Imagem de fundo do header
Positivo Premium Essential 9000: um portátil em crise
Home  >  Review
REVIEW

Positivo Premium Essential 9000: um portátil em crise

Com hardware poderoso mas design nada inspirado e problemas na construção, máquina da Positivo Informática não aproveita seu potencial

Rafael Rigues, PC World Brasil

Foto:

No marketing o adjetivo “Premium” geralmente é usado para identificar um produto excepcional, que se destaca dos demais. Já “Essential” denota um produto básico, com apenas o necessário para cumprir o que promete. Por isso a princípio o nome do Positivo Premium Essential 9000, da Positivo Informática, soa como uma tremenda contradição.

Mas no final das contas ele descreve perfeitamente a máquina. Por um lado, o do design, ele se parece muito com os inúmeros e baratos notebooks de entrada no mercado, tanto na escolha dos materiais quanto na qualidade de construção. Por outro, o do hardware, ele é realmente Premium, com um poderoso processador quad-core, muita memória e outras características de ponta como um leitor de Blu-ray. 

positivo_9000-360px.jpg

Positivo Premium Essential 9000: design básico

Na prática essa dualidade tem um só resultado: o Positivo Premium Essential 9000 é um portátil em crise existencial, que não sabe o que quer da vida. 

Design

Para algo com “Premium” no nome, o design do Positivo Premium Essential 9000 é incrivelmente básico. É o mesmo plástico preto “black piano” de milhares de outras máquinas, que fica bonito na vitrine mas horrível nas mãos, tal a facilidade com que acumula marcas de dedos. 

A Positivo cometeu nesta máquina o mesmo erro da CCE no T25L: o trackpad é feito com exatamente o mesmo plástico que o restante do gabinete, sem nenhuma textura que ajude o deslizar dos dedos. Isso prejudica a precisão e rapidamente torna-se uma fonte de frustração para os usuários assim que eles começarem a errar links e ícones. Outro problema: mesmo desligado (com a combinação Fn + F9), o trackpad se religa sozinho às vezes.

O trackpad é multitoque, o que permite reproduzir alguns truques do iPhone como a “pinça” para ampliar uma imagem ou girar os dedos para rotacioná-la. Mas são poucos os aplicativos que tem suporte a isso (o visualizador de imagens e o Internet Explorer são exemplos), e por vezes eles demoram a reagir aos gestos. No dia-a-dia, este recurso não trará benefício nenhum ao usuário.

positivo_9000_numpad-360px.jpg

Teclado numérico tem teclas fora da posição padrão

Há outros problemas de design. O teclado se flexiona quando pressionado, notavelmente no centro. Falando nele, o Premium Essential 9000 tem um teclado numérico, algo que normalmente só é encontrado em máquinas maiores, com telas de 17”. Mas como não há tanto espaço a Positivo teve de usar um layout em três fileiras, que fica estranho para quem já memorizou o layout tradicional. Além disso, não há separação entre o teclado numérico e o alfanumérico, o que leva a erros de digitação.

Por fim, há um preocupante espaço entre traseira do gabinete e a tampa quando ela está fechada. Espaço suficiente para a base da tampa flexionar, o que pode levar a rachaduras no LCD caso o usuário coloque peso sobre aquela região.

positivo_9000_flexao-360px.jpg

Tampa flexiona no ponto indicado na imagem, o que pode danificar o LCD

Hardware e desempenho

Se o design do Positivo Premium Essential 9000 é pra lá de básico, o hardware é atraente. O coração da máquina é um processador Intel Core i7 2630QM, um modelo quad-core rodando a 2 GHz, acompanhado por 4 GB de RAM. Este processador já é baseado na nova arquitetura Sandy Bridge, a segunda geração da família Core, anunciada em janeiro pela Intel.

O HD tem 640 GB e o drive óptico é um combo, com leitor de Blu-ray e gravador de DVDs. Uma porta HDMI permite que o portátil seja ligado à sua TV de LCD ou Plasma. O monitor LCD de 15.6 polegadas tem iluminação LED, que já está virando padrão no mercado.

Vale notar que o Premium Essential 9000 tem quatro portas USB, sendo que duas delas (com conectores na cor azul) são USB 3.0. Com elas você terá mais velocidade no acesso aos dados quando usar HDs externos compatíveis, uma boa notícia para quem lida constantemente com arquivos muito grandes, na casa dos múltiplos gigabytes.

Com essa configuração o notebook da Positivo não tem nenhum problema para desempenhar as tarefas do dia-a-dia, seja editando um texto ou reproduzindo vídeo de alta-definição. Também não irá reclamar se você pegar pesado, editando vídeo, imagens ou renderizando cenas em 3D. Ele só tropeça em jogos, por conta do chipset de vídeo integrado Intel.

É verdade que o chipset de vídeo que acompanha os novos processadores Intel Sandy Bridge é muito melhor que o das gerações anteriores. No jogo Tom Clancy's H.A.W.X. conseguimos uma média de 27 quadros por segundo (FPS) rodando na resolução nativa do monitor (1366 x 768 pixels) com refresh a 60 Hz e anti-aliasing (AA) de 2x com VSYNC desativado. Ainda assim, é abaixo do mínimo de 30 FPS para que o game seja "jogável", e longe dos desejados 60 FPS. 

O problema é que para o consumidor médio o Positivo Premium Essential 9000 pode ser considerado poderoso demais. Explico: uma máquina com configuração mais modesta, com um processador Core i5 e uma GPU Nvidia ou ATI, por exemplo, teria um desempenho muito próximo nas tarefas do dia-a-dia (edição de textos, navegação web, reprodução de vídeo), e se sairia melhor em jogos. E a cerejinha do bolo: seria mais barata e teria consumo menor de energia. É uma questão de equilíbrio.

Bateria

Ah sim, o consumo de energia. O principal benefício de um portátil é a mobilidade, que é anulada se o usuário tiver de procurar uma tomada a cada 2 horas. Em 2011 consideramos que a autonomia mínima aceitável para um portátil é de 3 horas, nem um minuto a menos. 

O Positivo Premium Essential 9000 passa raspando. Conseguimos 3 horas e 6 minutos. Mas isso com o brilho da tela em 30% e o perfil de energia “Equilibrado”. Durante este período assistimos 35 minutos de vídeo (via streaming) e navegamos na web via Wi-Fi enquanto ouvíamos música por cerca de duas horas e meia.

Ou seja, foram três horas com uso leve. Se você pretende testar todo o poder do processador, seja editando vídeo ou assitindo a um filme em Blu-ray, pode esperar algo entre duas horas e duas horas e meia. Melhor manter o carregador por perto.

Nosso veredito

No papel, os números do Positivo Premium Essential 9000 saltam aos olhos e parecem imbatíveis. Mas na prática a máquina cai vítima de vários problemas que acabam tirando todo seu brilho.

Ela é poderosa demais para o usuário doméstico mas tem um design básico demais para quem realmente quer uma máquina Premium. E seu preço, R$ 3.500, é salgado se considerarmos o conjunto.

Gastando cerca de R$ 1.000 a menos é possível encontrar no mercado máquinas que, embora não tenham números tão impressionantes, vão apresentar desempenho similar no dia-a-dia, e com um visual mais agradável. Vá atrás delas. Poder não é tudo.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site