Imagem de fundo do header
Teste: novos MacBooks Pro superam os anteriores – e até os iMacs
Home  >  Review
REVIEW

Teste: novos MacBooks Pro superam os anteriores – e até os iMacs

Notebooks vencem os desktops em velocidade e têm bateria melhor que a da versão anteior, mas a parte gráfica deixou a desejar

Macworld/EUA

macbookpro11logo.jpg
Foto:

A Apple ficou quase um ano sem renovar sua linha de MacBooks Pro, intervalo incomum para atualizaçãp  do equipamento. Para compensar, os novos notebooks, lançados no final de fevereiro, trazem diversas mudanças por baixo do capô, incluindo novos processadores, GPUs e um novo conector periférico. Tudo isso traduzido em performance justifica toda essa espera.

A nova linha de MacBooks Pro traz  cinco modelos, todos com 4 GB de memória RAM DDR3 de 1333 MHz e processador Intel HD Graphics 3000 integrado. O modelo de 13 polegadas (3.599 reais) possui processador Core i5 de 2.3GHz e disco rígido de 320GB, com 5400 rpm (valor padrão para todos os novos MacBooks Pro). O segundo modelo de 13 polegadas (4.999 reais) tem processador Core i7 de 2.7GHz e disco rígido de 500GB.

Há também dois modelos de 15 polegadas, ambos com processador Core i7. A diferença, além do preço (6.699 reais, e 7.999 reais) está na potência do processador  (2GHz e 2.2 GHz, respectivamente), na capacidade gráfica das GPUs (a primeira uma AMD Radeon HD 6490M de 256MB e a última trata-se de uma AMD Radeon HD 6750M de 1GB) e o espaço em disco – o primeiro modelo com 50 GB de espaço e o segundo com disco rígido de 750GB. Por fim, há MacBook Pro de 17 polegadas (9199 reais), que possui as mesmas especificações do modelo mais caro de 15 polegadas, com diferença apenas para o tamanho da tela.

Bem-vindo ao Sandy Bridge
A nova série de processadores da Intel, conhecida pelo codenome Sandy Bridge, está  em todos os novos laptops da Apple. Com o processador, cache, GPU e controle de memória residindo no mesmo chip, os processadores Core i5 e i7 ajudaram os novos MacBooks Pro a superarem com folga a performance da CPU de seus antecessores.

Os processadores Sandy Bridge contam com o processador gráfico integrado HD Graphics 3000 da Intel. Na geração anterior do MacBook Pro, a Apple utilizou o chip gráfico integrado da Intel somente nos modelos mais avançados, que possuíam também uma GPU Nvidia GeForce GT 330M dedicada, que se dava muito bem em aplicações gráficas pesadas. 

Como seus antecessores, o Sandy Brdge suporta o Hyper Threading, que permite ao sistema administrar quatro núcleos virtuais nos modelos de 13 polegadas e até oito núcleos virtuais nos modelos de 15 e 17 polegadas. Outra tecnologia, Turbo Boost, permite aos processadores aumentar a velocidade temporariamente quando é necessário.

A Intel descobriu um problema de hardware que poderia diminuir o desempenho ao decorrer do tempo nos computadores baseados em Windows, e fez um recall das máquinas. De acordo com a Apple, esses processadores estão livres desse defeito.

Thunderbolt
A única mudança exterior no Macbook Pro é um raio brilhante próximo onde, antigamente, ficava o conector Mini DisplayPort. Trata-se da entrada Thunderbolt, tecnologia que permite a conexão em linha de até seis dispositivos com a entrada. Esse tipo de conector suporta até 10 watts de força por canal e oferece velocidades de até  10Gbps, o dobro do USB 3.0 e até 12 vezes mais rápido do que o FireWire 800. 

A Apple e a Intel esperam uma forte adoção do Thunderbolt, contudo só o tempo dirá se essa tecnologia vai pegar. Caso queira saber detalhes sobre essa conexão, confira o especial sobre essa nova tecnologia da Intel. (http://migre.me/44v0M)

Nova webcam
Juntamente com as mudanças externas, os novos MacBooks Pro chegam com uma nova webcam integrada chamada FaceTime HD, que subistitui a antiga iSight, presente na versão anterior do dispositivo.  Capaz de capturar vídeos em resolução 720p, a nova webcam leva o nome do software de videochamada da Apple, presente no iPhone 4, no iPod touch de quarta geração e na maioria dos Macs com Snow Leopard. O FaceTime para Mac vem instalado no MacBook Pro.

O que não mudou
Tudo que pode ser visto e tocado no MacBook Pro (além da já mencionada entrada Thunderbolt) é idêntico à última geração. A tela LED de 13, 15 e 17 polegadas tem resoluções de 1200x800, 1440x900 e 1920x1200 pixels, respectivamente. Todos os modelos possuem um teclado em tamanho natural, iluminado e trackpads de vidro multitouch, com suporte para gestos multitoque.

Os alto-falantes e o microfone integrado continuam os mesmos, assim como o número de portas em todos os modelos: uma FireWire 800, uma Gigabit Ethernet, conector de força MagSafe, e uma entrada e saída de áudio. Os modelos de 13 e 15 polegadas possuem duas entradas USB 2.0 e um leitor de cartão SDXC, enquanto o  MacBook de 17 polegadas possui três entradas USB 2.0 e um slot ExpressCard/34.

Pontuações nos testes
Para mensurar a velocidade média de cada MacBook Pro, utilizamos o Speedmark 6.5. O novo MacBook Pro de 13 polegadas e processador Core i5 de 2.3 GHz, fez 140 pontos, e foi 35% mais rápido do que seu irmão mais velho, que possuía processador Core 2 Duo de 2.4GHz. A maior diferença de desempenho aconteceu no teste de encode de AAC para MP3 no iTunes, no qual o novo modelo foi 57% mais rápido. A performance do modelo de 13 polegadas com processador Core i7 de 2.7GHz foi menos significativa, com apenas 13% de ganho em relação ao modelo dual-core de 2.66 GHz.

Já o novo dispositivo de 15 polegadas com Core i7 de 2.2 GHz foi 38% mais veloz do que o modelo mais rápido do ano passado, que contava com processador Core i7 de 2.66 GHz. O novo MacBook Pro de 17 polegadas, turbinado com processador Core i7 quad-core de 2.66 GHz deixou seu antecessor (que possuía processador Core i5 de de 2.53Ghz) comendo poeira, e teve desempenho 53%  maior.

O mais interessante é como a performance dos MacBooks Pro foi melhor em relação aos modelos atuais do iMac. O notebook de 15 polegadas com Core i7 derrotou o iMac de 21.5 polegadas com Core i3 de 3.06GHz na pontuação do Speedmark.  Mais impressionante ainda é que os MacBooks de 15 e 17 polegadas de 2.2GHz foram 7% mais rápidos contra o iMac de 27 polegadas com Core i5 2.8 GHz.

 

tabelamacbookpro11-01.jpg

Gráfico: barras longas são melhores. As azuis representam os sistemas utilizados como referência

Gráficos
Para ver como os novos processadores gráficos lidam com games, rodamos Call of Duty 4 e o Cinebech R11.5, parte do Speedmark 6.5, para testar a GPU. Os resultados nos modelos de 13 polegadas com processadores HD Graphics 300 não impressionaram muito, conseguindo pontuações menores do que seus antecessores com placa gráfica Nvidia GeForce 320M integrada. Mesmo com processador i7, o máximo atingido foram 27fps, menos do que os 33 quadros por segundo atingidos pelo antigo MacBook Pro Core 2 Duo de 2.66Hz.

Em resoluções maiores (de 1280X800), a diferença de pontuação foi ainda maior: a antiga placa Nvidia conseguiu taxas 55% maiores do que o modelo com processador Core i5, e 48% superiores comparado com o modelo de 13 polegadas com Core i7. Já no teste com o Cinebench R11.5, todos os três modelos do Macbook Pro de 13 polegadas e seus antecessores tiveram os mesmo 11 pontos.

Os MacBooks Pro de 15 e 17 polegadas com Core i7 foram as máquinas que se deram melhor no geral, graças aos processador gráfico dedicado Radeon HD 6750M, com 1 GB de memória dedicada a vídeo. No teste com Call of Duty em resolução 1024x768, a dupla foi 31% mais rápido do que a linha antiga, tendo esses anteriores GPU Nvidia GeForce GT 330M.

 

tabelamacbookpro11-02.jpg

 

Vida útil da bateria
Como a bateria do MacBook Pro é integrada, não é possível substituir por outra que já esteja carregada. De acordo com a Apple, a bateria do MacBook Pro deveria durar até 7 horas, e como a empresa mudou a maneira como o teste é feito, fica difícil saber se houve melhorias em relação aos modelos anteriores, que teriam até 10 horas para o notebook de 13 polegada e entre 8 e 9 horas para aqueles com 15  e 17 polegadas.

Em nossos testes, a bateria de todos os MacBooks Pro durou entre 5 horas e 39 minutos (de 17 polegadas com Core i7 de 2.2GHz) e 5 horas e 53 minutos ( 13 polegadas com Core i5 de 2.4 GHz), resultados melhores do que obtidos na linha do ano passado. Ambos notebooks do modelo menor duraram 5 horas e 23 minutos, mais tempo do que seus irmãos mais velhos, sendo 30 minutos a mais para o modelo Core i5 e 18 minutos de janela para laptop com Core i7.

As melhorias de maior expressão vieram com os MacBooks Pro de 15 polegadas. Com processador Core i7, ele durou 50 minutos a mais do que o modelo anterior (que tinha uma marca de 4 horas e 53 minutos). A versão com Core i7, surpreendentemente, foi  além, e durou 54 minutos a mais, em comparação a seu modelo anterior. Também com processador Core i7, o modelo de 17 polegadas não fez feio, e durou 48 minutos a mais do que as 4 horas e 51 minutos do antigo aparelho, que possuía a versão anterior do processador i7.

Vale lembrar que os números são referentes à configuração original do aparelho; a Apple oferece uma vasta lista de opções para o usuário personalizar o MacBook Pro, desde aumentar a memória  RAM de 4GB para 8GB, até trocar o HD por SSD ou mesmo a capacidade do processador. Tudo, claro, por um preço.

Conselho de compra da Macworld
Os novos MacBooks Pro oferecem uma mistura de melhorias, familiaridade e comprometimento. A performance da CPU e da bateria melhoraram muito. Além do triunfo da nova entrada ThunderBolt, a tela, o peso, o teclado, o alto-falante e número de portas continua o mesmo. Quanto ao comprometimento do produto,  há o processador Intel Graphics 300, que obteve resultados inferiores ou similares aos gráficos integrados utilizados nos laptops do ano passado.

Se você estiver decidindo entre um MacBook  de 3 mil reais e um MacBook Pro de 13 polegadas por 3599 reais, a escolha é clara: invista mais um pouco no MacBook Pro, que tem uma performance muito maior e possui mais recursos. O modelo de 15 polegadas com Core i7 de 2.2GHz é a melhor combinação para quem procura tamanho e desempenho, enquanto o MacBook Pro de 17 polegadas é considerado um substituto para o desktop.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site