Imagem de fundo do header
Teste: Novos Macs Mini ganham em desempenho, mas perdem drive de DVD
Home  >  Review
REVIEW

Teste: Novos Macs Mini ganham em desempenho, mas perdem drive de DVD

Desktop compacto da Apple, que ficou mais barato, agora traz rocessador Core i5, conexão Thunderbolt e é duas vezes mais rápido que o modelo anterior

Macworld/EUA

macmini_150.jpg
Foto:

Com o modelo anterior do Mac Mini, lançado em junho de 2010, a Apple deu ao seu menor Mac uma repaginada no layout, além de adicionar um leitor de cartão SD e uma entrada HDMI. Mas, apesar dessas mudanças dramáticas, o computador recebeu upgrades modestos na parte de dentro: um processador moderadamente mais rápido e um chip gráfico melhor. E também veio com um preço maior: o modelo mais barato saía por 2.600 reais (699 dólares).

Já a nova versão do Mac Mini, lançada há algumas semanas junto com o Mac OS Lion, faz o contrário: mantém o design do modelo do ano passado, mas recebeu um corte no preço, além de um bom upgrade interno.

Recursos e conexões
Assim como na linha 2009, o Mac Mini voltou a estar disponível em dois modelos, com o mais barato começando em 1.800 reais. Por esse preço, você leva um processador Core i5 (superior ao Core 2 Duo do anterior), 2 GB de RAM, HD de 500 GB e uma placa gráfica integrada Intel HD Graphics 3000 com 288 MB de memória. Já por 2.700, a Apple melhora o processador para 2,5 GHz, a memória RAM sobe para 4 GB, e a placa gráfica torna-se uma AMD Radeon HD 6630M e 256 MB de memória dedicada (também há uma versão servidor do desktop, com preços a partir de 3.300 reais, que iremos analistar separadamente.)

Os novos modelos substitutem a entrada Mini DisplayPort por uma conexão de transferência rápida de dados Thunderbolt, que também suporta vídeos (2.560 x 1.600 pixels). Traz ainda outras entradas FireWire 800, quatro portas USB 2.0, uma Gigabit Ethernet  (10/100/1000BASE-T) e leitor de cartão SDXC (que continua mal localizado).

Em termos de conectividade wireless, o Mac Mini continua com o
wireless 802.11a/b/g/n e traz Bluetooth 4.0. O Mini ainda inclui um
alto-falante embutido mono e receptor infra-vermelho para o controle
Apple Remote (não incluído).

Sem CD
Apesar de ser praticamente idêntico externamente em
relação ao modelo anterior, o novo Mac Mini possui uma diferença que é
muito perceptível: o aparelho perdeu seu drive óptico. Para quem usa
frequentemente DVDs ou CDs, isso pode arruinar a compra. Mas, para quem
não liga para essas mídias físicas, essa retirada só tem benefícios,
como o custo menor de produção e envio para a Apple, já que o produto
ficou mais fino e leve.

 

macmini201101.jpg

 Novo Mac Mini possui mais entradas do que modelo anterior

 

Core i5
Enquanto o modelo 2010 oferecia melhorias de desempenho modestas, a chegada do processador Core i5 ao novo Mac Mini é responsável por grandes melhorias de velocidade. 

Como estamos atualmente repaginando nosso pacote de testes de ferramentas de teste, para acompanhar o Lion e as mais recentes mudanças de hardware do Mac, ainda não temos nossos resultados tradicionais do Speedmark. No entanto, rodamos 10 componentes atualizados do pacote para ter uma ideia de como os novos Mac Minis se comportam. 

Em testes intensos de CPU, incluindo o Cinebench e a codificação para MP4 no Handbrake, o novo Mac Mini com Core i5 de 2,5 GHz foi mais do que duas vezes mais rápido do que o modelo do ano passado com chip Core 2 Duo de 2,4 GHz; e o novo Mac de 1.800 reais também deixou o anterior comendo poeira, sendo 45% nos dois testes.

Em outras avaliações intensivas para a CPU, os novos modelos foram entre 30% e 50% mais rápidos do que os aparelhos do ano passado, com o novo modelo de 2.700 reais sendo um pouco mais rápido que seu irmão mais barato.

Infelizmente, o disco rígido do Mac Mini continua sendo um modelo de 5400 rpm e 2,5 polegadas. E apesar de terem sido até duas vezes mais rápidos que os anteriores em tarefas de processamento intensivo, os modelos de 2011 foram apenas um pouco mais rápidos em testes envolvendo a leitura e gravação de dados no disco rígido.

Por exemplo, houve pouca diferença entre os modelos no nosso teste de importação do iMovie, e o Mac Mini 2011 de 2.700 reais foi apenas 15% mais rápido  que o modelo do ano passado em nosso teste de duplicação de pastas.

macmini201102.jpg

Assim como no modelo de 2010, é fácil trocar a memória do novo Mac Mini 

Já quanto ao desempenho gráfico, nossos resultados do benchmark foram variados. O modelo mais completo do novo Mac Mini foi quase duas vezes mais rápidos do  o modelo de 2010 em nossos testes do Cinebench OpenHL e com o game Portal 2; e ele foi cerca de 50% mais rápido no teste de “Call of Duty”. Mas o modelo de 1.800 reais, com seu processador gráfico integrado teve desempenho quase igual ao dp modelo de 2010 no teste do Cinebench e apenas 12% mais rápido em “Portal 2” (o modelo de 1.800 reais deste ano foi, na verdade, mais lento do que o modelo de 2010 no teste de “Call of Duty”, apesar de esse jogo ser mais antigo e não ter sido otimizado para os gráficos Intel - games mais novos, como “Portal 2”, possuem desempenho muito melhor com os processadores gráficos da Intel.)

E, como no modelo de 2010, a instalação de memória nos novos Minis é surpreendentemente fácil: você apenas roda a base plástica do computador no sentido anti-horário, tira os chips, coloca os novos e recoloca a base.

Sobre os outros upgrades, a inclusão do Thunderbolt é realmente um ótimo negócio, apesar de existirem poucos periféricos compatíveis com a tecnologia no mercado atualmente. Como nossos testes mostram, o Thunderbolt é muito mais rápido até do que a FireWire 800.

tabelamacmini201101.jpg

Conselho de compra da Macworld
Quando testamos o Mac Mini lançado em 2010, chamamos o equipamento de o computador mais versátil da Apple para as pessoas que não precisavam de um desempenho de workstation. Sem o drive ótico, o novo Mac Mini pode não ser mais tão versátil, mas os processadores Core i5 significam que, pela primeira vez, o aparelho possui um desempenho de respeito – quase duas vezes mais rápido do que seu antecessor e comparável a alguns modelos do mais recente MacBook Pro.

Por outro lado, os usuários que precisam de ótimos gráficos não encontrão isso aqui, e a perda do disco óptico pode assustar alguns compradores, especialmente aqueles que querem usar o Mini como parte de um media center em casa (apesar de a ausência do Blu-ray em todos os produtos da Apple já ter meio que acabado com essa intenção para muitas pessoas).

Se você está em busca de um Mac Mini, qual modelo deveria comprar? Neste ano, essa pergunta tem uma resposta fácil: se quer o melhor desempenho – gráficos ou CPU – modelo de 2.700 reais é um ótimo passo à frente, especialmente para games; é também o único modelo disponível com um processador Core i7 (por mais 350 reais). Para todo o resto dos usuários, o modelo de 1.800 reais, com uma leve melhoria de memória RAM, é uma escolha melhor.

E como nos Macs Mini anteriores, talvez a melhor pergunta seja sobre o valor relativo do aparelho: como o Mac Mini se sai frente a outros desktops da Apple? Se você já tem um monitor legal, teclado, e mouse, o iMac mais barato custa 1.200 a mais  que o Mini. Mas se você planeja comprar novos acessórios, o iMac pode começar a parecer mais atraente, especialmente quando comparado ao Mini de 2.700 reais. 

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site