Home > Notícias

YouTube e Facebook são campeões no consumo de banda de rede

Pesquisa mostra qual o impacto do uso desses e outros sites no tráfego de dados na rede das empresas

John E. Dunn, Techworld

02/12/2009 às 17h37

Foto:

Uma pesquisa realizada pela Network Box, provedora de gerenciamento de rede, entre os meses de julho e novembro de 2009 revelou o enorme impacto que sites como YouTube e Facebook possuem sobre a banda de rede de uma corporação.

A pesquisa tomou como base 19 bilhões de URLs visitadas por mais de 30 mil usuários finais, e a aplicação que mais teve acessos foi o YouTube, que consumiu 7.8% de toda banda de rede disponível.

Logo em seguida vem o Facebook com 4.4%, Yimg (Pesquisa de imagem do Yahoo) com 2.8%, e o Google com 2.7%. Já as atualizações da Microsoft consumiram 3.8% de banda.

Estes números são totais (analisando o tráfego da empresa) e não médias, e, portanto a atual banda de rede sendo consumida por diferentes websites irá variar de uma corporação para outra.

Mas não deixa de ser alarmante que apenas sites não relacionados ao serviço consomem 21.5% de toda a banda de rede dessas empresas, que ainda contabilizam um tráfego volume de acesso maior sendo consumido.

A Network Box também mediu o tráfego de volume, oposto ao uso de banda, e chegou a uma listagem similar, embora o YouTube tenha ficado de fora dos cinco primeiros da lista.

Isto sugere que um menor número de visitas no site de vídeos do Google consome muito mais capacidade de tráfego, o que é esperado para uma aplicação com intenso uso de banda de rede.

“Os empresários precisam estar cientes do uso do Facebook pelos seus funcionários, durante o expediente. Eles deveriam fornecer um sistema que assegurasse que estão tendo o melhor uso possível dos recursos da empresa”, afirma Simon Heron, da Network Box. “Isto é mais do que um problema tecnológico. Trata-se de gestão de pessoas.”

O fato das atualizações do Windows – patches de segurança – que agora consomem valiosas bandas de rede demonstra que o uso da rede atualmente é bastante diferente da LAN de anos atrás.

Heron também aponta que o tráfego de dados é legítimo, e que as empresas podem se beneficiar de alguma forma do tráfego de dados não legítimo. As redes sociais geram negócios? Ninguém sabe ao certo, mas em alguns casos a resposta pode ser sim. Assim como o YouTube também oferece uma grande quantidade de conteúdo voltados aos negócios, além de também fornecer vídeos engraçadinhos e musicais.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail