Telecom Itália venderá iPhone 3G

Operadora italiana fecha parceria sem exclusividade com a Apple para distribuir novo iPhone.

https://pcworld.com.br/telecom-italia-vendera-iphone-3g/
Clique para copiar

A Telecom Itália firmou uma parceria não-exclusiva com a Apple para distribuir o novo modelo de iPhone, compatível com redes 3G, na Itália, segundo o jornal La Repubblica.

O CEO da Apple, Steve Jobs, decidiu modificar a estratégia de distribuição da empresa. Ele escolheu uma operadora parceira exclusiva em cada mercado nacional, com as quais irá compartilhar lucros de receita de tráfego. O La Repubblica afirmou que o CEO da Telecom Itália, Franco Bernabe, assinou um acordo em Cupertino, na Califórnia (sede da Apple), no início de abril.

A Telecom Itália não quis comentar sobre o assunto: “Não iremos comentar e não sei dizer quando isso irá acontecer”, disse um porta-voz.

O acordo determina a distribuição de iPhones compatíveis com as redes 3G baseadas no padrão de Sistema de Telecomunicações Móveis Universal (Universal Mobile Telecommunications System, UMTS), e os aparelhos serão vendidos por um preço maior do que em outros locais, para compensar a ausência de compartilhamento de receita, afirmou o La Repubblica. O jornal disse que, apesar de o acordo não ser exclusivo, a Telecom Itália tem a tecnologia 3G pronta, o que a favorece durante muitos meses, em relação a concorrentes italianas como a Vodafone e a H3G.

O La Repubblica também disse que, para a Apple, aumentar a participação do navegador móvel Safari no mercado pode ser mais importante do que receitas de curto-prazo originadas das vendas de iPhone.

O acordo reflete a liderança da Itália na penetração 3G e na navegação móvel de internet, com a Telecom Itália registrando número mais de duas vezes maior de usuários 3G do que as principais operadoras da França, do Reino Unido e da Espanha, afirmou o jornal.
++++
O iPhone tem sido apontado como o principal responsável pelo crescimento da navegação de internet móvel, com usuários móveis do Safari ultrapassando todos os usuários do navegador Windows Mobile juntos, no final de 2007, de acordo com o jornal.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site