Home > Notícias

Ubuntu Linux 12.04 “Precise Pangolin” está disponível para download

Com suporte técnico pelos próximos 5 anos, esta nova versão do sistema operacional oferece uma alternativa atraente ao Windows 8

Katherine Noyes, PCWorld EUA

26/04/2012 às 19h23

Foto:

Após seis meses de desenvolvimento a mais nova versão do Ubuntu, uma das distribuições Linux mais populares da atualidade, está disponível ao público. Oficialmente chamado “Ubuntu 12.04 LTS “Precise Pangolin”, o software foi lançado no início da manhã desta quinta-feira. O sistema pode ser baixado gratuitamente em seu site oficial. Quem já roda a versão 11.10 “Oneiric Ocelot” irá receber um alerta de atualização.

“O Ubuntu 12.04 roda em notebooks, netbooks e desktops, com uma aparência unificada e uma versão atualizada da interface desktop Unity, que introduz o conceito de “Heads-Up Display”, disse Kate Stewart, coordenadora de lançamento do Ubuntu em um comunicado oficial. “Encontrar e instalar programas usando o Ubuntu Software Center está mais fácil, com melhorias em seu desempenho, mecanismo de busca e usabilidade”.

Ubuntu_Pangolin-360px
Ubuntu 12.04 "Precise Pangolin" e sua loja de software

Como é uma versão com suporte a longo prazo (LTS - Long Term Support) o Ubuntu 12.04 terá suporte técnico por 5 anos tanto em desktops quanto em servidores, o que o torna uma escolha particulamente atraente para usuários corporativos. 

Três opções para produtividade

Também há uma grande quantidade de melhorias na versão servidor do Ubuntu 12.04, incluindo a versão “Essex” do OpenStack e a nova ferramenta de provisionamento “Metal as a Service” desenvolvida pela Canonical. Mas a versão desktop é particularmente atraente porque com ela a Canonical mira diretamente nos desktops corporativos.

Além dos cinco anos de atualizações garantidas e opção de suporte técnico comercial, o software tem uma interface madura, um pacote Office nativo e gratuito e suporte às principais soluções de virtualização no desktop da Citrix e VMWare, além do protocolo RDP 7.1 da Microsoft.

Como resultado, usuários corporativos tem três opções quando o assunto é produtividade: entrega remota de aplicativos, soluções baseadas na nuvem como o Google Docs ou o pacote office pré-instalado, o LibreOffice, que é compatível com o Microsoft Office.

“Uma ótima época para avaliar uma solução Open Source”

“Nos últimos dois anos os laços que prendem as pessoas às soluções proprietárias se enfraqueceram, e as barreiras para o uso do Ubuntu como sistema primário no desktop estão diminuindo”, disse Steve George, vice-presidente de comunicações e produtos da Canonical.

A Canonical também estabeleceu parcerias com revendedores de hardware como a Dell, HP e Lenovo, para que “tudo funcione perfeitamente” em várias máquinas destas empresas. O software já está certificado para rodar em mais de 20 sistemas, entre desktops e laptops, e há mais por vir. À medida em que o Windows 8 se aproxima, “esta é uma ótima época para as pessoas avaliarem uma solução Open Source no desktop”, disse George.

Interface refinada

Usuários que atualizarem da última versão LTS, o Ubuntu 10.04 “Lucid Lynx” para o Ubuntu 12.04 terão sua primeira experiência com a nova interface Unity, que foi lançada 18 meses atrás. Embora ela tenha gerado um pouco de controvérsia, a Unity foi bastante refinada desde então, disse George, e “tem sido bem avaliada tanto por novos usuários quanto por usuários avançados”.

Segundo ele “as mudanças nesta versão tem foco na experiência do usuário e nos recursos relacionados à busca”.

“Esperamos que as pessoas se interessem”

Outra novidade no Precise Pangolin é o Heads-Up Display, um componente da interface que permite que os usuários interajam com o sistema sem ter de navegar por menus. “Queríamos lançar este recurso para que as pessoas pudessem começar a brincar com ele”, explicou George. Embora ele ainda seja essencialmente uma amosta dos recursos que ainda estão por vir “esperamos que as pessoas se interessem”, disse ele.

O Ubuntu 12.04 Precise Pangolin traz ainda outras melhorias. Rigorosa otimização de código ao longo dos últimos dois anos resultou em um sistema que dá boot mais rápido e é mais robusto que seu predecessor, e também oferece uma autonomia de bateria muito mais longa quando executado em um notebook.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail