Imagem de fundo do header
Mudanças no Touch Dual o transformam em caro concorrente do Pearl
Home  >  Review
REVIEW

Mudanças no Touch Dual o transformam em caro concorrente do Pearl

Celular GSM quadri-band ganhou um teclado que desliza para fora, além de algumas outras melhorias em relação a seu antecessor.

Darren Gladstone, da PC World/EUA

HTC_Touch_dual_150.jpg
Foto:

Quando a HTC lançou o Touch no ano passado, o Windows Mobile ganhou um herói quase perfeito. Não se tratava de um assassino do iPhone, mas com certeza tinha potencial para rivalizar com o aparelho da Apple.

No fim das contas, apesar de o aparelho da HTC ter agradado, achamos
que alguns detalhes o impediram de ser ainda melhor. Eis que entra em
cena o Touch Dual, um telefone GSM quadri-band que ganhou um teclado
que desliza para fora, além de algumas outras melhorias em relação a
seu antecessor.

É impressionante como esse teclado melhora a experiência do usuário.
No Touch Dual, a disposição dos botões se parece com um layout de um
teclado normal de celular. Acima dos números, as letras ficam
distribuídas em um formato semi-QWERTY. Quando você começa a digitar, o
aparelho utiliza um software de previsão de texto – o mesmo que o Touch
original usa – para adivinhar a palavra a ser teclada.

HTC_touch_02

Após algumas letras, uma pequena barra aparece com termos prováveis. Com o tempo, o programa deve se acostumar a seu estilo.

O design do teclado pode ser familiar a quem já usou o BlackBerry Pearl.
E, ainda que muitos considerem o teclado do Pearl incrivelmente
prático, há controvérsias. E o mesmo vale para o Touch Dual: as teclas
virtuais no aparelho ficam muito esmagadas, de tão juntas; e os botões
físicos são ainda mais difíceis de usar para quem tiver dedos largos.

Outro ponto negativo: colocar esse teclado exigiu que os designers
do telefone sacrificassem o tamanho da tela. O visor do Touch Dual é
0,2 polegada menor do que o do Touch original, de 2,8”. Pode parecer
pouco, mas ao assistir a vídeos e ler artigos no navegador, dá pra
sentir falta desse espaço extra.

Mas algumas mudanças no Touch Dual vieram para melhor. Por exemplo,
o slot de micro cartão SD agora fica na parte de baixo à esquerda do
aparelho. Inserir cards agora é muito mais fácil – boa notícia para
usuários com muitos arquivos.

À parte as novidades no design, o Touch Dual oferece uma experiência
muito parecida com a do Touch. Dentro dele, há um processador Qualcomm
MSM7200 de 400 MHz, 256MB de ROM e 128MB de SDRAM.

O telefone roda Windows Mobile 6.1, uma incremento em relação à
versão 6.0 presente no Touch. Ele também vem com a interface TouchFLO
3D, levemente ajustada.

Para quem não está familiarizado, o TouchFLO é o software limpo,
leve e solto da HTC que roda sobre o Windows Mobile  e proporciona a
interface sensível a toque, mais fácil de navegar.

A novidade é que no momento em que você desliza o teclado, a tela
mostra um monte de atalhos para criar novos compromissos, anotações,
contatos – as tarefas usuais. O TouchFLO às vezes parece um saco com
uma porção de atalhos misturados.

E o problema é que você não pode reprogramar os botões – a não ser
hackeando o registro do telefone. Será que era tão difícil assim para a
HTC adicionar um pequeno applet para alterar links de atalho?

HTC_touch_01

Um recurso novo e bem interessante é o Audio Booster, que fica na pasta Configurações
para turbinar o áudio do celular. Ele oferece ajuste de tons agudos,
graves e 3D – incluindo alguns padrões pré-definidos. Ou então você
pode fazer acertos manualmente, num equalizador de dez canais.

A música ainda pode sair por fones de ouvido, que não se saíram mal
para um telefone – principalmente se considerarmos que não é um celular
voltado para músicas.

Ainda estamos no aguardo dos resultados dos nosso testes de duração
da bateria; assim que tivemos os números iremos publicá-los - razão pela qual não demos nota ainda para o equipamento. Uma vez
que a versão anterior do Touch era disponibilizada pela operadora
norte-americana Sprint, uma rede diferente pode resultar em desempenho
e duração de bateria diferentes.

Enquanto isso, temos uma boa notícia: esse telefone GSM vem
destravado, assim você não fica preso a nenhuma companhia telefônica. A
má notícia: essa liberdade custa um preço alto – cerca de 1600 reais para ser mais preciso.

Fãs do pequeno teclado do BlackBerry Pearl devem considerar essa
alternativa, mas se você é um viciado em teclados, talvez seja melhor
esperar pelo recentemente anunciado HTC Touch Pro.
Esse aparelho parece ser uma evolução lógica do design T-Mobile Wing,
mas não estará disponível antes do final de 2008, segundo a HTC.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site