Imagem de fundo do header
Scanner portátil dispensa auxílio do computador
Home  >  Review
REVIEW

Scanner portátil dispensa auxílio do computador

Magic Wand permite digitalizar qualquer tipo de documento em qualquer lugar. Software de OCR incluso facilita a passagem de textos e tabelas para Word e Excel.

René Ribeiro, da PC WORLD

wand_mag_ilustra-150.jpg
Foto:

O scanner Magic Wand (varinha mágica), fabricado pela VuPoint, não poderia ter nome mais apropriado. Trata-se de um scanner portátil, com dimensões de 25,6 centímetros de largura por 3 cm de espessura e 3 cm de altura. O peso é de 233 gramas, já com as duas pilhas tipo AA (comum) que acompanham o produto.

O scanner possui um pequeno painel LCD que informa a resolução (300 ou 600 pontos por polegada); a quantidade de documentos digitalizados; o status da carga da bateria e o modo escolhido: colorido ou monocromático.

São três botões de operação, localizados na parte de cima: o botão liga/desliga, na parte central do equipamento, que também tem a função de digitalizar; o botão para escolher a resolução e outro botão para escolher o modo cor ou monocromático.

Mais dois botões estão na lateral do scanner, que servem para ajustar o calendário e para formatar o cartão de memória. Esses botões são do tipo reset, é necessário usar um clipe para acioná-los. Isso faz sentido, já que são funções que fazem parte de ajustes e não serão utilizadas a todo momento.

wand_mag_frente-350.jpg

Ainda na lateral está o conector padrão mini-USB que serve para conectar o scanner ao PC e transferir os documentos digitalizados. Também há o slot para o cartão de memória flash tipo microSD. O Magic Wand não tem memória interna e também não acompanha o cartão de memória. A capacidade máxima de cartão microSD aceita pelo scanner é de 32 GB.

wand_mag_embaixo-350.jpg
Parte de baixo do scanner: roldanas garantem que o resultado não ficará desalinhado

 

Testes
O uso desse scanner é realmente simples. Tiramos da caixa e, sem ler o manual, tentamos usar imediatamente. Bastou colocar as pilhas e o cartão de memória. Para ligar, usamos a intuição: pressionando o botão liga/desliga uma vez, nada aconteceu. Então mantemos esse botão pressionado e, apenas uns dois segundos depois, o painel LCD exibiu as informações. (foto abaixo).

wand_mag_lcd-350.jpg

Painel LCD informa resolução, modo de cor, quantidade de documentos e status da bateria.
Botões do lado esquerdo selecioanam a resolução e modo de cores.

A seguir deixamos uma foto comum (15 cm x 10 cm) sobre a mesa, posicionamos o scanner, apertamos o botão start e “escorregamos” o aparelho pela foto. Em três segundos o arquivo estava armazenado no cartão microSD. Para passar a foto para o computador, bastou inserir o cabo USB (que acompanha o produto) e o PC reconheceu o dispositivo diretamente como um pen drive. A partir disso foi fácil verificar o arquivo e passá-lo para o computador. Todos os arquivos são gravados no formato JPG.

foto-smaple.jpg

Exemplo de uma foto (15 x 10) digitalizada pelo Magic Wand

Reconhecimento de caracteres
Além das imagens, o Magic Wand também pode digitalizar livros, revistas, jornais e outros documentos. Mesmo livros mais grossos podem ser digitalizados, pois o scanner pode ser usado na vertical, evitando assim a parte do livro que fica mais alta (exemplo na foto abaixo).

wand_mag_digit-350.jpg

Livros volumosos podem ser digitalizados sem problemas

O produto acompanha o software Abbyy Screenshot Reader. A empresa Abbyy é tradicionalmente conhecida por desenvolver softwares de OCR (reconhecimento ótico de caracteres, na sigla em inglês). Novamente a simplicidade chamou a atenção. Após a instalação, o software exibe uma pequena tela na qual o usuário só precisa escolher em qual idioma está o texto a ser interpretado e para qual destino será enviado.

Além da língua portuguesa, há uma lista extensa de idiomas. Há até opção para escolher se o texto a ser interpretado é alguma linguagem de programação, que possui códigos e símbolos únicos (tela abaixo).

tela-idiomas.jpg

 

Quanto ao destino, o resultado pode ser enviado diretamente ao Word, Excel (se for uma tabela), área de transferência, texto puro (TXT) ou documento para arquivo. O detalhe é que o software não precisa do scanner plugado ao PC, pois ele irá interpretar o texto das imagens já digitalizadas armazenadas no cartão.

Com o software em execução, basta clicar no botão para interpretar e selecionar com o mouse o texto na imagem digitalizada. Ao término da seleção o software faz o reconhecimento dos caracteres, abre o Word automaticamente e transfere o texto. Fizemos o teste com uma página de revista, com 642 palavras. Usamos o verificador ortográfico do Word e encontramos erros em oito palavras. Nesse teste, a precisão foi de 98,75% de acerto no reconhecimento dos caracteres.

Conclusão
O scanner Magic Wand é interessante pela mobilidade que oferece e também pela precisão. Como ele usa um sistema de roldanas, não é preciso se preocupar em mantê-lo alinhado, pois as roldanas fazem isso. A digitalização é rápida e documentos de até 22 centímetros de largura podem ser digitalizados.

A operação é simples, com poucos botões para operar e a transferência dos documentos para o computador é igualmente fácil. A duração das baterias, segundo o fabricante, é de 180 documentos digitalizados no modo cor ou 200 no modo monocromático.

Em nossa opinião, só há dois pontos negativos: o hardware não tem nenhuma memória interna (o que obriga o usuário a comprar um cartão de memória), e o software para reconhecimento de caracteres só consegue processar uma página por vez.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site