Home > Notícias

Tecnologia da STMicro pode permitir o controle de smartphones por gestos

Novo componente baseado em um laser infravermelho dispensa os toques e pode distinguir entre até 8 gestos em frente à tela.

Peter Sayer, IDG News Service

27/02/2014 às 17h47

Foto:

A ST Microelectronics demonstrou um novo detector de proximidade para smartphones, baseado em um laser infravermelho, que pode medir a distância de objetos em relação à tela com uma precisão de um ou dois centímetros. O componente pode permitir que futuros smartphones respondam a gestos mais sofisticados, sendo capaz de distinguir entre vários deles, segundo representantes da empresa em seu stand no Mobile World Congress.

Sensores de proximidade tradicionais detectam quando um raio infravermelho emitido por um LED adjacente é refletido por um objeto próximo. Embora a intensidade da luz refletida possa dar alguma informação sobre a proximidade do objeto, isto também pode ser afetado pela cor ou acabamento de sua superfície. Tipicamente estes sensores são colocados perto do alto-falante, ou em uma área ao redor da tela.

Software rodando em um smartphone de demonstração mostrava um detector tradicional reagindo fortemente a objetos a cerca de 5 cm de distância ou menos, mas praticamente sem reação alguma além disso. O mesmo app em um aparelho equipado com o novo detector mostrava uma resposta proporcional de acordo com a distância do obstáculo, a até 50 cm do aparelho.

O novo detector, baseado em um componente chamado Single Photon Avalanche Diode (SPAD), é muito mais preciso porque é capaz de calcular o tempo de viagem de um fóton individual entre ele ser emitido pelo laser e refletido de volta ao sensor, segundo Hervé Grotard, representante da ST Micro. De acordo com ele, o consumo de energia do componente é equivalente ao dos sensores menos precisos já em uso.

Jocelyn Leheup, outro representante da ST Micro, demonstrou como o detector pode distinguir entre gestos. Mover a mão em direção à tela e então removê-la rapidamente era registrado por um app como um toque. Fazer o mesmo gesto duas vezes consecutivamente era registrado como um toque duplo. Passar a mão de um lado para o outro da tela era registrado como um “swipe”. Mas o detector não foi capaz de diferenciar entre movimentos da esquerda para a direita e da direita para a esquerda.

Leheup também mostrou como um app pode distinguir entre um obstáculo “largo” (cinco dedos esticados) ou “estreito” (só um dedo esticado), além da flutuação na distância quando dois dedos estendidos em forma de “V” passavam em frente ao sensor. No geral o app era capaz de distinguir entre até 8 gestos, disse ele.

Segundo Leheup, o novo detector pode até ser usado em conjunto com câmeras, para ajudá-las a fazer foco no modo macro. Já Grotard aponta as vantagens cosméticas para os fabricantes de aparelhos: os detectores tradicionais exigem dois orifícios na frente dos smartphones, um para o LED que emite luz e outro para o sensor que detecta seu retorno. Como o raio emitido pelo laser infravermelho é muito mais estreito, e o SPAD é muito mais sensível, o novo detector permite que os buracos sejam muito menores. Segundo ele, se necessário o laser e seu sensor são pequenos o suficiente para serem escondidos atrás da grade do alto-falante.

Amostras do novo componente já estão disponíveis, e Grotard espera que os primeiros aparelhos equipados com ele cheguem ao mercado em maio.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail