Imagem de fundo do header
Teste mostra evolução no Excel 2011 para Mac, apesar da rolagem lenta
Home  >  Review
REVIEW

Teste mostra evolução no Excel 2011 para Mac, apesar da rolagem lenta

Nova versão do programa da Microsoft, que chega em 3/11, atinge bom desempenho e traz muitos recursos; pontos negativos são scroll e a falta de suporte ao recurso Services

Macworld / EUA

excel201103-150.jpg
Foto:

O Excel 2011 para Mac representa o maior avanço para usuários contantes de planilhas em Mac nos últimos anos. Mais ainda do que os anteriores Excel 2004 ou Excel 2008. A nova versão traz literalmente centenas de melhorias, sendo algumas delas saltam aos olhos, enquanto outras são mais discreta. A grande notícia para os usuários é o retorno do suporte para macros (falaremos mais sobre isso depois), mas há coisas legais para serem encontradas em todos os níveis de uso.

Algumas questões irregulares de desempenho e a falta de recursos padrão no Mac, no entanto, não permitem que essa nova versão atinja a perfeição.

A interface

O Excel 2011 é muito diferente das suas versões anteriores de 2004 e 2008. Nele, não estão mais presentes as numerosas barras de ferramenta e paletas de formatação flutuantes.

O novo Excel substitui todos esses pedaços flutuantes por duas barras de ferramentas (padrão e de formatação) e a Ribbon, uma coleção de pequenas abas que fornece fácil acesso para comandos usados com frequência. Você pode personalizar a Ribbon ou até mesmo desabilitá-la, se preferir. Ela é sensível ao contexto, por isso muda para combinar com a tarefa do momento. Por exemplo, se você clicar duas vezes em uma imagem, a Ribbon abrirá um conjunto muito melhorado de comandos de edição de imagem.

A Ribbon e as barras de ferramenta agora estão integrados em cada janela do Excel, de maneira que não há nada flutuando fora do seu espaço de trabalho. Permanecem algumas janelas flutuantes opcionais, mas elas não são necessárias nas tarefas mais típicas com planilhas.

O recurso Ribbon possui abas compactas, podendo, inclusive, mudar para uma única fileira de abas quando não está sendo usado. Como resultado, a nova área de trabalho do Excel não parece menor do que nas versões anteriores. Com a interface agora colocada em uma única janela, ficou mais fácil trabalhar com vários arquivos ao mesmo tempo. Por exemplo, antes você não podia comparar fórmulas entre eles, pois a barra de fórmulas existia apenas uma vez para cada planilha aberta. Agora cada uma possui sua própria barra de fórmula.

Também há uma paleta de cores completa de 32-bits, em vez de 40 cores. Arrastar uma janela para reajustá-la agora atualiza o seu tamanho em tempo real, em vez de apenas puxar um contorno. O SmartArt traz mais de 150 templates, sendo que todos podem ser customizados. Um navegador de mídia fornece acesso rápido a fotos, áudio, vídeos, clip art, símbolos e formas. Em sua maioria, esses novos recursos funcionam bastante bem.

Há um pouco de atraso quando se ajusta o tamanho de janelas em tempo real, mesmo em computadores atuais, mas o "delay" é tolerável.

excel201101.jpg

Revisão na intergace de usuário: tudo em uma janela, com o recurso Ribbon aberto

Trabalhando com planilhas
Além da revisão visual, o Excel 2011 fornece muitas maneiras novas ou melhoradas de se trabalhar com planilhas e suas informações. Logo de cara, você vai notar uma nova Workbook Gallery, que aparece quando você abre o aplicativo. Apesar de não possuir uma tonelada de templates armazenados, você pode navegar por uma enorme coleção online de templates diretamente da janela da galeria.

Um dos novos e inovadores recursos do Excel 2011 são as chamadas “sparklines”, que são simplesmente gráficos de valores de dados que aparecem em uma única célula. Em vez de construir uma tabela completa para procurar por uma tendência em seus dados, você pode usar esses gráficos para mostrar o que precisa ver de uma maneira mais simples e rápida. A criação dessas sparklines é tão fácil quanto selecionar alguns dados, escolher um item do menu e clicar em uma célula de destino.

A formatação condicional está muito melhor no Excel 2011. Nessa nova versão, você não fica mais restrito a três regras de formatação condicional por célula; o limite agora depende apenas da sua memória RAM disponível. O arcaico editor das edições anteriores do programa foi substituído por uma interface maior e mais intuitiva. Agora você pode escolher a partir de quatro formatações condicionais pré-definidas (incluindo barras de dados, escalas de cores e ícones especiais), ou ajustar o formato baseado em uma fórmula (como antes).

Você também pode rearranjar de maneira fácil as regras existentes – uma melhoria muito bem-vinda por sinal. E dá para incluir fórmulas baseadas em dados de outras planilhas.

excel201102.jpg

Pequenas, mas úteis: as novas sparklines fornecem gráficos em uma única célula

Para te ajudar a formatar seus dados para apresentação, o Excel 2011 oferece ambos os temas e estilos de células. Você pode personalizá-las como quiser, e salvar as versões customizadas para uso futuro. Os temas e estilos de células estão disponíveis no Ribbon por meio de janelas drop-down de tamanho ajustável. Infelizmente, o Excel não se “lembra” das configurações customizadas de tamanho e formato de nenhuma janela baseada em Ribbon, por isso você terá de reajustar os tamanhos toda vez que ativá-las.

As pessoas que dependem das chamadas tabelas dinâmicas vão gostar da criação automática de Pivot Tables do Excel 2011, uma nova ferramenta para facilitar a construção e a modificação desses componentes. O Pivot Table Builder é mais simples de usar nessa nova versão do programa em comparação à edição 2008.

As tabelas (antes conhecidas como listas) ganharam de maneira semelhante uma repaginação visual no Excel 2011. Criá-las é algo tão simples quanto selecionar seus dados e escolher um layout no Ribbon (ou a partir dos menus). Uma vez que você tiver feito isso, é fácil filtrar e separar suas informações.

excel201103.jpg

Filtros melhorados: no Excel 2011 eles estão mais alinhados com a versão do programa para Windows

De modo geral, filtrar e separar os dados ficou mais fácil no Excel 2011 do que no 2007 e na versão 2010 para Windows. É possível criar condições de filtro por seção,  sem usar filtros customizados; selecionar ou filtrar em uma cor de fonte ou de célula; ver as combinações imediatamente após criar o filtro; e utilizar filtros embutidos para acelerar seu trabalho.

As macros estão de volta
O Excel 2011 resolve uma das maiores reclamações da sua versão anterior: a falta de suporte para macros. Por meio do Visual Basic for Applications, elas estão de volta no novo Excel. Isso significa que você já pode aposentar seu Office 2004, última edição a suportar macros.

A nova versão do Excel suporta alguns novos recursos de macro, como a habilidade de estabelecer "watch points", e lidou bem com todas nossa planilhas existentes com macros (incluindo os modelos mais complexos) nos testes. Além disso, a Microsoft afirma que melhorou a compatibilidade de macros entre as plataformas, como a versão para Windows.

Apesar de muitos usuários de Mac provavelmente nunca usarem macros, o retorno delas é uma boa notícia para usuários mais frequentes e pessoas que trabalham em ambientes com cruzamento de plataformas.

Compartilhando e protegendo planilhas
Se você compartilha seus projetos do Excel com outras pessoas, a nova versão do programa tem mais a oferecer do que as anteriores. Antes, você podia proteger células, conteúdos e panoramas de planilhas, e travar ou destravar uma determinada célula para edição.

No Excel 2011, no entanto, você pode proteger o conteúdo de uma célula enquanto permite que as mudanças sejam formatadas. Também pode permitir ou evitar a inserção e remoção de linhas e colunas, o uso de filtros e classificação, e mais. Esses recursos combinam com as opções de proteção disponíveis em versões do Excel para Windows, sendo melhor para a compatibilidade entre plataformas cruzadas.

excel201104.jpg

 Mais proteção: o Excel 2011 oferece maior flexibilidade para segurança de planilhas

Além de proteção melhorada para planilhas, o Excel 2011 oferece total gerenciamento de direitos de informação, o que permite aos usuários em um ambiente corporativo especificar as pessoas e grupos com direitos a um arquivo, incluindo restrições a quem pode ler, imprimir, enviar ou copiar seus conteúdos.

Se as suas necessidades de compartilhamento são mais simples, você pode salvar diretamente no Windows Live SkyDrive (serviço gratuito e com até 25GB de armazenamento) a partir do próprio Excel 2011. Assim que você salvar seus documentos no SkyDrive, poderá acessar e editá-los online, em qualquer navegador, usando o Excel Web App.

Com o aplicativo para web (que não possui tantos recursos quanto a versão desktop), você pode editar sua planilha, e abrir a cópia modificada no Excel em seu Mac. Várias pessoas podem inclusive editar o arquivo ao mesmo tempo, de maneira parecida com a edição colaborativa do Google Docs. Em nossos testes, esse recurso funcionou de maneira satisfatória. Não é possível criar sparklines no aplicativo online, mas é possível atualizá-las ao alterar seus valores de base.

Espaço para melhorias
Apesar de esse lançamento fazer grandes progressos com a interface de usuário e o conjunto de recursos, ainda existem algumas coisas que não funcionam da maneira esperada. O Excel utiliza seu próprio dicionário e lista de referência em vez das ferramentas fornecidas pelo OS X; por exemplo, Command+A não irá selecionar todo o texto na barra de fórmula; e, de forma irritantemente, o recurso Services, do sistema OS X, ainda não está disponível. O fato de que esses recursos não funcionam no Excel é decepcionante para as pessoas que esperam por um software totalmente voltado para Mac.

Além da ausência de esperados recursos de interface, o desempenho do Excel 2011 é um pouco irregular. Quando você está realizando scroll por planilhas grandes, elas parecem se mover muito lentamente, até mesmo em computadores mais novos.

Em comparação com as versões anteriores 2004 e 2008, o novo Excel foi de longe o mais lento dos três – levou cerca de seis vezes o tempo para realizar o scroll pelo documento de teste em relação a edição 2004 do programa (consultada, a Microsoft afirmou que eles tornaram a rolagem mais lenta após usuários reclamarem que ela era muito rápida. Apesar de ser rápida demais no Excel 2004, é cerca de duas vezes mais devagar no 2008, o que parece um pouco excessivo). Quando você adiciona o atraso ao se reajustar o tamanho de uma janela, a interface do Excel 2011 pode parecer lenta às vezes.

No entanto, ao se colocar o novo Excel para lidar com muitos números, os resultados foram ótimos. Usando uma planilha de 15.000 linhas por 22 colunas contendo uma mistura de fórmulas de cálculo lento, o Office 2004 e o 2008 levaram cada um mais de cinco segundos para recalcular.

Por outro lado, a versão 2011 nem “piscou”, recalculando a mesma planilha de teste em menos de um segundo. Por isso, apesar de o desempenho na superfície do Excel 2011 sofrer em comparação aos seus antecessores, ele está claramente funcionando de maneira mais eficiente “por baixo da tampa”. E essa talvez seja a medida mais forte de performance, por ser a que mais irá afetar as tarefas executadas no programa – não precisar esperar por cálculos de enormes planilhas é um grande economizador de tempo.

Notamos resultados similares em todos os arquivos testados; o scroll era melhor nas versões anteriores do Excel, mas a edição 2011 facilmente superava seus antecessores em velocidade de cálculo.

Conselho de compra da Macworld
Você deveria realizar o upgrade para o Excel 2011 se está usando uma versão mais antiga? Sim. A nova interface e funcionalidades melhoradas facilitam a vida até mesmo em projetos grandes. Já os recursos de proteção e compartilhamento tornam mais fácil o trabalho com outros usuários – tanto no Mac quanto no Windows.

Há poucos pontos negativos no novo Excel. O scrolling foi deixado lento demais, o reajuste de tamanho de janela em tempo real é estranho, e a falta de suporte para o recurso Services é um problema, uma vez que esse é um recurso de uso frequente.

No entanto, esses não são problemas grandes o suficiente para realmente afetar o desempenho e os recursos do novo Excel – o programa simplesmente funciona, e possui tantos recursos e melhorias quanto os usuários de planilhas estavam pedindo. O Excel 2011 é um programa sólido para qualquer pessoa cujo trabalho envolve uma dose pesada de tarefas com planilhas.

A nova versão do pacote de produtividade da Microsoft tem lançamento mundial marcado para o dia 26/10. Mas o suite só será lançado no próximo dia 3/11 no Brasil, conforme informado hoje pela assessoria local da fabricante.

Por aqui, o pacote estará disponível nas versões "Home &
Student", por 199 reais, e "Home & Business", por 599 reais. E os
consumidores que adquirirem o Office 2008 entre 1/8 e 30/11 têm direito
à atualização gratuita.

De acordo com a Microsoft Brasil, o produto será em inglês com corretor
ortográfico em português (com a nova e antiga ortografia).

 

 

 

Os resultados estão em segundos. Número mais baixos são melhores e estão em negrito.

Como testamos. Abrimos uma planilha com 225 mil células de dados. Recalculamos o arquivo, fizemos scroll pela planilha e salvamos o arquivo (Salvar Como).

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site