Imagem de fundo do header
PC tudo-em-um da Megaware é bonito e ocupa pouco espaço
Home  >  Review
REVIEW

PC tudo-em-um da Megaware é bonito e ocupa pouco espaço

Compacto, Megahome All-in-one consome pouca energia, porém é um computador apenas para uso básico.

René Ribeiro, da PC WORLD

megahome-ilustra-150.jpg
Foto:

O Megahome All-in-One, da Megaware, é um PC em que todos os componentes e o monitor de vídeo fazem parte de um único gabinete.

A aparência é de um monitor LCD bastante elegante em cima da mesa, e a pergunta "cadê o computador" é frequentemente feita por quem o vê pela primeira vez. Compacto, o micro mede 45,4 centímetros de largura por 39,5 cm de altura e apenas 4,5 cm de espessura.

O processador é um Intel Atom N280, de 1,66 GHz, vem com memória de 2 GB padrão DDR2 533 e chip gráfico Intel GMA 950.

O disco rígido tem capacidade de 320 GB. Na lateral direita do PC estão o gravador de DVD, uma porta USB 2.0, leitor de cartões de memória compatível com cartões SD, MMC e MS e conectores para fone de ouvido e microfone.

megahome-frente1-350.jpg

Megahome All-in-one: para tarefas rotineiras.Destaque para bom tamanho de tela e rede Wi-Fi

Na parte de trás estão mais duas portas USB 2.0, dois conectores PS/2 (para teclado e mouse) e conector para rede cabeada padrão Fast-Ethernet. Ainda há interface Wi-Fi no padrão 802.11 b/g/n.

A tela LCD possui 18,5 polegadas com resolução de 1366 por 768 pontos, e na borda superior há uma webcam de 1,3 megapixels. Como o Megahome tem pouca espessura, a fonte de alimentação ficou do lado de fora e é semelhante a fontes de notebooks. O sistema operacional instalado é o Windows 7 Starter.

Testes
O Megahome all-in-one possui processador e chipset idênticos aos utilizados em netbooks, portanto, não espere alto desempenho.

É uma máquina suficiente para tarefas básicas, como navegação na web, e-mail e criação de documentos, mas que vai deixar a desejar se você pretende editar fotos, vídeos ou jogar.

Por exemplo, ao tentar assistir a um vídeo em HD (com resolução de 720 linhas) no YouTube o micro penou: o vídeo engasgava constantemente e o uso de CPU chegou aos 100%, o que significa que a máquina estava "dando o máximo" porém ainda não era o suficiente.

Em um jogo leve projetado para netbooks, como Torchlight, não conseguimos passar dos 15 quadros por segundo mesmo com todas as configurações no mínimo, e lembramos que 30 quadros por segundo é o mínimo para que o jogo possa ser considerado "jogável". Entretanto, conseguimos assistir a um vídeo local em alta definição (no formato DiVX) sem problemas. 

megahome-costas-350.jpg
Vista traseira do Megahome All-in-one

Para ter uma referência de desempenho fizemos um teste que exige bastante do processador de qualquer PC, que é a conversão de arquivos de vídeo.

Utilizamos para isso o software Handbrake e um vídeo de dez minutos de duração, em formato AVI e 720 linhas de definição, que foi convertido para o formato do iPhone. O processo levou 18 minutos e seis segundos para ser realizado.

Como referência, considere que o mesmo processo em um notebook com processador Core 2 Duo de 2 GHz  e 2 GB de RAM, levou quatro minutos e dois segundos para ser completado.

megahome-perfil-350.jpg

Vista lateral do Megahome All-in-one

Reforçando, o Megahome é uma máquina para acessar internet, escrever e-mails e executar tarefas corriqueiras, como o uso de um pacote de escritório como o Microsoft Office.

No quesito multimídia ele consegue sem problemas tocar MP3 e DVDs, mas não espere muito mais do que isso. O som não tem alta fidelidade, mas o dois alto falantes que ficam na parte de trás oferecem um volume alto.

megahome-conect-350.jpg

Conectores disponíveis na lateral do Megahome All-in-one

O baixo consumo de energia é um ponto forte. Medimos a potência consumida durante a conversão de vídeo e ela chegou ao máximo de 38 watts. Para se ter uma ideia, apenas um monitor LCD de 18 polegadas consome cerca de 32 watts.

megahome-corte-350.jpg
Conectores traseiros e detalhe dos alto-falantes nos cantos esquerdo e direito.
repare também na ventoinha usada para refrigeração do processador

Fica uma crítica quanto ao uso dos conectores: apesar das duas entradas mini-din para mouse e teclado no padrão PS/2, os periféricos que acompanham o Megahome possuem cabos com conectores USB, o que vai ocupar dois dos três conectores disponíveis na máquina, deixando apenas um livre para pendrives e acessórios.

Além disso, os conectores estão posicionados na parte traseira, uma má decisão do ponto de vista da ergonomia: é necessário se curvar e olhar atrás da máquina para fazer algo simples como plugar um pendrive.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site