Imagem de fundo do header
Nikon Coolpix P300: ótimos recursos e imagens excelentes
Home  >  Review
REVIEW

Nikon Coolpix P300: ótimos recursos e imagens excelentes

Câmera se destaca pela lente F1.8 e qualidade de imagem, mesmo sob pouca luz, e é concorrente direta da Canon PowerShot S95

Tim Moynihan, PCWorld EUA

Foto:

Na categoria de câmeras compactas com controles manuais, a Nikon Coolpix P300 é uma rival bem próxima da Canon PowerShot S95: ambas são voltadas ao fotógrafo que procura um complemento mais portátil para uma DSLR, mas que não quer sacrificar muito em termos de desempenho e recursos.

Mas a P300 é voltada à parcela mais “casual” destes usuários, e custa menos que a Canon PowerShot S95. E ela é diferente da concorrente em vários pontos, como na ausência da capacidade de fotografar em RAW, de foco manual, de um anel multifunção ao redor da lente e um corpo menos resistente. Apesar disso ela supera a rival em alguns pontos-chave, com uma lente F1.8 que é excelente sob pouca luz, um modo burst (fotografia contínua) mais rápido, melhor autonomia de bateria, imagens mais nítidas e boas ferramentas para edição das imagens.

nikon_p300_frente-360px.jpg

Nikon Coolpix P300

Na comparação direta, a PowerShot S95 obteve uma pontuação um pouco mais alta em nossos testes de desempenho, Mas a Nikon Coolpix P300 ainda é uma excelente opção, e pode ser a melhor escolha para os fotógrafos mais casuais que não se importam com foco manual ou fotografia em RAW.

Hardware e Design

O principal destaque da Nikon Coolpix P300 (equipada com um sensor de 12 MP) é sua lente F1.8, que é a maior abertura disponível em sua faixa de preço. As únicas outras câmeras que vimos com lentes equivalentes são a Olympus XZ-1 e a Samsung TL500, ambas significativamente maiores e mais caras A lente zoom de 4.2x com estabilização óptica vai de 24mm a 100mm, nada excepcional, mas bom o bastante tanto para paisagens imensas quando para retratos detalhados.

nikon_p300_cima-300px.jpg

Nikon Coolpix P300: flash retrátil à esqueda, seletores à direita

A P300 tem um corpo quadradão, com um visual clássico, que mede 5,8 centímetros de altura, 10,4 centímetros de largura e 3,3 centímetros de espessura. Embora seja leve ela parece “oca”, já que embora revestida com metal no experior, por dentro sua estrutura é de plástico. Em vez de uma empunhadura completa, a P300 tem uma saliência em relevo na frente, e um apoio emborrachado para o dedão atrás.

Todos os controles são operados através de botões e seletores no topo e na traseira da câmera. Um seletor de modo no topo permite escolher entre modos como controle manual, prioridade de abertura, prioridade do obturador, Auto, Program Auto, modos de cena variados, compensação de iluminação traseira (Backlight Correction) e um modo para fotografia noturna sem tripé. À direita deste seletor fica um botão liga/desliga temperamental (é necessário apertá-lo com firmeza, ou mais de uma vez, para a câmera ligar), controles de obturador e zoom, e um seletor não identificado que serve para ajustar manualmente a velocidade do obturador e configurações do modo Program Auto.

Na traseira há botões dedicados para gravação de vídeo, reprodução de conteúdo, um direcional/”scroll wheel” para navegação entre os menus e ajustes manuais, um botão “Menu” e outro “Delete”. Nos modos manual e prioridade de abertura os ajustes são feitos com a scroll wheel, e basta pressionar cima, baixo, esquerda ou direita para ter acesso aos controles de flash, temporizador, compensação de exposição e macro, respectivamente.

nikon_p300_traseira-360px.jpg

Painel traseiro

A P300 também tem um flash embutido, que pode ser exposto ou oculto com uma chave no lado esquerdo da câmera; Nos modos manual e programa é possível definir a intensidade do flash em incrementos de 0.3 EV. A porta HDMI fica atrás de uma tampinha na lateral esquerda, e a saída A/V, bateria e slot para cartões SD ficam atrás de uma porta com trava na parte de baixo.

Como é de praxe em outras câmeras recentes da Nikon na linha Coolpix, a navegação através dos menus é bastante direta. Textos são nítidos e fáceis de ler na tela LCD de 3 polegadas, e os controles manuais são identificados com ícones que dizem que botão você deve apertar para acioná-los.

Recursos

Além dos controles manuais sobre a lente F1.8 e a velocidade do obturador, a Coolpix P300 tem um conjunto de modos de cena especializados, e ferramentas de edição que permitem otimizar as imagens. Modos como Night Landscape (Paisagem Noturna) - que combina múltiplas fotos com diferentes exposições na própria câmera para trazer mais detalhes às fotos - e Backlight Correction são diretamente acessíveis através do seletor no topo da câmera.

Como você já deve ter imaginado quado mencionamos a lente F1.8, a Nikon Coolpix P300 está entre as melhores câmeras de bolso que já vimos em situações de pouca luz. Ela tem algumas formas de capturar boas imagens a noite sem flash - e você raramente irá precisar dele, graças à lente. No modo Night Landscape ela “clareia” a cena combinando múltiplas exposições e aumentando o ISO e os resultados são impressionantemente livres de ruído e com boa precisão de cor, especialmente considerando que é uma câmera com sensor pequeno. A precisão de cor é ainda melhor quando você usa o modo de prioridade de abertura, que não aumenta tanto o ISO mais ainda assim “clareia” bem a cena. 

p300_nightlandscape.jpg

Cena sob pouca luz fotografada no modo "Night Landscape" com prioridade de abertura

A Nikon Coolpix P300 tem um modo “burst” (fotografia contínua) que permite 8 fotos por segundo na resolução de 12 megapixels, bem como 120 fotos por segundo na resolução de 1 megapixel (com um limite de 60 fotos consecutivas). É algo legal para quem deseja fotografar cenas de ação, mas as imagens saem um pouco borradas se você mover a câmera, por menos que seja, durante a captura.

O modo de compensação de iluminação traseira (Backlighting Correction) permite escolher entre usar o flash para iluminar o primeiro plano da cena ou combinar múltiplas exposições (como em uma foto HDR) para realçar as áreas escuras. Infelizmente ambos tem pequenos problemas. O flash funciona bem em retratos quando você está a cerca de um metro e meio de distância, mas é poderoso demais para fotos em macro. Por outro lado, quando no modo HDR é possível controlar a intensidade do efeito nos menus. Aind assim, os objetos iluminados por trás exibem um estranho efeito de “halo” na maioria das fotos.

O modo macro da P300 é bom, mas não tem a capacidade insana de close das Coolpix P500 ou S9100. A lente precisa estar a pouco mais de 2,5 cm do objeto a ser fotografado para que a foto saia nítida. 

Uma limitação para os fotógrafos sérios é que a P300 não tem verdadeiro foco manual. Entretanto, é possível definir manualmente pontos de focagem usando o sistema de foco automático da P300 para destacar objetos ao fundo, à frente ou ao centro da imagem, e ele funciona bem. Também há uma opção de foco automático com rastreamento de movimento que permite “travar” o foco em um objeto e acompanhar seu movimento na cena.

E como um número cada vez maior de câmeras, a P300 tem um modo “Easy Panorama” que permite criar uma foto panorâmica de 180 ou 360 graus simplesmente pressionando o botão do obturador e movendo a câmera de uma lado para o outro, bem como vários filtros digitais que aplicam efeitos como “tilt-shift” (faça com que os objetos pareçam miniaturas), lente olho de peixe ou “pintura a óleo” às imagens. Mas ao contrário de muitas câmeras, estes efeitos são aplicados a uma cópia da imagem na hora da exibição, permitindo que você preserve os originais.

Além de um modo de vídeo em alta-definição (1080p) a 30 quadros por segundo, a P300 também tem um modo de captura em alta velocidade que filma a 640 x 480 pixels a 120 quadros por segundo, permitindo que você filme cenas de ação e as reproduza em câmera lenta.

E novamente como outras Coolpix, a P300 também se destaca por suas ferramentas integradas para edição de imagens. Durante a reprodução é possível acessar uma opção chamada Quick Retouch que aumenta a saturação das cores e o contraste, outra chamada D-Lighting que clareia imagens escuras, um suavizador que elimina pés de galinha nos rostos das pessoas fotogrfadas, rotacionar e cortar as imagens e aplicar os já mencionados filtros.

Desempenho e qualidade de imagem

A Nikon Coolpix P300 se saiu bem em nossos testes subjetivos de qualidade de imagem, ficando acima da média em fotos no modo Auto, que mostraram nitidez impressionante para uma câmera compacta. Ela foi classificada como “Muito Boa” na ausência de distorção, e “Boa” na qualidade de exposição e precisão de cor.

Como muitas câmeras atuais, a P300 exagera a saturação das cores no modo Auto, com vermelhos e laranjas aparecendo mais intensos nas fotos do que no mundo real. Seu flash também é um tanto forte demais neste modo, fazendo com que os tons de pele pareçam mais “lavados” do que gostaríamos. Entretanto, a intensidade pode ser controlada no modo manual (você pode ver as imagens que capturamos durante os testes em tamanho real em nossa galeria no Flickr).

Nos testes de vídeo, sob luz intensa a P300 capturou vídeos decentes em 1080p, embora a nitidez e precisão de cor deixem um pouco a desejar. Mas nossos clipes em situações de pouca luz foram escuros demais para que conseguíssemos ver qualquer coisa. No geral, no quesito vídeo a P300 foi classificada como boa - mas apenas graças ao desempenho em locais bem iluminados. Já a qualidade do áudio capturado com os microfones integrados ao topo da câmera foi mais impressionante, e classificada como “Muito Boa”.

1º teste de vídeo: cena iluminada

2º teste de vídeo: cena sob pouca luz

A autonomia de bateria também é decente, mas por pouco. Com 240 fotos por carga, ela fica atrás da marca de “mais de 300” atingida por muitos outros modelos em sua categoria.

Nosso veredito

A Nikon Coolpix P300 é uma excelente câmera. Mas a escolha entre ela e a Canon PowerShot S95 se resume à pergunta: o quão importantes para você são a fotografia em RAW e foco manual? 

A P300 se garante, e até supera, a S95 em várias áreas dignas de nota, como a qualidade de imagem em situações de pouca luz, modo burst muito mais rápido (8 fotos por segundo na resolução máxima, contra 1.9 fotos na Canon), lente mais clara, zoom óptico com alcance um pouco maior, melhor autonomia de bateria, uma maior gama de efeitos integrados e melhor nitidez na imagem. Mas a S95 fotografa em RAW, tem construção mais sólida, ótimos controles integrados ao anel da lente e se sai melhor na exposição automática. 

De qualquer forma, a verdade é uma só: a Coolpix P300 é um ótimo negócio.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site