Imagem de fundo do header
Motorola Atrix: smartphone que vira netbook ainda precisa evoluir
Home  >  Review
REVIEW

Motorola Atrix: smartphone que vira netbook ainda precisa evoluir

O conceito é espetacular, mas a experiência oferecida pelo Atrix com a Lapdock ainda deixa a desejar

William Marchiori, para a PC World

Foto:

Depois das primeiras impressões, passamos algumas semanas com o Motorola Atrix e com a Lapdock, um acessório inovador que transforma o aparelho em um netbook.

Recapitulando, esse smartphone tem uma tela sensível ao toque de quatro polegadas, processador  Tegra 2 de 1Ghz e 1GB de memória RAM, e sistema operacional Android 2.2. A resolução da tela é a mais elevada em um aparelho Android: 960x640 pixels, a mesma do iPhone 4. As cores, por outro lado, não são tão vívidas quanto no Retina Display do iPhone ou nas telas Super AMOLED da Samsung.

Motorola Atrix

Um dos diferenciais é um leitor biométrico localizado na parte traseira do aparelho, que também serve como botão de força. Depois de cadastrar os dedos indicadores nas configurações, você pode simplesmente deslizar um deles sobre o sensor para desbloquear o aparelho. E a resposta é muito boa: não tivemos problemas ao abolir senhas e padrões e desbloquear a tela do aparelho apenas com esse recurso.

atrix_biometrico
Leitor biométrico permite destravar o aparelho com o dedo

Características gerais, como qualidade de fotos (a câmera tem 5 MP, com Flash) ou vídeos (gravados em alta-definição, 1280 x 720 pixels) são semelhantes a de outros smartphones Android topo de linha. Mas o desempenho, alimentado pelo "super processador" Tegra 2, da nVidia, é muito superior:  No benchmark Quadrant, que mede o desempenho geral do aparelho, o Atrix marcou 2199 pontos, enquanto o Galaxy S ficou nos 1003 pontos (quanto maior a pontuação, mais rápido o aparelho).

Mas apesar dos números impressionantes, usar o Atrix não é uma experiência muito diferente de outros aparelhos como o já citado Galaxy S. O ganho de desempenho em aplicativos do dia-a-dia, como o navegador, GMail e Twitter é pequeno e sozinho não justifica a compra do aparelho. Mesmo em jogos não há tanta vantagem: Need for Speed Shift, por exemplo (que vem pré-instalado) roda tão bem no Atrix quanto no Galaxy S.

Apesar de ter uma saída HDMI, não é possível espelhar a tela do Atrix em uma TV de alta definição. Apenas conteúdos da “central de multimídia”, (vídeos, músicas ou fotos) são exibidos da TV. Você não consegue, por exemplo, jogar Angry Birds na telona, como o N8 permite.

A bateria tem capacidade um pouco maior do que o padrão do mercado: 1900mAh (Galaxy S = 1500mAh, iPhone 4 = 1400mAh), algo necessário para alimentar um processador mais potente. Mas no fim do dia a história é a mesma: com uso moderado dos recursos, incluindo 3G, você terá de recarregá-la diariamente.

Lapdock

A Lapdock é um acessório que transforma o Atrix em um netbook. É basicamente uma carcaça com tela de 11.6 polegadas, teclado, trackpad, bateria, caixas de som embutidas, duas portas USB, entrada para alimentação, indicador do nível de bateria e um "berço" atrás da tela onde o Atrix é conectado.

A Lapdock é bonita e lembra um MacBook Air, só que preto. O teclado é um pouco pequeno e não segue o layout ABNT2 ao qual estamos acostumados, portanto pode ser necessário algum tempo para se adaptar. 

Lapdock_close_dock
Lapdock: carcaça recebe o Atrix e o transforma em um netbook

Agora vamos ao que interessa. Você deve ter reparado que escrevi “netbook” acima – isso porque um netbook é o mais próximo da experiência de navegação oferecida pela combinação Atrix + Lapdock. Ao unir os aparelhos surge na tela da Lapdock um ambiente batizado pela Motorola de Webtop, com um desktop básico e acesso ao smartphone (em uma janela), navegador Firefox 3.6 e um gerenciador de arquivos.

Lapdock_close_tela

Interface oferece Firefox 3.6, gerenciador de arquivos e acesso ao sistema do smartphone

Usando a janela que exibe a tela do smartphone você pode controlá-lo sem precisar removê-lo da Lapdock. Você pode alterar a orientação da tela e rodar qualquer aplicativo Android, em uma janela ou em tela cheia. Chamadas também podem ser feitas, mas nesse caso apenas em viva voz.

O sistema permite alguns ajustes básicos, como velocidade do cursor, brilho da tela, screensaver e volume. Opções como rede sem fio ou modo avião redirecionam o usuário às respectivas configurações no ambiente Android.

Segundo a Motorola a bateria da Lapdock permite oito horas de uso contínuo. E fechada ela pode ser usada como "bateria externa" para recarregar o smartphone. Fizemos um teste: carregamos a bateria da Lapdock ao máximo, descarregamos a do Atrix e a recarregamos usando a dock, que teve fôlego suficiente para dar três cargas completas no Atrix, e ainda sobrou um "restinho" de energia. Cada carga levou cerca de quatro horas para ser completada.

Já comentamos aqui e reforçamos: o conceito da Lapdock é espetacular. Mas ele ainda tem muito o que melhorar.

O primeiro problema é o desempenho: você está emulando um sistema operacional completo (usando uma máquina virtual) dentro do Android, ao mesmo tempo em que todas as funções do smartphone continuam operacionais. Mesmo com um processador como o Tegra 2 isso "pesa", e o resultado é uma experiência de navegação precária.

Explicamos: você consegue acessar páginas simples sem problemas, mas quando tenta abrir várias páginas mais complexas simultâneamente (como o Meebo, Seesmic e GMail, em um de nossos testes) você sente o Atrix sofrer, com demora na troca entre abas e até na rolagem de páginas. É como se estivesse rodando o Windows Vista em um Pentium 3.

O segundo problema são as limitações do sistema: você está preso à versão 3.6 do Firefox (a mais recente é a 4.0), já que por enquanto não é possível atualizá-la. Isso impossibilita até a instalação de alguns complementos populares que foram atualizados e já não são mais compatíveis com versões antigas do navegador – e que já seriam uma grande ajuda. Também não é possível instalar nenhum programa extra no ambiente Webtop. Esqueça a idéia de usar um media player nativo, ou um pacote Office como o OpenOffice.org

Atrix_firefox
O navegador Firefox 3.6 não pode nem ser atualizado

Ainda assim, é possível navegar normalmente com uma ou duas abas ou realizar trabalhos leves com o Atrix e a Lapdock. Mas tudo na nuvem, a menos que você não se importe em utilizar um aplicativo Android como o Quickoffice – cuja interface foi feita para uma tela sensível ao toque – esticado em tela cheia com um teclado e um trackpad. É o que acontece quando você baixa um documento do Word, por exemplo. 

Mas se você pensa em assistir vídeo ou visitar páginas carregadas com conteúdo em Flash, esqueça ou esteja pronto para enfrentar uma experiência frustrante. Até mesmo um vídeo com qualidade tradicional (360p) no YouTube já engasga um pouco.

O gerenciador de arquivos é bem parecido com o Windows Explorer  e tem todas as funções básicas, como copiar, recortar ou colar, e reconhece pendrives ou HDs externos formatados em FAT32 ou NTFS. Também é possível utilizar mouses ou teclados USB sem nenhum problema.

gerenciador_atrix
Ferramenta básica permite gerenciar arquivos

Executamos o benchmark SunSpider, que mede o desempenho do interpretador Javascript em navegadores, para ter uma idéia do desempenho do Atrix no modo Webtop. Comparamos o Firefox 3.6 do aparelho com a mesma versão rodando em um netbook, o  HP Mini 1030. Quanto menor o tempo  para execução do teste, melhor: na Lapdock foram necessários 6049ms. Já no netbook, o resultado veio em 3890ms. 

Download a mais de 400kb/s via 3G

O Atrix é compatível com redes 3G no padrão HSPA+, mais rápidas que as redes 3G tradicionais. Utilizando o aparelho acoplado à Lapdock, atingimos uma velocidade de download superior a 400 kb/s na rede 3G da Claro na região da Vila Olímpia, em São Paulo. Isso dá cerca de 3 Mbit/s, mais rápido que muitas conexões domésticas de banda larga.

Dock Multimídia

Este pequeno acessório, que acompanha o Atrix, permite improvisar a experiência da Lapdock caso você não tenha uma. Ela tem três saídas USB, uma saída HDMI e uma saída de áudio; você pode plugá-la a uma TV ou monitor HDMI e iniciar o aplicativo Webtop – mesma interface utilizada na Lapdock.

dock_multimidia
Dock multimídia e controle remoto acompanham o aparelho

Depois é só conectar um teclado, um mouse USB e você tem um mini-desktop. E ainda sobra uma porta para conectar um pendrive. A Dock Multimídia vem acompanhada de um controle remoto que possui um direcional para navegação, além de botões dedicados para reproduzir ou pausar a reprodução de músicas ou vídeos.

Conclusão

Sozinho, o Motorola Atrix não impressiona muito. Apesar do super processador Tegra 2, ainda são poucos os aplicativos que aproveitam de verdade todo o potencial que o hardware tem a oferecer. O conceito da combinação com a Lapdock, por outro lado, é um diferencial espetacular e promete muito para o futuro. Mas por enquanto a experiência de navegação só pode ser descrita como "básica".

Não achamos que a Lapdock seja capaz de substituir sequer um netbook, pelas questões de desempenho e limitação na instalação de software. Mas não podemos negar que a ideia é ótima e, sem dúvida, mais que suficiente para quem precisa apenas ler documentos, redigir textos ou planilhas e responder a e-mails.

Quanto custa?

O preçodo Atrix, sugerido pela fabricante e sem subsídios das operadoras, é de R$ 1.999 e o pacote inclui o smartphone, carregador de parede, cabo USB, carregador veicular e a dock multimídia com controle remoto. Mas quem estiver disposto a comprá-lo em uma operadora pode pagar menos.

A Claro oferece o aparelho a partir de 599 reais com o plano Sob Medida, que custa 220 reais por mês e dá direito a um pacote de dados mensal de 500MB – o preço sobe para 999 reais se o consumidor quiser levar junto a Lapdock. Segundo a assessoria da Claro, não há fidelização no plano. Já no modelo pré-pago, o smartphone sai por 1.999 reais sozinho ou 2.699 reais quando comprado junto com a Lapdock.

Já a TIM venderá o smartphone desbloqueado em 12 parcelas de 160 reais no modelo pós-pago e os usuários poderão escolher o plano de seu interesse - no pré-pago é possível parcelar o valor em três vezes sem juros ou 10 vezes com juros. O preço da Lapdock não foi informado.

A Vivo ainda não definiu preços para vender o Atrix com planos de dados no modo pós-pago. Até o fechamento desta reportagem, a Oi não havia respondido ao nosso pedido por informações sobre o assunto.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site