Home > Notícias

Wozniak critica EUA e sai em defesa de criador do Megaupload

Após visitar KimDotcom, cofundador da Apple acusou o país de organizar mal a extradição de criador do site e afirmou que sistema judiciário é "uma vergonha"

Karen Haslam, Macworld/EUA

27/06/2012 às 17h31

Foto:

O cofundador da Apple, Steve Wozniak, visitou recentemente o fundador do MegaUpload, Kim DotCom (que atualmente está em prisão domiciliar) e acusou o governo dos EUA de uma “tentativa mal pensada de extraditar” DotCom, com advogados “que tentaram se aproveitar de brechas”. 

Wozniak também criticou o governo norte-americano por não permitir que o executivo tivesse acesso a honorários advocatícios, sugerindo que “o lado com acesso aos fundos gasta milhões em advogados, esperando que o outro lado vá a falência. Um sistema que permite esse tipo de vantagem de um lado só é uma vergonha”. 

DotCom é acusado pelos EUA de dirigir uma empresa criminosa responsável por diversos tipos de pirataria de materiais protegidos por copyright. A justiça alega que o cofundador do Megaupload encorajou os usuários do site a compartilharem filmes, músicas, softwares e outros materiais ilegais. Wozniak, por outro lado, discorda, e sugere que DotCom estava tentando evitar a pirataria em seu site ao remover links de conteúdos proibidos.  

wozkimdotcom01.png

 DotCom postou uma foto em seu perfil no Twitter ao lado do cofundador da Apple

Em um e-mail enviado à Cnet, o cofundador da Apple escreveu: “Quando crimes ocorrem por correspondência, você não deve simplesmente fechar o correio. Quando os governos confabulam acusações de extorsão de um cara de TI que está apenas operando um site de compartilhamento de arquivos ou o acusam de fraude porque ele disse que removeria os arquivos quando apenas retirou os links, isso evidencia o quão pobre foi pensada a tentativa de extraditá-lo”. 

Steve Wozniak continuou a atacar, apontando que DotCom tem sorte de viver na Nova Zelândia, lugar que, de acordo com ele, “possui melhores direitos humanos”. “Me perguntou por que os estúdios perseguiram uma pessoa que tentou tudo o que foi possível para remover os links que eles queriam”, defendeu Wozniak. O executivo destacou que há muitos serviços de compartilhamento de arquivos e armazenamento em nuvem que funcionam na legalidade e que a violação de copyright é ilegal, porém afirmou que a questão está sendo levada de uma forma tão rígida que isso poderia “frear o progresso da era digital”. 

Acusado de pirataria, o Megaupload, um dos maiores sites de compartilhamento de arquivos da Internet, foi fechado no início do ano sob acusação de que seus responsáveis pelo site teriam provocado um prejuízo de mais de 500 milhões de dólares aos detentores de direitos autorais, devido aos filmes piratas e outros conteúdos protegidos que circulavam na rede. 

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail