Home > Notícias

Stadia, a plataforma do Google que quer ser a “Netflix dos games”

Serviço de streaming transmitirá jogos via nuvem em resoluções 4K, sem precisar de um console. Lançamento está marcado para este ano nos EUA e Europa

Da Redação

19/03/2019 às 15h22

Foto: Reprodução/YouTube

O Google vai mesmo investir no mercado de streaming de jogos. Nesta terça-feira (19), durante uma apresentação na Game Developers Conference, em San Francisco (EUA), a companhia revelou o Stadia, uma plataforma de games sob demanda - basicamente, uma "Netflix para títulos eletrônicos". Ou seja, será possível jogar tanto nos PCs e Macs quanto tablets, televisores e smartphones, já que todo o processo acontece via nuvem usando o Google Chrome.

Com o Stadia, os usuários poderão jogar ou transmitir títulos em qualidade 4K, rodando a 60 quadros por segundo (fps) e com suporte a HDR. Essas são as características de lançamento do serviço, mas futuramente a empresa garante que o programa ganhará resoluções de até 8K. Tudo isso sem precisar de um console específico, ou instalar o game inteiro na máquina: basta ter uma conexão à internet.

Um dos exemplos demonstrados foi Assassin's Creed Odyssey, que consumiu cerca de 300 GB de dados em 50 horas. De acordo com o Google, para chegar a esses números, foi necessária uma conexão estável de 25 Mbps. A princípio, o serviço funcionará apenas em conexões Wi-Fi ou por cabos, porém a expectativa é que em breve ela seja compatível com as novas redes 5G.

Outra característica é que o Stadia vai permitir que as desenvolvedoras vendam seus jogos diretamente por streams ao vivo no YouTube e Twitch. Supondo que você assista ao trailer de Assassin's Creed Odyssey no YouTube, as empresas poderão incluir ao final do vídeo um botão de jogar para carregar o título instantaneamente - na exibição, o game abriu em apenas cinco segundos no navegador Chrome.

Além disso, o Google firmou uma parceria com a AMD para construir GPUs customizadas que farão parte dos datacenters da companhia. Cada componente é equipado com um chip de 10.7 teraflops, potência superior ao Xbox One, que tem 6 tflops, e ao PlayStation 4 Pro, com 4.2 tflops. Cada estação do Stadia também será alimentado por um processador x86 de 2.7 GHz com 16 GB de memória RAM.

Stadia Controller

Para acompanhar o anúncio da plataforma, o Google também revelou um controle personalizado para o Stadia. O acessório é conectado usando redes Wi-Fi, sendo capaz de detectar de maneira automática quando um título estiver em atividade na nuvem. O joystick lembra o visual dos controladores do Xbox e PlayStation, oferecendo dois analógicos, quatro direcionais e quatro botões de ação, além de opções para capturar e compartilhar conteúdo no YouTube. Também é possível acessar o Google Assistente.

Estúdios e desenvolvedores

Os desenvolvedores também poderão gerenciar seus vídeos criados pelo Stadia. Isso usando um conceito de aprendizado de máquina que se adaptará a algumas ações dos usuários. Há ainda um recurso chamado "State Share" para compartilhar momentos, e outro nomeado "Crowd Play", que permite aos criadores de conteúdo jogar com seus espectadores.

O Stadia terá o próprio estúdio de títulos exclusivos. E será liderado por ninguém menos que Jade Raymond, produtora executiva dos primeiros games da série Assassin's Creed, na Ubisoft, e que agora ocupa o posto de vice-presidente na empresa. Jade é uma veterana na indústria, passando por companhias como Sony e Electronic Arts. Ela ainda explicou que mais de cem estúdios já receberam o kit de desenvolvimento do Stadia, e mais de mil engenheiros trabalham em jogos para rodar no serviço.

Lançamento

Pouco foi revelado sobre a chegada do Stadia ao mercado. O Google se limitou a dizer que a plataforma será disponibilizada em algum momento deste ano na Europa, Estados Unidos e Canadá. Também não foi revelado como funcionarão os preços do serviço, caso ele adote um estilo semelhante à Netflix.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail