Home > Dicas

Veja como acabar com problemas do Safari 5.1

Nova versão do navegador da Apple recarrega abas abertas e consome muita memória; veja como fugir desses problemas, seja no Lion ou no Snow Leopard

Macworld/EUA

29/08/2011 às 15h54

Foto:

Se você usa o Safari 5.1, seja no Snow Leopard ou no Lion, há uma boa chance de não estar totalmente satisfeito com o resultado. Essa é a reação de grande parte dos usuários, que povoam os fóruns com inúmeros posts com reclamações. Entre todos os obstáculos, separamos algumas soluções para algumas das dificuldades mais comuns: 

Atualizações de página forçadas
Em uma janela do Safari com muitas abas abertas, pode acontecer que, ao clicar para mudar para a aba atual, essa página que foi selecionada fique branca temporariamente e recarregue em seguida. Tipicamente, a partir desse ponto, o mesmo processo irá ocorrer com cada aba para que o usuário alternar. Esse sintoma não parece acontecer toda vez, e algumas pessoas afirmaram que nunca passaram por isso e, até onde se sabe, isso não ocorria nas versões anteriores do navegador. 

Ao tentar acessar uma aba do Safari, em alguns casos, uma mensagem pode surgir avisando que todas elas precisam ser recarregadas e que  os sites não estão respondendo. Ao final, há uma opção para visitar a página desejada mesmo assim (a mensagem de erro original é: “Webpages are not responding. To visit the selected webpage, all webpages in the other tabs and windows must be force reloaded. Do you want to visit this page?”).

A boa notícia é que é possível não aceitar o botão de Visit Page, impedindo que todas as páginas sejam forçadas a recarregar. Um post em um tópico do Apple Support Communities afirma que se o usuário escolher Cancelar e esperar alguns instantes, a página que você está tentando exibir irá aparecer de qualquer maneira, porém sem propriamente fazer com que todas as outras recarreguem. 

Enquanto que essa atualização forçada é uma chateação pequena, ela pode ser tornar extremamente irritante se as páginas não recarregarem rapidamente ou se o conteúdo das mesmas tiver sido alterado nesse meio tempo. Se você tiver dezenas de abas e janelas abertas, esperar que todas recarreguem não é um bom passatempo nem mesmo nas melhores circunstâncias. 

Pelo que parece, esse “recurso” é uma consequência indireta da nova maneira que o Safari 5.1 funciona. Se você lançar o Monitor de Atividade (presente em Aplicativos, Utilitários), por exemplo, é possível observar dois processos para o Safari; o próprio navegador e um novo, chamado Safari Web Content, que é resultado da integração com o WebKit2, que reúne em um único processo os plug-ins, extensões e outros conteúdos do Safari como JavaScript e HTML. E, aparententemente, o WebContent é respónsável também por renderizar as páginas. 

Um ponto positivo da separação desses processos é que se algum add-on do Safari travar, ele não necessariamente impossibilita que todo o navegador funcione. A parte ruim é que, quando um problema acontece, essa atualização forçada das páginas acontece. Há alguma coisa que possa diminuir esse efeito colateral? Uma estratégia bem direta: se houver algum plug-in ou extensão problemático, desabilite. Caso não tenha certeza de qual add-on em particular deve ser exterminado, talvez seja necessário um processo de tentativa e erro. 

 

safariwebcontent01.jpg

Processo do Safari pode consumir até 2GB da memória real e virtual 

Comilão de memória
Uma outra reclamação sobre o  Safari Web Content é que a porcentagem da CPU utilzada por ele, de acordo com os dados do Monitor de Atividade, pode explodir para níveis extremamente altos, chegano às vezes a 100%.

Mesmo quando o uso da capacidade de processamento do Web Content é razoável, os números mostrados pelas memórias Real e Virtual podem ser muito altos - excedendo 2 GB em alguns casos. Quando isso acontece, tudo no browser (às vezes alcança até mesmo o que estiver aberto no Mac) começa a se arrastar. 

E como é comum desses bugs, nem todos os usuários do Safari são afetados. Algumas pessoas afirmam que os add-ons são novamente os culpados, enquanto que outros especulam que isso é um vazamento de memória inerente no próprio processo do Web Content.

Se o último diagnóstico for positivo, adicionar mais memória ao Mac não irá ajudar em muita coisa. Este é o caso da Apple corrigir o problema em um update futuro. Por enquanto, uma “muleta” é encerrar o Safari e reiniciá-lo (especialmente sem abrir todas as abas e janelas que estavam em funcionamento). Não é o mais cômodo, mas deve acabar temporariamente com esses sintomas.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail