Imagem de fundo do header
Sony-Ericsson Xperia Neo: diga “Xis”!
Home  >  Review
REVIEW

Sony-Ericsson Xperia Neo: diga “Xis”!

Com câmera de 8 MP e processador de 1 GHz, smartphone da Sony-Ericsson tem bom desempenho e faz ótimas fotos

Rafael Rigues, PCWorld Brasil

Foto:

O Xperia Neo é o “irmão do meio” da linha 2011 de smartphones Android da Sony-Ericsson, composta também pelo Xperia Arc, um modelo topo de linha, e o Xperia Play, projetado para jogos e também conhecido como “PlayStation Phone”.

Equipado com um processador de 1 GHz e rodando o sistema operacional Android 2.3.3, ele não deixa a desejar se comparado a outros aparelhos da mesma categoria, como o LG Optimus Black ou Samsung Galaxy S. E seu preço o torna uma opção atraente para quem quer um aparelho de alto desempenho sem gastar muito.

Design

O Xperia Neo segue as linhas gerais de design de seus irmãos Arc e Play. A frente é dominada pela tela multitoque de 3.7 polegadas, com três botões (Back, Home e Menu) cromados formando um “arco” logo abaixo. As laterais são cromadas e a tampa traseira tem um belo gradiente do preto para o azul escuro.

Falando na tampa traseira ela é curva (convexa), o que segundo a fabricante faz com que o aparelho se encaixe melhor nas mãos. Pode ser verdade, mas isso tem o inconveniente de deixá-lo instável sobre uma mesa: ele balança ao menor toque na tela, o que é ruim para quem gosta de ler as notícias ou acompanhar redes sociais durante o almoço, por exemplo.

xperianeo-360px.jpg

Xperia Neo: design curvilíneo e elegante

A Sony-Ericsson optou por colocar todos os botões (controle de volume, liga/desliga e botão da câmera) na lateral direita, o que vai contra a “norma” estabelecida de ter os controles de volume na lateral esquerda. O botão liga-desliga (que também serve para bloquear/desbloquear a tela) é fundo demais e difícil de apertar.

O mesmo pode ser dito sobre o botão da câmera: ele é um botão de dois estágios, e para fotografar o usuário primeiro pressiona ele até a “metade” para focar, e até o fim para bater a foto (como em uma câmera doméstica). Mas o segundo estágio é duro demais, o que faz com que o telefone se mova na hora do clique e pode resultar em fotos borradas. Felizmente o aplicativo da câmera tem a opção de bater a foto com um toque na tela com foco automático, dispensando o botão.

Debaixo da tampa traseira ficam a bateria, slot para SIM Card e um slot para cartões de memória no padrão microSD. O aparelho vem acompanhado de um cartão de 8 GB.

Fotos e vídeo

Um dos grandes destaques do Xperia Neo é sua câmera de 8 MP com flash, que também é capaz de gravar vídeos em HD a 30 quadros por segundo. O sensor “Exmor R”, desenvolvido pela própria Sony, também é usado em câmeras Cyber-shot e filmadoras Handycam, e segundo a Sony facilita a captura de imagens em situações de pouca luz, reduzindo o ruído em relação aos sensores convencionais.

xperianeo_azaleia-360px.jpg

Foto diurna: ótima nitidez e cores vibrantes. Clique para ampliar.

Sob a luz do sol a qualidade das fotos é impressionante: elas são nítidas, com cores vibrantes, bom contraste e pouco ruído. Notamos uma certa perda de foco nas bordas da imagem, mas nada grave. A câmera analisa a cena e seleciona automaticamente o “modo” mais adequado, seja um retrato, uma paisagem ou foto em macro. Também há um modo de detecção de sorriso, para que ninguém saia com a cara feia em suas fotos.

Já nas fotos noturnas a nitidez diminui consideravelmente (parece que a câmera tem problemas para ajustar o foco) e há mais ruído, mas ainda assim os resultados são melhores do que seria obtido com outros aparelhos. Visitem nossa galeria no Flickr para ver amostras das fotos em tamanho real.

xperianeo_noite-360px.jpg

Foto noturna: melhor que a média dos outros aparelhos. Clique para ampliar.

Na hora de filmar, o Neo faz uma coisa que não vimos nenhum outro smartphone fazer: ele analisa a cena em busca de rostos e seleciona o que está mais próximo da câmera, mantendo-o automaticamente em foco. Ele também parece tentar estabilizar a imagem, evitando o efeito de “câmera tremida” tão comum em videos feitos com aparelhos leves. 

Infelizmente este último recurso não dá muito certo, e o resultado é uma imagem que oscila de forma desigual, como se fosse feita de gelatina (veja amostra abaixo). Na hora de gravar, tente manter a câmera o mais estável possível e faça movimentos suaves para obter o melhor resultado.


Notem o "efeito gelatina" quando a câmera se move

Segundo a Sony-Ericsson o Xperia Neo é equipado com a tecnologia “Mobile BRAVIA Engine”, uma versão portátil da tecnologia de processamento usada em suas TVs, criada para melhorar a qualidade de fotos e vídeos quando vistos em seus smartphones.

O recurso pode ser ativado no painel de configurações do aparelho, em “Configurações / Tela / Mobile BRAVIA Engine”. Mas na prática, não vimos grande diferença na qualidade de imagem com ele ativado ou não.

Desempenho

Ficamos agradavelmente surpresos com o desempenho do Xperia Neo. O hardware é baseado na mesma plataforma do Xperia Play: um processador Qualcomm Snapdragon (MSM8255) de 1 GHz, acompanhado por uma GPU Adreno 205 e 512 MB de RAM. 

Nos benchmarks o Xperia Neo chegou à marca de 1540 pontos no Quadrant e 1043 pontos no teste de produtividade do Smartbench, em ambos os casos à frente de aparelhos na mesma categoria como o LG Optimus Black, ou até de ícones como o Samsung Galaxy S. Em testes de desempenho gráfico foram inéditos 60 FPS no NeoCore, e respeitáveis 44.5 FPS no Nenamark 1, embora no Nenamark 2 a marca tenha sido baixa, apenas 15,4 FPS.

O que importa é que no dia-a-dia a interface responde imediatamente aos toques, e tudo se move com fluidez. A rolagem de páginas é suave, mesmo aquelas com elementos em Flash. Falando nele, o Neo rodou jogos em Flash como o popular “Canabalt” com ótimo desempenho. E o mesmo pode ser dito sobre jogos nativos para Android, de títulos mais casuais como “Fruit Ninja” aos mais sofisticados como “Need for Speed: Shift”. 

Também não tivemos problemas ao reproduzir vídeo em alta-definição (720p) em MPEG-4 ou AVI usando o aplicativo Moboplayer (disponível no Android Market). Não tivemos a mesma sorte com arquivos MKV, que exigem o uso de decodificação por software, o que resulta em uma taxa de quadros baixa demais e transforma o vídeo em um “show de slides”.

Bateria

Para determinar a autonomia da bateria, submetemos o aparelho a situações de uso real ao longo de dois dias. No primeiro dia retiramos o aparelho do carregador às 10 da manhã, usamos o recurso de compartilhamento da conexão 3G via Wi-Fi por cerca de duas horas, tiramos cerca de uma dúzia de fotos, fizemos duas ou três chamadas curtas e deixamos o aparelho em espera durante a maior parte do dia, conectado a uma rede Wi-Fi com atualizações do Twitter e GMail ocorrendo em segundo plano. Nesse ritmo chegamos à meia-noite com cerca de 27% de carga restantes.

No segundo dia novamente começamos às 10 da manhã, baixamos cerca de 100 MB de dados via 3G, fizemos um vídeo de 01:30, navegamos na web via 3G por cerca de 1 hora e fizemos duas chamadas curtas, além de deixar o aparelho em espera na maior parte do tempo, conectado à uma rede Wi-Fi e baixando mensagens do GMail e Twitter. Novamente ele chegou à meia-noite cerca de 27% de carga restantes.

Consideramos isto como uma boa autonomia: ele provavelmente não irá deixá-lo na mão durante o dia em uso típico, embora seja necessário recarregá-lo toda a noite, como qualquer outro smartphone Android que já passou por nossas mãos.

Veredito

O Sony-Ericsson Xperia Neo é “mineirinho”: mesmo sem fazer tanto barulho quanto os concorrentes entrega uma boa combinação de recursos e poder de processamento com um preço bastante atraente de R$ 1.499 segundo o fabricante, embora já o tenhamos visto desbloqueado por até R$ 1.299. 

A excelente câmera o torna uma ótima opção para quem gosta de fotografar, e a diferença de 0.3 polegadas no tamanho da tela em relação a concorrentes como o Samsung Galaxy S ou o LG Optimus Black não é tão importante assim. E o hardware poderoso o torna até mesmo uma alternativa ao Xperia Play, se você gosta de jogar e não faz questão de um gamepad de verdade.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site