Home > Notícias

Sony Mobile Xperia P: elegante e poderoso

Aparelho tem bom desempenho e traz recursos sofisticados, entre eles uma bela câmera, NFC e porta para conexão a TVs de alta-definição.

Rafael Rigues, PCWorld Brasil

08/08/2012 às 17h17

Foto:

O Xperia P é o “filho do meio” na linha 2012 de smartphones da Sony Mobile, batizada de Xperia NXT. Apesar da configuração um pouco mais modesta que a de seu irmão Xperia S ele é um aparelho que traz recursos bastante sofisticados, como um processador dual-core, NFC, uma bela tela e câmera de 8 MP, por um preço acessível.

xperias_geral-360px.jpg
Sony Mobile Xperia P

O design é praticamente o mesmo do Xperia S: elegante, com laterais retas e traseira ligeiramente curvada, mas sem os erros de projeto dele: não há tampa sobre a porta USB (que fica no canto superior esquerdo, junto com uma porta HDMI) e o sensor de toque dos botões Android corresponde aos ícones impressos na barra translúcida sob a tela. A carcaça em alumínio passa uma impressão de solidez, e o acabamento em prata fosco é elegante e evita o acúmulo de impressões digitais.

A bateria não é removível e não há slot para cartões microSD. O aparelho usa cartões microSIM, como o Xperia S ou iPhone, inseridos em um slot na lateral esquerda. É possivel remover uma “tampa” na parte inferior do aparelho, mas não há nada ali embaixo além de selos da Anatel e números de série. Esta tampa é a única parte da carcaça feita de plástico, já que é onde ficam as antenas.

xperias_tampa-360px.jpg
"Tampa" inferior. Nada ali além de antenas e números de série

Por dentro o Xperia P tem um processador dual-core Ericsson NovaThor de 1 GHz, 1 GB de RAM e 16 GB de memória interna. A câmera traseira tem um sensor de 8 MP e flash, e há uma câmera frontal para videochamadas. Também há um leitor NFC, assim como no Galaxy  S III, Galaxy X e Xperia S. Com isso, é possível usar o aparelho para ler informações armazenadas em etiquetas inteligentes (como as Smart Tags da Sony) e talvez, no futuro, como “carteira eletrônica” em sistemas de pagamentos móveis.

A tela de 4 polegadas tem resolução de 540 x 960 pixels (também chamada qHD), a mesma de aparelhos como o Atrix ou RAZR, ambos da Motorola. Mas com um destaque: ela usa a tecnologia “White Magic” da Sony, que eleva o brilho e a legibilidade, especialmente sob a luz do sol. Para se ter uma idéia, o LG Optimus Black foi por muito tempo o smartphone com a tela mais brilhante que já passou por nossas mãos, com um brilho de 530 cd/m2 (candelas por metro quadrado, uma unidade padrão para medição de intensidade luminosa). O Xperia P deixa o Optimus Black comendo poeira, chegando a 935 cd/m2.

O sistema operacional do Xperia P é o Android 2.3 ("Gingerbread"), com as customizações típicas da Sony. A empresa planeja uma atualização para o Android 4.0, que deve ocorrer até o final deste ano.

Câmera e Multimídia

A câmera de 8 MP faz fotos muito boas sob a luz do dia, mas as noturnas sofrem com bastante ruído, como no Xperia S. Sendo uma câmera da Sony o software é cheio de recursos, incluindo detecção de sorrisos, um modo panorâmico e a capacidade de fazer fotos em 3D, que devem ser vistas em uma TV 3D conectada ao aparelho via HDMI. Só há um probleminha: a câmera tem uma tendência a “estourar” cores muito intensas, como no caso das pétalas do Gerânio abaixo.

xperia_sample-360px.jpg
Amostra de foto feita com o Xperia P. Clique para ampliar

A câmera também pode ser usada para gravar vídeos em Full HD (1920 x 1080 pixels, 30 quadros por segundo) com autofoco contínuo. 

Desempenho e autonomia de bateria

O Xperia P tem o mesmo processador do Samsung Galaxy S II Lite, portanto o desempenho nos benchmarks é similar: cerca de 5.300 pontos no AnTuTu, uma marca respeitável e à frente de aparelhos badalados como o Motorola Atrix. 

Não tivemos problemas para reproduzir vídeo em alta-definição, e mesmo jogos sofisticados como Asphalt 7 rodaram com boa qualidade gráfica e desempenho. No dia-a-dia ele também não deixou a desejar, seja na navegação web ou acesso a redes sociais.

xperias_portas-360px.jpg
Na lateral esquerda: portas USB, micro HDMI e slot para cartões micro SIM

Já na autonomia de bateria, tive um resultado menos que satisfatório. Usei o aparelho em “uso típico” como meu smartphone principal, ao longo de três dias. Em média, consegui 14 horas de autonomia de bateria, com uso leve. Mas em um dia de uso mais intenso, o aparelho mal passou das 11 horas. A autonomia na reprodução de vídeo também foi fraca, cerca de 4 horas e 20 minutos, em nosso teste com o aparelho em modo avião e brilho da tela em 50%. Ou seja, você vai precisar de um carregador sempre por perto.

Veredito

Quem procura um smartphone poderoso e com recursos sofisticados mas quer ficar abaixo dos R$ 1.500 tem no Xperia P uma boa opção. Ele é mais caro que aparelhos na mesma categoria como o Samsung Galaxy S II Lite (que sai por R$ 999), mas traz mais memória interna, uma tela com resolução mais alta, NFC, saída HDMI e uma câmera melhor, o que justifica o preço sugerido de R$ 1.399. Só gostaríamos que a autonomia de bateria fosse melhor.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail