Home > Notícias

Será que o Google Keep consegue competir com o Evernote?

Novo serviço permite criar, armazenar e organizar anotações, imagens e listas de tarefas, mas comete alguns deslizes no smartphone e na web.

Ian Paul, PCWorld EUA

22/03/2013 às 18h06

Foto:

A Google está desafiando o popular Evernote com o lançamento do Keep, um serviço que permite armazenar anotações, listas de tarefas, links para sites e fotos de coisas das quais você tem que se lembrar.

Rumores sobre o serviço surgiram em meados deste mês de março, depois que ele se tornou brevemente disponível para um pequeno número de usuários do Google Drive. Mas foi só na última quarta-feira (20/03) que a Google apresentou oficialmente seu mais novo produto. O Keep está disponível na forma de um app para o Android 4.0 ou superior, e também no navegador em drive.google.com/keep.

Mas mesmo que a Googe esteja oferecendo uma forma de acessar suas notas em um PC, não se engane pensando que o serviço foi feito tanto para desktops quanto para dispositivos móveis. A versão atual do Keep enfatiza a criação de notas em seu aparelho Android, e o acesso a elas a partir de qualquer lugar. Você pode até criar notas usando a interface web, mas há limitações que não existem na versão mobile. 

Conhecendo o Keep

A Google apresenta o Keep como um substituto para aquele monte de notinhas amarelas espalhadas por sua mesa, monitor e geladeira. A principal vantagem, claro, é que você pode acessar suas notas e lembretes de qualquer lugar com acesso à internet, já que tudo é sincronizado com o Google Drive.

Criar uma nota na versão Android do Keep é fácil: no topo da tela há um menu com ícones que permitem criar uma nota de texto, lista de tarefas, nota de áudio ou tirar uma foto. Um recurso muito útil é capaz de trascrever sua fala em texto, com a gravação original integrada ao corpo da nota. Fotos incluem um espaço para você adicionar texto se quiser. Você também pode criar uma nota rápida tocando na área “Adicionar nota rápida” acima dos ícones.

googlekeep-360px.jpg
Google Keep num Nexus 4

É possível fazer buscas em cada uma das notas que você criou e todas são mostradas sob a barra de menu usando a metáfora de “cartões” que a Google usa em outros serviços como o Google Now. Por padrão as notas são organizadas em uma “grade”, mas também é possível mostrá-las em uma coluna única. Tocar em uma nota mostra seu conteúdo em tela cheia, e arrastá-la para a esquerda ou direita a arquiva. Você pode consultar o arquivo tocando na opção “Ver notas arquivadas” no rodapé da tela.

As notas podem ter diferentes cores, basta clicar no ícone da paleta ao vê-las em tela cheia. Isso pode ser útil se você quer, por exemplo, separar listas de tarefas de lembretes, ou identificar rapidamente quais notas contém fotos. Há oito cores a escolher, entre elas a branca. Dica: se você mudar a cor de uma nota que está criando usando o campo “Adicionar nota rápida”, ela será a cor padrão para todas as notas futuras.

Compartilhando Notas

Usuários de Android podem compartilhar notas entre si selecionando o ícone de compartilhamento dentro que qualquer nota em tela cheia. O compartilhamento usando o app do GMail é particularmente útil: listas de tarefas são compartilhadas em texto simples, com colhetes ([ ]) substituindo as caixas, e fotos são enviadas como anexos convencionais. O assunto da mensagem é definido automaticamente, com base no título da nota.

Você também pode adicionar notas a partir de outros aplicativos usando as opções de compartilhamento do Android. Por exemplo, a partir do Chrome você pode compartilhar uma página com o Keep, armazenando-a para ler mais tarde. Você pode até adicionar um texto extra para ajudar a identificar a nota.  O Keep tenta capturar um “preview” do site quando a nota é criada, mas ainda não faz isso muito bem. Ele deveria armazenar o título e URL da nota, além de uma imagem da página. Mas em meus testes ele não conseguiu mostrar a imagem em páginas salvas de vários sites, entre eles o TechHive, The New York Times e ABC.com.

Versão Desktop

A versão Android do Keep ainda pode ter algumas arestas a aparar, mas é muito mais capaz do que a interface web. Em primeiro lugar, embora as notas sejam salvas no Google Drive os serviços ainda não estão integrados, ou seja, não há um meio de chegar até o Keep a partir do Google Drive. É necessário digitar manualmente o endereço: drive.google.com/keep.

A versão web permite que você veja suas notas em uma grade ou como uma única coluna. Também é possível digitar novas notas, criar listas, enviar imagens, fazer buscas, excluir e arquivar notas ou ver as que estão arquivadas. Mas há alguns recursos óbvios que estão ausentes: se você pega URL de uma página e a adiciona a uma nota no PC, o Keep não cria um preview da página e salva a URL como texto puro, ou seja, ela não é “clicável”. 

É possível enviar imagens do PC e adiconá-las a uma nota, mas não é possível usar uma webcam para capturar uma imagem. Usar a webcam para capturar uma imagem rápida de um recibo ou produto do qual você quer se lembrar é uma opção muito útil na versão desktop do Evernote.

Se você não tem um smartphone com Android 4.0 ou mais recente, pode até tentar usar a versão web do Keep em seu aparelho, mas eu não a recomendo. Tentei usar a versão web em um tablet Google Nexus 7 e notei grande lentidão na rolagem de texto e digitação de uma nova nota, a ponto de tornar o serviço impossível de usar.

Quem usa o Google Drive para armazenar todo o seu conteúdo e ainda não usa um aplicativo para coletar e armazenar anotações irá ficar muito satisfeito - ou ao menos contente - com o Keep. Mas se você leva suas anotações à sério, as falhas no produto da Google são suficientes para fazê-lo voltar ao Evernote rapidinho.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail