Imagem de fundo do header
O que se pode esperar dos chips Core i5 e i3 Clarkdale para desktops
Home  >  Review
REVIEW

O que se pode esperar dos chips Core i5 e i3 Clarkdale para desktops

Primeiras CPUs de 32 nanômetros da Intel têm bom desempenho para vídeos em alta definição, mas não serão usadas em PCs potentes.

David Murphy, da PC World/EUA

clarkdale_150.jpg
Foto:

clarkdale_150.jpgDepois de lançar processadores da família Nehalem, que trouxe novidades na arquitetura das CPUs, a Intel passa agora a desenvolver seus primeiros processadores com tecnologia de fabricação de 32 nm (nanômetros) sob o codinome de Westmere.

Para evitar confusão, vale uma rápida explicação sobre os novos chips Intel. Westmare é como estão sendo chamados os processadores de 32 nm baseados na arquitetura Nehalem - estes construídos em 45 nm.

A nova família Westmare é dividida em duas: Arrandale, que são as CPUs para notebooks, e Clarkdale, chips para desktops.

A principal novidade dos processadores Westmere, além do menor tamanho, é a integração da unidade de processamento central e da unidade de processamento gráfico em um único chip.

Isso faz com que os processadores Core i5 e Core i3 Clarkdale se deem muito bem na processamento de vídeos em alta definição. Mas seu desempenho para jogos com gráficos mais avançados ainda deixa a desejar.

A família Clarkdale representa um total de sete integrantes: quatro CPUs Core i5; duas CPUs Core i3; e uma CPU Pentium G6950, considerada modelo de entrada.

A tabela abaixo mostra as características e preços desses nos processadores:

clarkdale1_tabela.jpg

 

Os chips Clarkdale oferecem melhor relação entre custo e benefício do que processadores Core 2 Duo e Core 2 Quad, pertencentes à Penryn.

Apesar de serem novidades, essas CPUs não oferecem muito mais desempenho do que o Core i5 da série 600 (de 45 nanômetros). Em testes feitos com uma placa-mãe Intel DH55TC, o WorldBench 6 mostrou pouca diferença na pontuação geral.

Em comparação com o processador Core i7 de 45 nm, o novo Core i5 Clarkdale não ultrapassou a pontuação obtida pelo WorldBench 6.

Compatibilidade
Quatro chipsets (todos usando o soquete LGA 1156) são compatíveis com a plataforma Clarkdale: H55, H57, Q57 e o P55.

As placas-mãe baseadas no H57 podem suportar duas USBs adicionais, dois slots PCI Express x1 extras e suporte a RAID 10.

Placas-mãe que usam o Q57 são direcionadas mais para o mercado corporativo já que iIncluem a tecnologia AMT (Active Management Technology), muito útil para proporcionar suporte remoto.

A parte interessante fica na flexibilidade: é possível usar um processador Core i5 Lynnfield (família antiga) em uma placa nova, com esses chipsets. No entanto, será necessário, nesse caso, usar uma placa de vídeo separada, pois a família Lynnfield não tem chip gráfico embutido.

clarkdale2_original.jpg

Desempenho
Como mencionado, o desempenho de jogos mais exigentes é baixo. Para se ter uma ideia, os gráficos do jogo Unreal Tournament 3, na resolução de tela em 1024 por 768 pontos, tiveram que ser configurados para qualidade média, de forma que a ação do jogo tivesse fluidez, com cenas sem paradas.

Também não é possível instalar duas placas de vídeo para deixar a performance turbinada. Se você tiver interesse em uma versão portátil do Clarkdale, veja a análise do seu equivalente, o Arrandale.

A Intel ainda não disse quando começa a vender os novos processadores, mas a empresa irá apresentar novidades da sua agenda de lançamentos durante o CES 2010, que começa nesta quinta-feira (7/1), em Las Vegas (EUA).

clarkdale3_tabnews1.jpg

Tabela com as novas características das CPUs Clarkdale

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site