Imagem de fundo do header
WolframAlpha é bom em matemática, mas peca em conhecimentos gerais
Home  >  Review
REVIEW

WolframAlpha é bom em matemática, mas peca em conhecimentos gerais

Lançado na sexta-feira (15/05), buscador usa novo método para indicar resultados, mas está longe de poder ser usado normalmente.

Redação do IDG Now!

wolfram_alpha_150.jpg
Foto:

wolfram_alpha_150.jpgÉ difícil o mercado alimentar a expectativa que, nessa altura do campeonato, algum serviço apareça do nada para tomar a coroa do Google. Stephen Wolfram, o cientista por trás do WolframAlpha não pretende competir com o Google e admitiu, de cara, sérios problemas nos resultados que deverão ser consertados com o tempo.

Ainda assim, a expectativa que cerca o novo buscador, que estrou oficialmente na última sexta-feira (15/05), é miuto grande, principalmente em um setor já vacinado contra a  empolgação envolvendo serviços que supostamente ameaçariam o domínio do gigante de buscas, como Cuil e Wikia Search. Estes, após alguma atenção inicial, atingiram participações irrisórias ou não chegaram a completar um ano de existência.

Tudo se justifica pela maneira como o WolframAlpha funciona. Atualmente, Google, Yahoo! e Microsoft Live Search indexam todos os conteúdos que conseguem achar na internet e, quando o usuário faz sua busca, batem os termos digitados com a base de páginas guardadas.

Ainda que o método resulte na dificuldade de responder perguntas de forma objetiva, é a maneira lógica que dos buscadores conseguiram encontrar para domar o caos que reina em milhões de páginas sem qualquer organização formalizada das informações apresentadas.

O WolframAlpha aposta em um caminho completamente diferente e quer trocar a imensidão de sites disponíveis online por um banco de conhecimento gigantesco montado, editado e estruturado por cerca de 100 funcionários nos últimos anos. E é com tal estrutura que WolframAlpha surge com a proposta de entregar respostas mais precisas e objetivas.

Como funciona
Na página do WolframAlpha, o usuário deve digitar perguntas diretas. E aí vem a primeira limitação: a pergunta deve ser feita em inglês. Ou pelo menos utilizar termos em inglês

Para descobrir, por exemplo, a distância que separa a Terra da Lua, pergunte ao WolframAlpha: "How far is Earth from Moon?" ou "distance Earth Moon", por exemplo. Em segundos, você descobre que a distância é de 392 mil quilômetros, algo que exigiria prováveis minutos de colheita de dados no Google.

Mais especificamente, a distância entre São Paulo e Moscou aparece também no mesmo espaço curto de tempo no WolframAlpha, enquanto demoraria ainda mais em outros buscadores.

wolfram_sp_moscow.jpg

O serviço também faz comparações, como a relação entre os PIBs (Produto Interno Bruto) de França e da Ucrânia, e entende precisamente a data de um acontecimento particular, como a temperatura no Alasca no dia em que o tenista Rafael Nadal nasceu.

Bom de cálculo...
O algoritmo responsável por interpretar os termos buscados é o Mathematica, software de álgebra computacional voltado a engenheiros, matemáticos e cientistas desenvolvido por Stephen.

Não é por acaso, portanto, o bom desempenho do WolframAlpha em cálculos complexos e assuntos envolvendo teorias matemáticas – digite uma equação para que o serviço retorne uma representação gráfica do cálculo

...mas ruim em conhecimentos gerais
São poucos os usuários, porém, que buscam gráficos de senos e
cossenos em um buscador e é exatamente aí que o WolframAlpha apresenta
problemas àqueles que procuram respostas mais gerais sobre um assunto.

Ao digitar “mac”, o WolframAlpha, por exemplo, retorna a definição da palavra, a incidência do sobrenome entre norte-americanos e uma empresa cuja ação no mercado financeira atende pela sigla. Não há qualquer referência à linha de computadores da Apple.

A mesma falta de resposta acontece ao se buscar o algoritmo de busca do Google PageRank, definições sobre pianos ou exemplos de cachorros pequenos, seguindo exemplo usado pelo Google durante a apresentação de suas novidades na última semana.

O próprio Stephen admite que o WolframAlpha é um projeto de longo prazo e que ainda existem lacunas urgentes a serem preenchidas, como resumos de produtos comerciais (tente buscar por iPhone ou BlackBerry Storm).

Com o crescimento do seu banco de dados, o serviço mostra enorme potencial para ser útil em informações pontuais, curiosidades e consulta de números de uma maneira que nem Google, Yahoo ou Microsoft Live Search conseguem apresentar hoje.

Se você precisar de informações precisas (números, principalmente) sobre determinados temas, vale a pena tentar encontrá-las no WolframAlpha. Mas é provável que, pelo menos por enquanto, você ainda tenha de complementar suas buscas com outros buscadores.

pcw_logo_twitter_73.jpg
> Siga PC WORLD no Twitter em http://twitter.com/pcworldbrasil

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site