Home > Notícias

Sharp anuncia dois novos e-readers com sistema Android

Com o nome de Galápagos, linha chega ao mercado em dezembro; modelos serão vendidos em dois tamanhos diferentes e com tela de LCD.

IDG News Service

27/09/2010 às 8h20

Foto:

A Sharp anunciou oficialmente nesta segunda-feira (27/9) os seus dois novos e-readers, batizados de Galápagos e que rodam o sistema operacional Android, da Google. 

Previstos para chegar ao mercado em dezembro, os modelos serão vendidos com dois tamanhos diferentes de tela. O primeiro tem display de 5,5 polegadas, um pouco inferior ao tamanho do Kindle, da Amazon, e o segundo traz 10 polegadas, um pouco maior do que o iPad, da Apple. No futuro, serão adicionados mais serviços voltados para o comércio eletrônico, com a inserção de players de música, vídeo e um navegador de Web. 

Também será lançada uma loja online com acervo de 30 mil títulos entre e-books e jornais digitais. Já foram iniciadas as negociações com a operadora norte-americana Verizon Wireless para que os aparelhos sejam distribuídos também nos Estados Unidos. 

De acordo com companhia japonesa, o objetivo é competir com dispositivos como o Kindle e o Nook, da Barnes and Noble, e não tanto com tablets como o iPad ou Samsung Galaxy Tab.

No entanto, é difícil evitar a comparação, principalmente, pela opção de utilizar uma tela de LCD, o que não é uma surpresa, já que a Sharp é uma das principais fabricantes desse tipo de display no mundo.  

Um aspecto curioso é que os usuários estarão restritos aos aplicativos para Android já pré-instalados, não sendo possível baixar aplicativos adicionais. Além disso, os primeiros modelos com Wi-Fi não incluem recurso de banda larga 3G. Os preços e todos os demais detalhes técnicos serão anunciados próximos da data de lançamento.

galapagos_02.jpg

Novos e-readers Galápagos 

Galápagos

Dentro do mercado japonês, talvez o maior desafio da Sharp esteja em mudar a percepção da palavra "Galápagos".

Embora a palavra seja conhecida mundialmente por ser o nome de ilhas na costa do Equador, ela é frequentemente usada no Japão para se se referir a produtos ou tecnologias que evoluíram no país de maneira diferente a do resto do mundo.

Um dos melhores exemplos é a indústria de telefonia móvel, uma vez celebrada como um líder tecnológico e que mais tarde passou a ser vista de maneira negativa, devido à diferença entre o Japão e o resto do mundo. Isso deixava os fabricantes nipônicos de telefones celulares incapazes de competir no exterior.

"Consideramos Galápagos como uma terminologia positiva. Agora ela representará um tablet com padrão global e com tecnologia de ponta", disse a empresa em um comunicado.

A expectativa da empresa é que um milhão de unidades sejam vendidas durante os primeiros doze meses. A ambiciosa meta é combinada com um plano para entrar no mercado dos EUA em 2011 e competir de igual para igual com a Amazon, Sony, Samsung e Apple.

Por outro lado, os produtos são baseados no formato XMDF, desenvolvido pela Sharp e com utilização quase limitada ao Japão. De acordo com a companhia, posteriormente, serão adicionados novo suportes, por exemplo, ao formato ePub, usado pelos dispositivos da Barnes and Noble e da Sony e outros incluindo HTML texto e PDF.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail