Home > Notícias

TVs OLED e 4K na CES 2013: o sonho e a realidade

Novos aparelhos prometem cores vivas e imagens incrivelmente nítidas. Mas é melhor preparar bem o bolso se quiser levar um para casa.

Tim Moynihan, PCWorld EUA

16/01/2013 às 15h45

Foto:

É possível ter uma sensação de “Déjà vu” enquanto se olha para o futuro? Pelo segundo ano consecutivo o pavilhão da CES foi dominado pelas mesmas duas tecnologias de TVs de alta-definição; Ambas estão sendo apresentadas como a próxima grande novidade, ao menos para os magnatas do petróleo e banqueiros.

Estou falando das TVs OLED e Ultra HD, ou “4K”. E de acordo com a maioria dos motoristas de táxi de Las Vegas com quem conversei nesta semana, elas também eram sobre o que a maioria dos outros visitantes da CES estava falando.

Há motivos para tanta atenção. Se você já viu uma TV OLED ou 4K ao vivo, provavelmente quer uma. E se quer uma, provavelmente não pode pagar por ela. E se pode pagar por ela, provavelmente deveria estar assistindo alguma coisa nela neste momento, em vez de ficar lendo este artigo.

Aos olhos da maioria das pessoas, TVs OLED e Ultra HD produzem uma imagem melhor do que a encontrada em qualquer uma das TVs Full HD (1080p) de Plasma ou LCD atuais. Mas a qualidade de imagem de cada tipo de TV irá impressioná-lo de uma forma diferente, e ambas as tecnologias tem, no momento, limitações importantes.

A diferença visível entre OLED e 4K

OLED e 4K são coisas completamente diferentes. OLED é uma tecnologia de telas, como Plasma ou LCD, enquanto 4K é uma resolução de tela. Vou explicar em termos simples: em uma TV OLED, as cores são vivas como você nunca viu. Não há preto mais preto do que na tela de uma TV OLED, e as cores parecem cintilantes. Os ângulos de visão também são incrivelmente amplos. Por causa do rápido tempo de resposta da tela, mesmo cenas de ação parecem fluidas, e conteúdo em 3D é impressionante. As TVs OLED não precisam de lâmpadas ou LEDs para iluminar a tela, então são as mais finas do planeta: a tela da primeira TV OLED da LG tem apenas 4 mm (sim, MILÍMETROS) de espessura. E pra completar, uma tela OLED pode ser maleável: tanto a LG quanto a Samsung mostraram protótipos de TVs OLED com telas curvas durante a CES 2013.

lg_oled_curva-360px.jpg
TVs OLED de tela curva da LG

Por outro lado, o principal destaque de uma TV 4K é a nitidez. Há quatro vezes mais pixels (os pontos que compõem a imagem) na tela do que em uma TV 1080p, então você pode ver detalhes muito menores do que numa tela “Full HD” atual. Mas mesmo que você possa pagar por uma TV 4K, precisa das circunstâncias certas para fazer o investimento valer a pena. A não ser que a TV seja realmente grande, ou que você se sente muito perto da tela, você pode não ver muita diferença entra a mesma imagem exibida em uma tela 4K e em uma TV Full HD.

Mais ainda, muitas das TVs 4K mostradas na CES estavam mostrando conteúdo “nativo” em 4K que ainda não está disponível ao público. Vídeo em 1080p redimensionado (através de um processo conhecido como “upscaling”) para a resolução 4K pode parecer um pouco mais detalhado que a mesma imagem em uma TV Full HD, mas você vai precisar procurar com muita atenção para encontrar diferenças.

Se você quer examinar os menores detalhes de uma imagem em alta-resolução, quer uma TV 4K. Se quer se maravilhar com um majestoso festival de luz e cor, OLED é a melhor opção. Mas uma TV pode ter ao mesmo tempo as tecnologias OLED e 4K, assim como uma TV Full HD pode ser de Plasma ou LCD.

panasonic_oled_uhd_56in-360px.jpg

Protótipo de TV Ultra HD (4K) com tela OLED da Panasonic

De fato, havia dois protótipos de TVs 4K OLED com telas de 56 polegadas em exibição na feita: um da Sony, e outro da Panasonic. A combinação da nitidez das imagens em 4K com as cores vibrantes, constraste ímpar e movimentação suave característica das telas OLED fez meu coração acelerar.

A primeira onda de TVs OLED

A LG irá oferecer neste ano a primeira HDTV OLED comercialmente disponível, a 55EM960V de 55 polegadas, que chega às lojas nos EUA em março por US$ 12.000. Além de toda a “mágica” da tecnologia OLED a 55EM960V traz todo o conjunto de recursos dos modelos topo de linha da LG, incluindo o controle remoto Magic Remote que permite comandar a TV usando voz e gestos, um navegador web, suporte a apps e óculos 3D passivos.

lg_oled_55in-360px.jpg
TV OLED da LG, com tela de 55 polegadas

A Samsung provavelmente entrará no mercado em seguida com a F9500, uma TV OLED de 55 polegadas que traz óculos 3D com um engenhoso sistema “multi-view”, que permite que duas pessoas assistam a canais diferentes na mesma tela ao mesmo tempo. Ela tem um processador quad-core, pode ser controlada por voz e gestos e traz todos os recursos das “Smart TVs” da marca. Preço e data de lançamento não foram divulgados.

Além destas duas é difícil saber que outras fabricantes irão oferecer TVs OLED neste ano. A Sony e a Panasonic são boas candidatas, já que elas estabeleceram uma parceria para desenvolver suas TVs OLED em conjunto, e seus protótipos de telas OLED 4K exibidos durante a feita eram notavelmente similares.

A primeira onda de TVs 4K

Embora a primeira onda de TVs Ultra HD enfrente muito mais problemas do que as OLED em termos de conteúdo disponível, tamanho e preço proibitivo, elas já estão à venda. A Bravia XBR-84X900 de 84 polegadas, da Sony, já está nas lojas por US$ 25.000. Em comparação a 84LM9600 da LG, de 84 polegadas, é uma “pechincha” por “apenas” US$ 20.000. Mas os US$ 5.000 extras pelo modelo da Sony incluem um servidor de mídia pessoal recheado de filmes em 4K para você assistir em sua nova TV.

Durante a CES a empresa também anunciou um serviço de streaming e download de filmes em 4K chamado Sony 4K World Ultra HD, que promete entregar conteúdo em 4K diretamente às novas TVs, desde que as conexões de rede dos provedores e usuários aguentem a demanda por banda extra necessária. A Sony também anunciou modelos de 65 e 55 polegadas na linha XBR-X900, que estarão disponíveis em meados deste ano por preço ainda desconhecido, mas menor do que US$ 25.000.

sharp_uhd_70in-360px.jpg
TV 4K de 70 polegadas da Sharp

Na mesma época deve chegar às lojas a ICC Purios 4K, da Sharp, que é a primeira TV Ultra HD com certificação THX para reprodução de conteúdo em 4K como foi originalmente masterizado. Deve chegar em meados do ano com um preço ainda misterioso. No fim do ano uma segunda TV Ultra HD da linha Aquos, também da Sharp, deve chegar às lojas, também por um preço ainda não divulgado e provavelmente alto.

A Toshiba também participa do mercado de TVs 4K em meados este ano com a L9300, com 84 polegadas e baseada em um processador quad-core, que tem Wi-Fi integrado. A empresa também planeja modelos subsequentes com telas de 58 e 65 polegadas.

Na segunda metade deste ano deve chegar às lojas a TV Ultra HD S9, da Samsung, que estará disponível em três tamanhos gigantes, montada em uma moldura que lembra um quadro negro: são 85, 95 ou 110 polegadas. Além de um processador quad-core e controle com gestos e comandos de voz, ela é a única TV 4K anunciada na feira que tem um sistema de iluminação LED que cobre o painel inteiro, em vez de apenas as bordas. Isso significa que ela terá uma imagem de uniformidade ímpar, e provavelmente custará alguns milhares de dólares a mais do que o esperado.

samsung_uhd_s9-360px.jpg

A imensa Samsung S9: tela UHD de até 110 polegadas

A opção menos agressiva ao bolso para quem quer uma TV 4K chega às lojas nos EUA no final deste ano, graças à Vizio. A empresa mostrou durante a CES sua TV Ultra HD “XVT”, com tela de 70 polegadas, e também planeja modelos com telas de 55 e 65 polegadas.

A Vizio diz que suas TVs estarão nas lojas a tempo da temporada de compras no final do ano, e embora ainda não hajam informações sobre o preço, a empresa é conhecida por oferecer produtos de qualidade a preços acessíveis. Tendo isto em mente, esperamos que ela se aventure a produzir uma TV OLED em breve.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail