Home > Notícias

Setor financeiro deve impulsionar investimentos em TI em 2009

Para a IDC, adoção de novos processos, como débito direto autorizado, pode incrementar demanda de hardware, software e serviços.

Redação do COMPUTERWORLD

23/12/2008 às 12h12

Foto:

Para a IDC Brasil, o segmento financeiro, grande comprador de tecnologia no Brasil, irá revolucionar o modo como as pessoas e empresas efetuam seus pagamentos, causando grande impacto nos segmentos de hardware (servidores e armazenamento de dados), software e serviços com o projeto DDA (Débito Direto Autorizado), cujo lançamento está previsto para o segundo semestre de 2009.

O Débito Direto Autorizado permitirá o recebimento eletrônico de compromissos de pagamentos, permitindo assim reduzir o número de boletos em papel. A expectativa da Febraban é de diminuir em 50% a emissão dos boletos impressos no prazo de três anos, ganhando agilidade e segurança, entre outras vantagens.

Segundo estudos da IDC, Brazil Quarterly Server Tracker Q308 e IDC Brazil Quarterly Storage Tracker Q308, neste ano, o segmento financeiro consumiu até agora cerca de 42,8% das receitas totais investidas em servidores (incluindo mainframes), assim como 29,3% do total investido em armazenamento de dados no país. Este segmento é o que responde pela maior fatia de investimentos em ambos os mercados.

Para Alexandre Vargas, analista dos mercados de servidores e storage da IDC, “a implementação deste projeto já influencia os investimentos em hardware, software e serviços das instituições financeiras participantes, e a tendência é que eles se intensifiquem nos próximos meses”. A TIVIT, por exemplo, empresa ganhadora da licitação para o desenvolvimento e hospedagem deste projeto, irá demandar infra-estrutura para suportá-lo, mas ainda não divulgou o volume de investimentos a serem realizados. Na primeira fase do projeto, apenas as contas de consumo (água, telefonia e energia) serão beneficiadas. Já as contas que exigem um nível de detalhamento maior que o usual não serão contempladas por enquanto.

“Se analisarmos o impacto nos mercados de servidores e armazenamento de dados, a demanda por equipamentos será positiva, pois, segundo o Instituto de Defesa do Consumidor (IDEC), comprovantes de diversos tipos de pagamentos têm que ser mantidos por até cinco anos, o que demandará uma grande capacidade de armazenamento em curto, médio e longo prazos”, complementa Vargas.

Pela facilidade e segurança que o projeto proporciona, tanto aos usuários como para as empresas que emitem boletos de pagamento, a adesão de ambos poderá ser grande. Considerando que já existem 40 milhões de domicílios com acesso à Internet no Brasil e que as transações via Internet Banking (Pessoa Física) aumentaram 6% em 2007, pode-se esperar uma adesão significativa a este serviço.

Grandes empresas de ERP que atuam no mercado brasileiro já têm trabalhado na adaptação de seus sistemas para se adequarem a este novo serviço. Esse sistema será disponibilizado, customizado e implementado dentro dos principais ERPs do mercado, aumentando assim a agilidade de processos como, por exemplo, a digitação dos códigos de barras, transporte dos boletos dentro das empresas, logística de documentos e outros.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail