Imagem de fundo do header
Studio Hybrid nem parece um destkop, mas é e tem bom desempenho
Home  >  Review
REVIEW

Studio Hybrid nem parece um destkop, mas é e tem bom desempenho

Computador da Dell é 80% menor que um PC de mesa comum, pesa apenas 2,3 quilos e consome 70% menos energia elétrica.

René Ribeiro, analista de testes da PC WORLD

dell_studio_hybrid_150.jpg
Foto:

Nem parece um desktop. O Studio Hybrid, novo equipamento da Dell, chama atenção por ser compacto, leve e ter linhas arredondadas. Ele mede 22,3 centímetros de altura (contando com a base), 7,1 de largura por 21,1 cm de profundidade. E pesa apenas 2,3 quilos. Se o usuário preferir, ele pode ser usado na horizontal. Basta retirar a base e montá-la na lateral do pequeno PC.

Para chegar a um computador de mesa tão reduzido, foram utilizados componentes muito parecidos com os de um notebook. Exemplo disso é sua fonte de alimentação externa, com o mesmo formato das utilizadas em laptops. Além da facilidade de transporte, ele também cabe em qualquer canto.

dell_studio_hybrid_280.jpg

Há várias configurações disponíveis para o equipamento. Testamos o modelo com processador Core 2 Duo T8300 (2,4 GHz), 4 GB de memória padrão DDR2 667, HD de 250 GB, unidade óptica que lê Blu-ray e grava DVD, chipset Intel GM965 com vídeo GMA X3100 e chip de som Realtek, que simula saída 5.1. O sistema operacional é o Vista Home Premium.

Como nos computadores iMac, da Apple, a unidade óptica é tipo slot. Não há bandeja externa, pois o disco é “puxado” para dentro. O botão de eject é por toque, o que deixa o gabinete com apenas um discreto botão de liga e desliga. Na parte frontal do Hybrid há duas portas USB, leitor para cinco tipos de cartão de memória e saída para fone de ouvido.

E na parte de trás o usuário encontra três entradas USB, uma FireWire 400, saída e uma entrada de áudio, conector para áudio digital, duas saídas de vídeo com padrões DVI e HDMI e um conector RJ-45, para rede Ethernet padrão Gigabit.

dell_studio_hybrid_350.jpg

Um recurso interessante é a conexão Wi-Fi, padrão 802.11 b/g/n. Como o computador é pequeno, o usuário pode assim transportá-lo pela empresa ou cômodos da casa sem perder o acesso à rede sem fio disponível.

Nos testes, o Hybrid mostrou bom desempenho – já esperado, pois tem uma configuração respeitável. Ao enfrentar o software de benchmarking PCMark05, atingiu 4.825 pontos. No PCMark Vantage chegou a 3.211 pontos. Comparando com configurações semelhantes, está dentro da média.

Na prática, rodou softwares como Photoshop CS3 sem engasgar na aplicação de 12 filtros, levando 14 segundos para finalizar todos, com imagens de oito megapixels carregadas.

Ele teve um pouco mais de trabalho ao carregar, simultaneamente, um filme em Blu-ray, o mesmo trabalho em Photoshop, navegar na internet, executar planilha de cálculo e editor de textos.

Neste caso, a aplicação de 12 filtros no Photoshop levou 16 segundos e, ao alterarmos entre tarefas, o filme executado em disco Blu-ray sofria uma pequena parada. Mas nada que consumisse muito tempo.

Essa configuração tem o preço de 3.711 reais, acompanha teclado, mouse e discos de recuperação do sistema e drivers – valor salgado, se comparado ao preço de um notebook. O equipamento está disponível em seis cores, além de contar com uma versão “ecológica” (250 reais mais cara), com a capa do gabinete feita em fibra de bambu.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site