Imagem de fundo do header
Samsung NX10: equipamento sólido, mas imagens medianas
Home  >  Review
REVIEW

Samsung NX10: equipamento sólido, mas imagens medianas

Câmera da Samsung tem lentes intercambiáveis em um corpo menor que o de uma DSLR típica

Derrick Story

Foto:

A Samsung NX10, mais nova participante no crescente mercado de câmeras compactas com lentes intercambiáveis, ocupa menos espaço em sua bolsa do que a maioria das DSLRs e ainda assim tem um sensor CMOS APS-C de 14.6 MP, LCD de três polegadas e aceita lentes no formato Samsung NX.

nx10_frente-360px.jpg

Ela é simples o suficiente para ser operada mesmo por usuários de câmeras domésticas. Na hora de tirar uma foto escolha o modo de captura no seletor no topo da câmera (há vários, inclusive um “tudo automático”, programa, modos de cena variados, gravação de vídeos e mais). Leve a câmera até seus olhos e componha a cena usando o visor eletrônico que mostra 100% do campo de visão, ou use o LCD de 3 polegadas na parte de trás da câmera. Na maioria dos casos eu preferi o LCD por causa de sua melhor qualidade de imagem quando comparada ao visor, que me pareceu “lavado” e com pouca nitidez. Aperte um botão e pronto!

O foco automático é rápido e certeiro, e o botão do obturador responde bem, com um “clique” satisfatório que se parece com o de uma SLR. E na hora de rever as imagens, o LCD de 3 polegadas as mostra com boa cor e nitidez.

Tamanho e peso

Esta poderosa câmera passa uma sensação de solidez e é confortável de usar. Não é uma câmera leve: só o corpo pesa 350 gramas. Se você está acostumado a uma câmera compacta, você vai notar a diferença no peso.

O corpo mede 10.74 centímetros de largura por 8.71 centímetros de altura, um pouco maior que a Olympus EP-1 e menor que a Canon Rebel T2i. A profundidade varia de acordo com a lente usada (atualmente há três disponíveis). Com zoom de 18-55m ela é de 11.4 centímetros. Em comparação, a Canon T2i tem 13.3 centímetros com a mesma lente, e a Olympus EP-1 tem menos de 8.2 cm com suas lentes zoom M Zuiko retráteis de 14-42 mm.

Menu e controles

A Samsung fez um excelente trabalho ao projetar o sistema de menus da NX10, que é fácil de navegar. Pressione o botão Menu na traseira e gire o seletor no topo da câmera para acessar uma de sete telas com opções de fácil compreensão. Cada tela tem apenas seis itens, então você nunca se sentirá perdido enquanto procura por uma opção.

Muitas dos ajustes mais comuns podem ser acessados usando botões no topo ou na traseira da câmera, incluindo: compensação de exposição, drive mode, trava de exposição automática, informações na tela, modo de foco automático, balanço de branco, ISO e padrão de medição. Cada botão é claramente marcado, e em pouco tempo eu estava fazendo ajustes sem nem me preocupar com qual deles faz o quê.

nx10_traseira-360px.jpg

Qualidade de imagem e vídeo

A qualidade das imagens no formato JPEG é decente, mas não espetacular. Imagens capturadas no modo Programa com ISO e balanço de branco automáticos estavam geralmente bem expostas e com boas cores e detalhes. Na verdade eu preferi os JPEGs aos arquivos RAW processados com o software Raw Converter 3 da própria Samsung.

No geral a nota da NX10 em nosso teste de qualidade de imagem foi “Aceitável”, abaixo de concorrentes como a Olympus E-PL1 e E-P2. Ela se saiu bem nos testes de nitidez e distorção, e foi classificada como “Boa” em ambas as categorias, mas ficou abaixo do esperado em Exposição e Cor, onde novamente foi considerada “Aceitável”. Veja noss álbum com algumas imagens de teste no Flickr (http://miud.in/8vp)

nx10_manual-360px.jpg

Cena de teste com ajustes manuais

nx10_auto-360px.jpg

Cena de teste com ajustes automáticos

O vídeo em alta-definição produzido pela NX10 desapontou. Mesmo que a resolução seja boa (1280 x 720 pixels), a qualidade foi bem abaixo do esperado quando comparada a câmeras similares da Panasonic e Olympus. Além disso, mesmo com a estabilização de imagem ativa a imagem tremeu mais do que eu esperava. 

Software incluso

O software incluso na embalagem só é compatível com Windows. O pacote inclui o Samsung Master, RAW Converter, Quicktime Player e um manual do usuário. Há uma versão do RW Converter para usuários de Macs, mas você tem que ser determinado para encontrá-lo: primeiro é preciso se registrar no site da Samsung. Depois, você tem que navegar até a seção de downloads de software e registrar sua câmera, de novo, antes de poder baixar o programa. E depois de instalado ele vai ocupar 215 MB de espaço em seu disco rígido.

O Samsung RAW Converter tem todas as opções mais comuns de processamento de imagem, como ajuste de tom e cor. A interface é um pouco desajeitada, mas dá pra trabalhar com ela. Arquivos RAW processados podem ser exportados em formatos como TIFF e JPEG. Não há a opção de ajuste de nitidez entre as ferramentas, mas existe uma “unsharp mask” disponível durante o processamento. Só não é possível fazer preview dos resultados de seu uso.

No final das contas, o processo é trabalhoso demais. Quando eu fotografei no modo RAW+JPEG com a qualidade da imagem JPEG definida para Super Fine, os JPEGs tiveram qualidade de imagem superior aos arquiovos RAW, especialmente no quesito nitidez. Ou seja: embota a NX10 seja capaz de capturar em RAW, a qualidade dos arquivos JPEG me agradou mais, e eles deram menos trabalho.

Infelizmente, no momento nem a Adobe (com seu Photoshop) nem a Apple (no Aperture) oferecem suporte aos arquivos RAW produzidos pela NX10.

Nosso conselho

A Samsung NX10 é uma câmera confiável. Embora eu prefira usar o LCD para compor as imagens, é conveniente ter um visor eletrônico para situações nas quais fica difícil ver o LCD, como ao ar livre em dias ensolarados. Tanto o corpo da NX10 quanto suas lentes zoom de 18-55 mm são bem construídos e devem se comportar bem durante uso normal.

Mas por causa do processamento complexo de imagens RAW e qualidade de imagem mediana, a NX10 parece mais adequada aos fotógrafos casuais que desejam a flexibilidade das lentes intercambiáveis em um corpo um pouco menor que uma DSLR típica. Não recomendo esta câmera aos usuários de Mac, a não ser que eles se contentem em fotografar apenas em JPEG ou que a Adobe ou a Apple adicionem suporte aos arquivos RAW desta câmera em seus programas. Por fim, o desempenho insatisfatório na gravação de vídeo irá desapontar qualquer um.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site