Wi-Fi (rede sem fios) no padrão 802.11 b/g/n. A GPU ("placa de vídeo") é a GeForce 9400M, da nVidia. Não vem com sistema operacional, mas está pronto para o Windows XP, Vista, Windows 7 e Linux.

Apesar de pequeno, é bem servido de conectores. São seis interfaces USB 2.0, uma saída de vídeo VGA, uma saída de vídeo HDMI, conectores para fone de ouvido e microfone, slot para cartão de memória flash tipos SD/MS/MS Pro/xD e ainda um conector e-Sata para um disco rígido externo.

zotac_suporte350.jpg
Suporte para ser instalado atrás do monitor

zotac_montado-no-monitor350.jpg
PC Mag encaixado no suporte

pc-mag-vistasc-1.jpg
pc-mag-vistasc-2.jpg
pc-mag-vistasc-3.jpg

O pequeno computador é bem servido de conexões

Testes
O PC Mag é baseado na plataforma ION, da nVidia, que significa a combinação do processador Intel Atom com chip gráfico GeForce 9400M. Essa combinação faz com que o PC Mag reproduza vídeos em alta definição (1920 por 1080 pontos) sem sofrer perda nenhuma de desempenho.

O processador Atom 330 possui dois núcleos físicos e pode processar duas instruções por núcleo. Dessa forma o sistema ‘enxerga’ quatro núcleos. E mesmo sendo um processador para tarefas básicas, aceita sistemas operacionais de 64 bits.

Para os testes instalamos o Windows 7 Ultimate de 64 bits na máquina, junto com o pacote Office 2010 e executamos o Excel, Word e PowerPoint, além de abrir o navegador Internet Explorer para uso da internet. Esse uso básico de multitarefa foi um teste tranquilo para o PC Mag, sem perda nenhuma de desempenho do sistema, mesmo alternando entre tarefas.

Rodamos o software Handbrake para fazer conversão de vídeo, pois isso é um bom teste para o processador, já que essa conversão exige bastante processamento. Convertemos um vídeo de dez minutos em resolução HD (720p) para o formato do iPhone. Esse processo levou nove minutos e 18 segundos para ser executado. Para referência, uma máquina com processador Core 2 Duo de 2 GHz levou quatro minutos e dois segundos.

Além de rodar vídeos em alta definição, o chip gráfico do PC Mag possui outra vantagem. Ele é compatível com a tecnologia CUDA da NVIDIA, e pode ser usado para acelerar certas operações (como a conversão de vídeo) em softwares compatíveis. Provamos isso com o software Badaboom, que é otimizado para trabalhar com chips da nVidia. Convertemos o mesmo vídeo usado no teste anterior, mas desta vez a operação levou oito minutos e 12 segundos. Apesar de pouco ganho, já ajuda se formos converter um filme de duas horas.

O desempenho em games foi bom quando feito comparação com máquinas que utilizam chips gráficos com menor capacidade de processamento. FarCry 2, que tem gráficos pesados, atingiu 18 fps (fames por segundo) com gráficos na configuração média e 26 fps na configuração gráfica mínima do jogo. Bioshock 2, jogo mais recente e com bons gráficos, atingiu 29 fps em sua configuração mínima. Com 30 fps o jogo é considerado "jogável", com movimentação suave e sem engasgos, embora o ideal seja a marca de 60 fps.

Consumo de energia
O PC Mag ganha de qualquer outro desktop comum quando se trata de consumo de energia. Quando exigimos o máximo dele com um jogo, por exemplo, o computador atingiu o máximo consumo de 35 watts (sem contar o monitor de vídeo). Ele usa uma fonte externa do tamanho idêntico de um carregador de notebook. Um desktop comum, sem contar o monitor de vídeo, chega fácil aos 90 watts, isso sem nenhum chip gráfico de alto desempenho.

Pra quem procura uma máquina versátil e econômica, o PC Mag é uma boa pedida. Vai rodar aplicações de escritório, navegar na Internet e executar outros softwares sem susto, além de ser uma boa máquina para ouvir música e assistir vídeos em alta definição. O ponto negativo é que, por causa de seu tamanho diminuto, não é possível fazer um upgrade, como instalar um HD de maior capacidade ou ampliar a memória.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site