Trojan Shlayer ataca um em cada dez usuários de macOS

O malware está em sites como Wikipedia e YouTube

Foto: Divulgação
https://pcworld.com.br/trojan-shlayer-ataca-um-em-cada-dez-usuarios-de-macos/
Clique para copiar

A Kaspersky realizou um levantamento que mostra o sucesso do trojan Shlayer nos dispositivos Mac. A pesquisa indica que pelo menos um em cada dez computadores da Apple foi atacado pelo malware, representando um total de 30% dos ataques bloqueados pela empresa em 2019.

Possivelmente, o trojan se tornou a ameaça mais comum entre os usuários de Mac. O Shlayer instala adware nas máquinas infectadas e exibe anúncios ilícitos, aqueles que acabam incomodando de tanto que são repetidamente exibidos. Ele também coleta dados do usuários para mostrar anúncios relacionados.

Para se propagar, são usados sites de entretenimento, afiliados e até a Wikipedia. A infecção ocorre da seguinte forma: o usuário faz uma pesquisa e é redirecionado para outra página que requisita uma atualização do Flash Player e, caso seja atualizado, a infecção é realizada com sucesso.

O mais triste dessa história é que o Shlayer conta com diversos parceiros que o distribuem e são pagos a cada instalação. Ou seja, assim que um usuário é infectado em certo site, o afiliado vai receber o pagamento pelo feito. Porém, o vírus também é disseminado em links maliciosos nas descrições do YouTube, WikiPedia e outros sites.

O Shlayer instala um adware no computador para exibir os anúncios. Inclusive, esses adwares estão na lista das dez maiores ameaças para o macOS, são eles: AdWare.OSX.Bnodlero, AdWare.OSX.Geonei, AdWare.OSX.Pirrit e AdWare.OSX.Cimpli.

“A plataforma macOS é uma ótima fonte de receita para os cibercriminosos, que buscam continuamente novas maneiras de enganar os usuários e usam ativamente técnicas de engenharia social para disseminar malware. Esse caso demonstra que essas ameaças são encontradas até em sites legítimos. Felizmente para os usuários do macOS, as ameaças mais comuns que visam este sistema hoje giram em torno da apresentação de publicidade ilícita e não envolvem algo mais perigoso, como o roubo de dados financeiros”, revelou Anton Ivanov, analista de segurança da Kaspersky.

De acordo com a Kaspersky, foram descobertos pelo menos 700 domínios com esse tipo de conteúdo malicioso. Os países mais afetados pelo Shlayer foram os Estados Unidos (31%) Alemanha (14%), França (10%) e Reino Unido (10%). Para evitar ser uma das vítimas do malware, esteja sempre atento ao que está sendo instalado no seu computador e sempre procure por fontes confiáveis.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site