Home > Notícias

Tem smartphone com Android? Então proteja seu aparelho…

Em tempos em que um app é capaz de roubar dados pessoais em menos de um minuto, precauções tornam-se especialmente valiosas

PC World/EUA

25/09/2011 às 22h03

Foto:

Usuários de smartphones Android podem tomar algumas
precauções de senso comum para proteger seus dados pessoais de roubo – um conselho
importante, considerando que um desenvolvedor de apps afirmou saber como obter
suas informações em menos de 60 segundos.

Loredana Botezatu, do BitDefender, uma empresa de software
para cibersegurança, recomenda:

Nunca perca de vista seu smartphone quando estiver em
público.

Caso empreste seu smartphone a alguém, mantenha-se atento ao
que a pessoa está fazendo.

Instale software móvel antimalware em seu celular.

Não guarde informações relacionadas a seu trabalho em seu
ceular a não seja que esteja criptografada.

Os conselhos servem de resposta a um desenvolvedor de apps
classificado como “gray hat”, que liberou na Internet cinco ferramentas,
supostamente para “fins de estudo”, que podem roubar tudo que há em seu
smartphone em menos de um minuto.

Com base nas informações de pesquisadores de vírus da
BitDefender, eis como as ferramentas funcionam.

Quando uma dessas ferramentas é carregada no smartphone da
vítima, ela pode ser ativada remotamente pelo cibercriminoso. Uma vez ativada,
ela envia um código de cinco dígitos ao celular do intruso e secretamente envia
os contatos, as mensagens, as últimas chamadas e o histórico de navegação a uma
área de desenvolvedor da Android Cloud. Depois de copiar os dados do celular,
os apps se autodesinstalam – assim, as vítimas sequer saberão que foram
espionadas.

Para obter os dados roubados, o criminoso precisaria apenas
visitar seu espaço na nuvem, inserir o código de cinco dígitos gerados pela
cópia do app malicioso e, por 5 dólares, baixar todos os dados clonados pelo
software sinistro.

Em um revés irônico, o desenvolvedor postou um aviso em seu
site informando aos usuários dos apps que, se eles não pagarem pelos dados que
roubaram em até 24 horas após o roubo, todas as informações serão apagadas do
site “sem qualquer respeito e por razões de segurança”. “Nem é preciso dizer...
Esta afirmação não pode ser levada a sério de forma alguma”, alerta Botezatu.

Este último ataque a celulares Android é apenas um de muitos
ocorridos este ano. De fato, os celulares são vistos como um alvo maduro para
os hereges da tecnologia móvel. De acordo com um relatório publicado por uma
empresa de cibersegurança em agosto, os ataques ao Android por escritores de
malware saltou 76% em relação ao trimestre anterior, o que faz dele o sistema
operacional móvel mais atacado do planeta.

Alguns dos malwares são de uma esperteza quase diabólica. Por
exemplo, um app mau chamado Soundminer ouve conversas em um celular Android e é
capaz de reconhecer quando os dados de cartão de crédito são ditados ao
telefone. Depois de identificar o número, ele o extrai da conversa que foi
gravada e o envia ao criminoso.

Ciberameaças como essas podem fazer com que alguns
compradores de smartphone evitem escolher um aparelho Android, mas alguns
observadores acreditam que os benefícios de um sistema aberto como o Android
ultrapassa os de sistemas menos abertos e menos vulneráveis a ataques. “Ameaças
existem em todo lugar”, escreveu JR Raphael na PC World/EUA. “A resposta não
está em se isolar do mundo e sim em tomar precauções básicas.”

“Com a liberdade de escolha vem um pequeno nível de
responsabilidade – e, falemos de smartphones ou da web, quase sempre o saldo
final vale a pena”, acrescentou.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail