Home > Notícias

Segundo presidente da CBL, isenção ao Kindle é benéfica ao mercado editorial

Discussão sobre leitor digital no Brasil ganha novo capítulo, após a Justiça Federal de São Paulo isentar de imposto o produto da Amazon.

Thiago Luiz, do IDG Now!

23/07/2010 às 15h38

Foto:

Na mesma semana, duas boas notícias para quem acredita no futuro dos livros eletrônicos. Primeiro, a Amazon.com anunciou que a venda de e-books superou a venda de livros impressos no mercado norte-americano. No Brasil, decisão da Justiça Federal de São Paulo, ontem (23/7), concedeu imunidade tributária – válida, no entanto, só em ação movida pelo advogado Marcel Leonardi – ao leitor digital Kindle, agora considerado mecanismo de cultura e informação.

Para o atual mercado de livros, a presidente da Câmara Brasileira do Livro (CBL), Rosely Boschini, considera que as duas notícias são benéficas. Sobretudo a isenção de impostos, porque contribui diretamente com o atual cenário do país. 

“O Brasil é reconhecido pela alta carga tributária. Então a isenção de impostos para o Kindle seria muita positiva para o mercado editorial nacional. O e-book é uma alternativa de acesso à leitura, sobretudo entre os jovens. Mas também é necessário frisar que, acima de tudo, as editoras são responsáveis pela gestão de conteúdo, independentemente da plataforma em que ele é apresentado”, informou Boschini.

Segundo a especialista, atualmente, apenas 2% das editoras do país adotam o e-book, e o formato alcança entre 30% e 50% do catálogo disponível delas. Entretanto, ressalta que a discussão sobre os livros digitais no país ainda é recente e trata-se de um mercado com grande potencial de crescimento.

“O nosso mercado não está mal preparado para essa nova tecnologia. Antes de mais nada, é preciso entender que ela está mais avançada nos Estados Unidos, porque é algo desenvolvido por eles. Em breve, surgirá um mercado brasileiro consistente de leitores eletrônicos, que, sem dúvida, cativará parte dos consumidores”, disse.

De acordo com a Amazon, nos últimos três meses, para cada cem livros de capa dura comercializados foram vendidos 143 livros digitais para o Kindle. Durante apenas o mês junho, 180 e-books foram vendidos para cada cem livros de capa dura.

Dentro da programação deste ano da Bienal do Livro de São Paulo, será realizado o Fórum Internacional do Livro Digital, nos dias 10 e 11 de agosto, com a participação de especialistas da área, como Mike Shatzkin, John B. Thompson e Jean Paul Jacob.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail