Imagem de fundo do header
Photosynth compila suas fotos e cria ambientes 3D sem cobrar nada
Home  >  Review
REVIEW

Photosynth compila suas fotos e cria ambientes 3D sem cobrar nada

Serviço da Microsoft é capaz de construir uma projeção em três dimensões a partir de fotos relacionadas.Grátis até 20GB.

Redação da PC World / EUA

photosynth_150.jpg
Foto:

O Photosynth.net, novíssimo website da Live Labs, o departamento de pesquisas aplicadas da Microsoft, tem uma habilidade bacana: é capaz de compilar automaticamente fotos digitais de um mesmo local (até mesmo as tiradas por outros usuários)  para criar uma releitura em 3D, um tanto abstrata porém, mas com ótima resolução do ambiente em questão. Trata-se de uma das coisas mais interessantes que aparecem na web desde o Google Earth.

Modelos pré-prontos do trabalho do Photosynth em ação ficaram
disponíveis por alguns meses, mas o Photosynth.net permite que qualquer
visitante faça upload de fotos – até 20 GB, para ser preciso.

Para usar o Photosynth, você precisa instalar dois pequenos
aplicativos: um plug-in para navegador compatível com Firefox 2 ou 3 e
Internet Explorer 7; e o aplicativo gratuito do Photosynth para fazer
upload das fotos, ambos disponíveis no próprio site do serviço.

photosynth_350

Você também vai precisar do Windows XP ou Vista como sistema operacional, de um PC com pelo menos 236 MB de RAM (1GB é recomendável) e pelo menos 32 MB de memória gráfica dedicada.

Usuários de Mac que gostariam de testar o serviço podem rodá-lo com o Boot Camp, pois o OS X não é suportado (ainda...), nem o Parallels (há informações de que o VMware Fusion 2.0 funciona).

photosynth_250a

Criar a sua própria sintetização começa com a captura de diversas fotos adequadas; a Microsoft oferece um guia excelente sobre isso.

O básico: capture apenas imagens em JPEG (de tamanho ilimitado); tente sobrepor  suas fotos em cerca de 50%; comece com uma panorâmica ampla antes de focar nos mínimos detalhes; certifique-se de que todas as fotos estão orientadas corretamente; e limite os ângulos entre elas.

O software irá analisar suas fotos e subi-las para o Photosynth.net que, por sua vez, irá criar a sintetização automaticamente. Quanto mais adequadas forem suas fotos, mais coordenadas o Photosynth pode ter como referência para reconstruir a cena (designers de 3D vão se sentir em casa com o conceito de “nuvem de pontos”). Quanto mais pontos você tiver, mais “sintéticas” - ou seja, precisas suas imagens vão ficar.

Um pequeno parêntese sobre direitos de autor: uma vez que todas as sintetizações serão públicas, é importante dizer que você poderá restringir – total ou parcialmente – a reutilização de suas fotos por meio do espectro de opções de licença Creative Commons.

Fazer upload de parcas 10 fotos leva belos minutos. Fomos além e subimos um álbum de 156 imagens da baía de São Francisco, nos EUA, para testar o poder de reconstrução do software. Nosso acervo (que totalizou 214 MB de fotos em resolução 2048 por 1536) demorou cerca de 75 minutos para fazer upload e, então, já estava imediatamente pronto como uma sintetização. Impressionante.

photosynth_250b

Os recursos colaborativos são importantes no Photosynth.net, e a Microsoft espera que sejam cada vez mais. Você pode facilmente escrever legendas e palavras-chave para suas fotos e usar o Virtual Earth para georreferenciar seu acervo (apesar de que essa função estava um pouco lenta quando a testamos). Para sintetizações criadas por outros usuários, é possível postar comentários e acusar conteúdo inadequado.

Para compartilhar qualquer sintetização com um amigo, use um link direto da URL ou copie o código correspondente à sintetização e adicione-o diretamente em seu blog.

Para usuários em busca de inspiração, o Photosynth possui algumas coleções deslumbrantes, graças a parceiros recentes, como a National Geographic e a NASA.

Dentre nossos favoritos, estão a Piazza San Marco, as ruínas de Machu Picchu, o canal de Veneza, o Taj Mahal, lagos Grassi, Stonehenge, Arquivo Nacional dos EUA, e as esculturas de vidro Dale Chihuly. Você não conseguiria ver alguns dos detalhes exibidos nas últimas três nem se estivesse pessoalmente in loco.

Quando se visualiza uma sintetização, é possível clicar em um ícone na parte de baixo à direita para que maximize até toda a janela do navegador. Ainda é possível melhorar ainda mais a visualização com a tecla F11, para ativar o modo tela cheia.

photosynth_250c

Você também pode usar zoom mais e menos com a rodinha do seu mouse; a área a ser focada é determinada de acordo com o ponteiro do mouse. O tecla til (~) ativa o modo de visualização em grade, que permite ver toda o conjunto de fotos usado para formar uma sintetização; a barra de espaço permite pular para a próxima foto nesse tour.

O Photosynth.net é um beta? Melhor chamar de trabalho em andamento, recomenda o site: “O que você vê nesta página é a primeira de diversas versões do Photosynth. Chame de beta, de 1.0, do que quiser... saiba apenas que estamos trabalhando duro para oferecer suporte para mais navegadores, mais plataformas e mais hardware e tornando a experiência muito mais incrível”.

A equipe do Photosynth tem alguns pontos que ainda quer explorar. Por exemplo, suporte para Mac e Flickr, grupos, favoritos, feed RSS, tour guiado, sintetizações privadas, maior integração com o Virtual Earth e API de código aberto.

E ainda há a idéia de um jogo de intercâmbio entre sintetizações de vários usuários – com links cruzados entre elas ou até combinação de fotos de um mesmo lugar (tiradas por pessoas diferentes em momentos diferentes) em uma sintetização gigante que inclua todas.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site